domingo, 24 de julho de 2016

SOBRE A IMPORTÂNCIA DE UM SER HUMANO

Tratando da vida que vale a pena ser vivida, das reflexões sobre isto e do que afinal de contas os outros tem que ver com isto. ( Estou encarando esta semana numa série de reflexões a partir de Sócrates, Montaigne, Rousseau, Nietzsche, Sweig, Rancière  e agora com este jovem David Foster Wallace. Haja piedade neste mundo amigos e amigas.)

Deve ser bem difícil mesmo, para muitos que adoram ficar ensimesmados em si mesmos e em suas reflexões subjetivas, entender e reconhecerem esta verdade elementar: a única forma de qualquer um de nós ter realmente alguma importância neste mundo deve ser medida ou pode ser compreendida ou começar a ser compreendida pelos efeitos ou pelas consequências de nossas ações sobre os demais seres humanos. De resto, somos completamente desimportantes para nós mesmos e tanto é assim que muitos simplesmente desistem de pensar nisto por completo desinteresse ou por certa constatação de desimportância e irrelevância.

Neste sentido, talvez a única forma correta de realmente levar a sua própria vida à sério seja justamente levar muito à sério o papel da nossa vida para com os outros, sejam eles os próximos, os distantes, os iguais ou os diversos.

Daí entendo porque se aborrecia tanto com Sócrates e com Cristo, o senhor Nietzsche. Ele simplesmente não conseguia admitir tal coisa e tinha boas razões para isto, porque muitas vezes esta preocupação, cuidado, zelo, carinho e consideração com o próximo é simplesmente desperdiçada e inútil, pois o outro tende a se julgar importante independente de você, de suas razões, sentimentos, de sua boa vontade e mesmo máxima honestidade e sinceridade. Nietzsche deve ter visto claramente que muitas vezes não adianta nada, pois o tal ciclo da vida e da morte – do eterno retorno - volta e recai na dor, no sofrimento e na decepção.

Assim, por pior que sejam nossos juízos e juízes, nossa importância por máxima que seja nossa boa vontade e boa fé, vai continuar relativa e só em nosso coração e no amor encontraremos algum conforto mesmo. Não será o entendimento que irá vencer a incompreensão. Isso explica porque a arte, a literatura, a poesia, a música, a pintura e mesmo outras linguagens são as únicas formas de chegar a se afirmar esta importância. Porque esta importância precisa ser afirmada indiretamente, pois é muito embaraçosa e silenciar sobre ela e somente supor é mais fácil do que invocar seu nome...


Aqui se explica também porque a suplica é a última palavra e a piedade é o último pedido dos mais fortes...

Nenhum comentário:

Postar um comentário