sábado, 19 de dezembro de 2015

SOBRE ENGAJAMENTO INTELECTUAL E OMISSÃO INTELECTUAL


Um colega, aliás professor de Filosofia e amigo, com quem compartilho diversas posições, convicções e opiniões políticas, comentou que tinha desprezo a filósofos ou intelectuais que não aceitam sujarem as mãos com assuntos mundanos e que gostavam de ficar em uma perspectiva acima dos mortais ou sub specie aeternitatis. (Meu caro Alexandre Noronha Machado)

Tenho também certa aversão eu diria a este tipo de intelectual. No Brasil isso é algo muito comum, pois pareceria que estes homens e mulheres ascenderam ou sempre estiveram acima dos reles mortais, da plebe e do populacho. Ou como eles gostam de referir eles são diferentes dos idealistas, esperançosos e ingênuos. Não se engajam em assunto mundano algum, mas olhando bem verás que sempre tem posição sobre tudo. São refertos de críticas, objeções e também de justificativas que misturam decepções e aversões - aliás - para não se envolverem com os assuntos mundanos. Tudo se passa como se com eles as coisas seriam melhores, a ética vigoraria e a política seria sublime de fato. Mas se omitem apenas...


Do meu lado prefiro correr os riscos de incidir, avaliar, opinar, me posicionar, acertar, contribuir ou errar e apontar para os assuntos práticos e mundanos. E tenho muita consideração por intelectuais que tem a mesma conduta e que não se omitem. A Torre de Marfim, o Gabinete e a poltrona confortável da sala é um bom lugar para fotografias apenas....

P.S.; Preliminar aso votos do STF, buscas da PF e á macha contra o golpe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário