segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

RADUAN E O PRÊMIO CAMÕES

Eu vi o discurso de Raduan Nassar ao receber o Prêmio Camões e a tal resposta do Ministro Roberto Freire e fiquei pensando em como as biografias e a história vão narrar o episódio, não tanto no juízo dos contemporâneos, mas me parece incontroverso que cabe a todos os poderosos aprender a ouvir, relevar e andar em frente e provar por ações sua competência. Senti o quão deselegante tem sido o exemplo de muitos que compõem o governo Temer hoje e que implementam programas, ações e medidas impopulares e que não foram sufragadas nas urnas e vejo em Roberto Freire o caso mais miserável de deselegância, pois aceitou, em primeiro lugar o cargo de ministro da cultura mesmo após ter dito aos quatro ventos que julga o ministério desnecessário. Assim, creio que desnecessário e irrelevante será o seu lugar no futuro e opto pela obra, pelas ideias e pela posição de Raduan Nassar sem titubear em nenhum sentido. Veja você mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário