segunda-feira, 30 de maio de 2016

VAMOS FORTALECER A GREVE, AS OCUPAÇÕES E AUMENTAR A PRESSÃO SOBRE O SARTORI

Estamos aguardando uma proposta do governo, pressionando e mobilizando cada vez mais colegas. Devem aumentar bastante as adesões esta semana em muitas escolas e também ouvimos um zum zum de mais ocupações em escolas que não tem paralisação ou movimento de greve expressivo. Porque com as ameaças de promover desocupações do governo e a entrevista do Vieira mostra isto -  a juventude pensa em ocupar mais algumas escolas que já estão engatilhadas. Muitos alunos e alunas não aguentam mais olhar para seus professores e professoras que estão simplesmente trabalhando nas atuais condições insustentáveis. O governo vai precisar negociar muito mais agora, pois à medida que ele vai atrasando o diálogo ele vai aprofundando a distância com os educadores e estudantes, sem dar nenhuma resposta ou sinal de avanço em algo ou recuo em seus ataques.

Fui olhar no meu contra cheque os valores de difícil acesso - recomendo que todos que possuem isto façam duas contas - e fiquei espantado com o prejuízo que todos vamos ter sem recebermos o piso. Mais os parcelamentos e o 13° que foi não pago. Bah. É um horror nas nossas contas e condições de subsistência. O governo opta por nos massacrar a todos. Eu sinceramente não tenho os números da adesão, porém aparecem notícias de adesões vindo de todos os lados do nosso núcleo. Mas a greve é ainda parcial em muitas escolas, porém se o governo não apresentar uma proposta creio que irá aumentar. Uma planilha que vi correndo no Cpers tinha greve em quase todas as escolas de SL e NH salvo as exceções que não sei mesmo se vão conseguir segurar muito tempo e fazer de conta que o problema é dos outros. E as escolas paralisadas e sem aulas são muitas também.

Hoje de tarde devemos ver de novo isto no núcleo. E organizar a semana de visitar e mais atos. Hoje começa a terceira semana sem aulas. A assembléia, enfim, não foi marcada porque esperamos uma proposta do governo e ela não vem. Nós estamos pressionando o governo para parar de nos massacrar e ele não responde e ele não negocia. Creio que só devemos voltar a dar aulas com uma resposta. Tem colegas nossos que começam a pensar nos prejuízos ou a falar deles. penso que devemos lidar com isto com tranquilidade e sem problemas. Este é um tipo de interpretação possível a partir de certa perspectiva, mas eu creio que não é bem o caso. Os prejuízos que se aproximam de nós certamente serão muito maiores s a greve e sem fortalecer ela. E nós todos pagamos o pato juntos aqui. Não creio que este governo vai poupar quem não fez greve. Vejo que isto é uma ilusão criada por algum tipo de regalo com certeza em algumas escolas, talvez seus diretores tenham algum motivo para prestigiar o governo ainda, talvez alguma obra ou tratamento especial esteja dando esta ilusão. Mas eu sei que estas escolas também vão sucumbir.  Também vão sofrer com a falta de professores e que seus quadros também vão sofrer com este massacre.

Assim, no caso dos ataques que nos ameaçam o pato é bem grande e pode levar muitos a abandonarem o estado. E isso pode ocorrer porque não conseguiremos mais sobreviver mesmo com nossos vencimentos e nos outros casos por demissões, enxugamentos, ajustes de carga horária no diurno e terceirizações. E quem se omitir agora será responsável por isto e vão sofrer com isto também. Só se salvarão os muito próximos da administração política do estado. E olhe lá. Então está semana é decisiva e pode acabar com um esforço maior dos nossos colegas na adesão. E com os estudantes partindo para mais uma ofensiva nas ocupações.


Boa luta e boa semana a todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário