domingo, 28 de maio de 2017

NEUTRALIDADE E COVARDIA

Dentre as diversas formas de covardia, a pior de todas não é ter lado e não lutar, que já é uma covardia, mas ter tido lado e visto o pior vencer e por temor ao seu poder não ter posição sequer, e assim arguir neutralidade, o que equivale a deixar assim ou ser indiferente ao mal. Se decidir pelo mais forte, pelo que possui poder, pelo que usurpou é também indício de que a neutralidade é somente uma concessão desarmada aos que abuso do poder. Imagino mesmo os colaboracionistas na ocupação nazista da França, se omitindo da barbárie e das diversas perseguições sofridas não somente pelos membros da resistência, mas também pelos cidadãos e cidadãs comuns. Neutralidade só há de ser possível quando não há lados e opções o resto é como o lava mais de Pôncio Pilatos, vai para a história como um ato de faz de conta que eu não sou responsável mais por nada. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário