domingo, 22 de janeiro de 2017

MEU TIO EMÍLIO

Preciso me despedir de ti Emílio querido, e muitos que te conheceram, saberão em minhas palavras porque e haverão de concordar comigo não pela beleza delas, mas pela relação delas contigo. Eu preciso dizer o que sinto e sei que tuas dicas, alertas, lições, abraços, apertos bem fortes de mão, incentivos, sorrisos, piadas, deixas, tiradas e que de diversas formas me eram dadas, a mim teu sobrinho, aos meus irmãos, teus filhos, sobrinhos, primos e muitos amigos e amigas, parceiros e testemunhas vivas e silenciosas, às vezes, de tuas passagens vão lembrar de teus momentos bons e muito bons. Te homenageio por vários motivos. Sei e tenho notícias de tua generosidade extrema com os amigos e amigas, os que necessitavam de apoio, pão ou até um empurrâozinho para fazer pegar o carro enguiçado da vida. Sei e tenho notícias de que eras um bom açougueiro, que teus fregueses não perdiam no peso da balança, na qualidade e que a carne era bem cortada. Afinal foi este teu ofício uma vida inteira. E gostava de fazer no capricho. Sei e tenho notícias e sou testemunha de tuas fortes convicções políticas. Petista de carteirinha e muita convicção como eu e que sempre me dava uma letrinha para cuidar disto ou daquilo, mas que principalmente dizia que se eu era trabalhador, honesto e verdadeiro não podia me michar para ninguém e não deixar me envolver com quem não presta ou que sequer me olhasse nos olhos. Sei também dos teus hábitos. Do teu gosto por andar e perambular pela cidade. De dar prosa e de encarar qualquer cidadão ou cidadã como um igual. Sei também dos teus cuidados e prudências. Você me disse que andar com quem não presta só trazia prejuízo e este teu conselho eu sigo muito. sei que gostava de uma aposta e que o gosto da vitória e da sorte era algo que te dava muito prazer e eu te entendo muito bem nisto. A surpresa no jogo é como um sinal divino de que algo inexplicável olhou por nós ou que a sorte ou uma espécie de janela nova se abriu na nossa vida. E eu sei como é bom encarar o inexplicado e como é prazeroso fazer descobertas no grande jogo que é viver neste mundo. Eras gremista, fazia blague com meu pai sobre o colorado, mas jamais deixou de ser um rival amigo, fraterno e que sabia a diferença entre jogar bem e vencer por jogar bem e fazer um belo esforço ou depender de um lance de sorte, da intervenção do Sobrenatural de Almeida. Tu e o pai falavam de Gol Espírita e eu sei que isso tem lá sua glória e que de vez em quando aparece este fenômeno na natureza e em meio à rotina aparentemente normal e burocrática do jogo de força, velocidade e inteligência que hoje assistimos. Sei de ti que as planilhas de controle nem sempre olham para o principal. Que é preciso ir além e que as vezes se vai muito além incentivando e apoiando mais aos outros do que a si mesmo. E jamais vou me esquecer mesmo de tudo que me deste em boa vontade, desejo de conhecimento e amor ao próximo. Me compadeço de ti, mas se eu chorar por ti será muito mais pela alegria e privilégio de ter te conhecido, do que por te perder, porque penso que ter tua passagem em minha vida foi um ganho, um grande privilégio e algo que me honrará para sempre. Alguns de vocês desta geração de 30 a 50 são pessoas que viveram a mudança do Brasil e as dores do parto que este país viveu para ter uma democracia e eu lutarei muito, trabalharei muito e vou continuar estudando, sorrindo, brincando e sendo sério quando necessário para que isto não se perca. Nós queremos ser homens livres, queremos que as mulheres, os negros, os pobres, os gays, os índios tenham todos direitos e que ninguém seja mais do que ninguém ou possua qualquer privilégio maior que os trabalhadores humildes que plantam nosso alimento, produzem, constroem e carregam no seu rosto as rugas do sol e que em seus olhos possuem o brilho das estrelas que abrem sonhos para uma nova humanidade. E eu sei que tudo que me deste me ajudou e muito a acertar na palavra, pois devo a ti a coragem - que em você talvez fosse muito maior do que em muitos outros - de erguer a voz e ousar contrariar o caminhar da boiada do mundo. E este meu discurso nos serve para expressar nosso amor, nossos valores e nossa fé no ser humano. Quem quiser entender que entenda. Quem não quiser que deixe assim. Que deixe disso ou que deixe de frescura. Nós estamos ai...estamos junto contigo...para sempre...muito obrigado...


Que meus parentes tenham conforto e fé no reencontro contigo na vida eterna!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário