sábado, 20 de agosto de 2016

DE CAÇADORES, JOGADORES DE XADREZ E ESPERTEZAS

Lembrando de uma velha lição de caçador de animais ferozes. Enquanto a caça não sabe que está sendo caçada tudo corre bem, porém se ela descobre isto pode ocorrer uma inversão de papéis e o caçador virar a caça e a caça passar a ser a caçadora. No xadrez ocorre algo um pouco diferente mas que tem um traço comum com isto. Dependendo das peças que você possui - se tens as brancas ou as pretas - terás uma vantagem enquanto seu adversário não for capaz de prever teus movimentos. Às vezes somos a caça e temos as pedras brancas, porém quando sabemos algo as coisas podem mudar e a desvantagem inicial pode ser revertida. Tudo isso - que também nem é tanto assim - e veio à mente vendo The Blacklist ontem, quando Reddington imagina encurralar Rostova ela lhe deixa uma lembrança de que ele também pode virar a caça e que sua vantagem inicial também pode ser revertida. Meu avô me mostrou isto em algumas jornadas de xadrez e de seus relatos sobre como certas coisas acontecem. Por isto mesmo alguns objetivos precisam ser secretos e algumas vantagens precisam ser escondidas, preservadas e protegidas. Minha revelação aqui poderá apenas deixar eminhocados aqueles que mal sabem em que posição estão. Mas não faço isto por gabolice ou algum senso de vantagem, apenas pela graça infinita desta situação que se reflete em tantos momentos de nossas vidas. É mesmo assim imagino ainda que a vida não é um jogo e nem uma aventura de ficção ou de exercício de espertezas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário