domingo, 26 de fevereiro de 2017

APARÊNCIAS, CONTROLE, MUDANÇAS

Nós seduzimos e somos seduzidos por aparências, mas também por coisas bem além das aparências. Goethe cunhou a expressão afinidades eletivas para tratar deste tipo de sedução que vai além das aparências. Eu tenho tratado de atração intelectual, e a atração intelectual passa por fases de curiosidade, interesse, admiração até chegar numa espécie de confirmação e medida das tais afinidades.

Isso parece excessivamente racional, mas não se precisa fazer muito esforço para imaginar o quanto gostos, valores, hábitos e mesmo interesses em comum tornam a aproximação entre as pessoas mais realizável. Porém, é preciso dizer mesmo com grandes afinidades ou interesses, nós nos enganamos muito ao longo da vida. E temos medo de toda impressão muito forte. Reduzimos seu impacto sempre quase num automático porque sabemos que ali onde a impressão é muito forte poderá estar o nosso grande engano.

A vida tem esta dimensão de aventura que tentamos manter controlada. Os capricornianos como eu, me parece que mais que outros signos, e assim tem sido interpretado esse bicho, tem estas veleidades de controle e de dominar as situações. Chamo esta tentativa de manter as coisas controladas quando chega ao nível doentio de paranóia de controle. E esta paranóia deixa a pessoa neurótica achando que vai por tudo a perder se não houver segurança absoluta em sua direção e ação.

São pessoas que começam a fugir das surpresas, evitar ao máximo o inesperado e que tem muita rigidez para adaptar seus planos e projetos as alternativas e oportunidades que a vida oferece. Começam a virar pessoas intoleráveis e perdem a capacidade de se adaptar ao que a realidade – que sempre é independente de suas vontades e preferências – lhes oferece. Elas cristalizam nessa postura, não aceitam e nem negociam nada e vão se enrijecendo na vida. Até que os ossos começam a das sinais desta mesma rigidez.

E a imagem é bem conhecida do arquétipo de um capricórnio velho, artroso, sentado e petrificado que aparece ai. Mas eu, porém, me escapo bem mais disto, pois gosto de surpresas. Aprendi a aceitar certos sinais e a tentar decifrar eles. Mas me engano e já me enganei muito também, mas nem por isso deixo de observar e até mesmo investigar mais a fundo o que se apresenta.


Assim, as afinidades eletivas e as atrações intelectuais tem esta característica interessante também, sempre colocam em cheque e abalam nossas referencias e nossas convicções. Não há possibilidade destas atrações ocorrerem com alguma consonância completa. Elas tratam justamente do confronto de ideais e idéias e da possibilidade de mudar elas. Nestas relações é pouco provável que teu mainframe fique por muito tempo inabalável.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário