segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

CHE GUEVARA EM PARIS

Fui perguntado estes dias por uma pessoa muito querida para mim e que pelo visto foi fisgada pela velha tática de desconstrução de símbolos da esquerda, sobre se eu sabia que Che Guevara esteve em Paris e Madri e que ia em lugares muito finos por volta de 1959. Eu imagino que ele ia sim nestes lugares.

A primeira e mais importante coisa que a direita tem feito, e noto muito isto mesmo, não é nem apresentar críticas aso princípios e às propostas da esquerda, é simplesmente atacar a imagem da esquerda, atacar seus símbolos, sejam eles pessoas ou pontas de projetos, até porque isso é mais fácil mesmo do que construir argumentos em defesa do capitalismo e do moedor de carne em que eles se dão muito bem.

Che Guevara era de classe média, nasceu numa família de boas condições de vida, cursou medicina e com a ideologia e a revolução conquistou um charme romântico para a época. Tinha uma combinação de indignação com a miséria e uma inteligência arguta com boa formação. Era muito festejado em diversos lugares do mundo por isso e pela façanha na revolução cubana. Mas lutou muito em Cuba, na África e acabou morrendo na Bolívia, traído por "revolucionários" que fizeram um acordo com o governo e o entregaram ao exército e à CIA que o cassava como animal na floresta. Foi executado sumariamente e covardemente. De 1959 até sua morte passou por tudo que é tipo de situação possível, mas na maior parte do tempo desta viveu sob guerra, guerrilha e tensão revolucionária. Não recomendo e nem faço propaganda de tamanho sacrifício não e se engana quem acha que eu defendo este roteiro de vida como alternativo, mas respeito muito seu sacrifício pela causa.

Muito poucos sobrevivem a isto na real e eu sou daqueles que acho que o seu sacrifício foi muito maior que qualquer luxo que ele possa ter tido em pequenos momentos da sua vida. Então...


P.S. tive que editar um pouco depois de publicar, peço escusas se desagradar alguém que não concorde comigo em algo que inseri aqui agora.


Nenhum comentário:

Postar um comentário