domingo, 27 de novembro de 2016

DA EXPLORAÇÃO - REPLAY E REEDITADO

"Nunca foi preciso explicar a um trabalhador o que é exploração."

Jacques Ranciere


A exploração ele vê na hora. Ele sente como se sente o calor na pele. O trabalhador percebe através da dissimulação, do discurso, do volteio de corpo e de sua paga e da forma da sua paga exatamente quem está levando vantagem neste negócio. E o trabalho tem destas coisas...isso talvez explique porque tantos trabalhadores precisam aplacar em igrejas, templos, seitas, clubes, jogos, bares e diversões a sua raiva e seu ódio em relação aos exploradores e ao sistema de exploração. E, para mim, a parte pior disto deve ser quando um explorador pertenceu à sua mesma classe ou é teu próximo. E não dá para dizer certas coisas com um ar superior e julgando que elas justifiquem a tua posição de explorador ou os teus privilégios em relação aos demais. Este teu discurso nesse sentido expõe tua terrível pretensão de além de explorar o outro, procurar ludibriá-lo ou pior que isto ousar desrespeitá-lo. Quando escolhi minha profissão tive em mente a relação de exploração e de dominação de um homem sobre o outro e desejei profundamente não reproduzir este jogo, esta lógica e este sistema no qual estamos inseridos e muitos procuram com orgulho, ambição e muita vaidade este lugar superior aos demais, distintivo e confortável na cadeia econômica e política das relações sociais. Sou ainda um bom selvagem e só te digo uma coisa: calma lá, porque isto não significa que eu não saiba morder e mastigar este mundo e o pão amassado da vida. Não faça isto..PARE!

http://www.philomag.com/les-idees/entretiens/jacques-ranciere-il-ny-a-jamais-eu-besoin-dexpliquer-a-un-travailleur-ce-quest

Nenhum comentário:

Postar um comentário