domingo, 22 de janeiro de 2017

Indivíduo auto suficiente...Ilusões servis...

A ilusão do indivíduo serve bem ao serviço da exploração.

Mas tem um dia em que você descobre que não faz mais mesmo certas coisas sozinho. O limite de Nietzsche sempre é atingido na vida real. Ele tem este limite individual que foi bem demonstrado em sua própria vida. Quando olhamos a vida dele sempre percebemos que foi dependente de outras pessoas. Mãe, irmã, mulheres, amigos, pai morto, enfermeiras, médicos é que seu corpo repousou a sete palmos com a ajuda dos outros. Nosso mundo ocidental vive este tipo de mitologia do indivíduo, do caminhante solitário e do herói por si mesmo. Isso pode ser o caso em muito momentos, mas não é mesmo o caso o tempo todo e na vida inteira. Está ilusão do indivíduo acaba servindo na maior parte das vezes para tornar a vida mais difícil porque criar esta pretensão de prescindir dos outros e a julgar os outros desimportantes. É um erro brutal que deve ser combatido e criticado pelo bem de cada um e de todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário