sexta-feira, 1 de novembro de 2013

AQUILES E ULISSES - A MORTE

“ ‘ Ó Aquiles, filho de Peleu, o mais forte dos Aqueus,

vim por necessidade de Tirésias, para que algum conselho

ele me dê sobre como eu possa chegar à rochosa Ítaca.

Pois ainda não cheguei perto da Acaia, nem sobre minha

terra pus os pés, e sempre suporto males; mas do que tu, Aquiles,

nenhum homem antes (foi) mais bem-aventurado nem (será) a seguir.

Pois antes, estando vivo, te honrávamos como aos deuses,

nós os Argivos, por sua vez agora tens amplo poder sobre os mortos,

estando aqui; por isto não te aflijas por estar morto, Aquiles.’

Assim eu disse, e ele, de imediato retrucando, disse para mim:

‘ Não me consoles da morte, ilustre Ulisses !

Preferiria, sendo um lavrador, alugar meus serviços a um outro,

a um homem sem-lote, que não tem muitos recursos,

do que reinar entre todos os mortos já perecidos.’ ” Odisséia XI, 478-491

 a tradução é do professor Teodoro Rennó Assunção (UFMG) e consta em seu trabalho: Ulisses e Aquiles repensando a Morte (Odisséia XI, 478-491).

Nenhum comentário:

Postar um comentário