quinta-feira, 30 de junho de 2016

O TOTEM CAIU

Um amigo dizia - com exagero é claro - que eu conhecia ou conheço todos os índios da minha tribo.
Bem, a tribo é muito grande e ele nem falou das índias, ou dos indiozinhos e nem do velho índio ou o indião , como chamava me pai. Mas...em todo caso...
A tribo é uma só. Ainda que alguns não se reconheçam como parte dela e se achem diferentes.
Alguns bebem muita cachaça mesmo.
Outros acham que são donos de alguma coisa, de pessoas ou do mundo.
E ainda existem os iluminados que tudo sabem, tudo vêem e tudo entendem.
Os últimos precisam muito ser seguidos mesmo que não vejamos suas luzes, não tenhamos suas certezas, não acreditamos neles e nem vemos compreensão em suas palavras.
No final o que interessa mesmo é quem sabe caçar, quem sabe fazer fogo, cozinhar e vencer o inimigo externo.
Porém demora um pouquinho para entenderem isto depois que o cacique morreu, a grande mãe não existe mais e que o totem caiu.
Precisamos reconstruir nossas relações tribais com muito diálogo e menos bangornada, porque senão a tribo se divide e tudo se acaba.
O fogo já está aceso...


P.S.: Fiz ele pensando na esquerda, nos professores e em todos que lutam. E enviei para meus amigos e amigas que eu penso que entendem que educar, lutar e fazer política deve ser um ato amoroso e de achego e não a arte de matar, odiar, vencer ou destruir o teu próximo que é diferente de ti, mas que pertence a mesma tribo. Somos diferentes, mas precisamos sobreviver juntos, lutar juntos e compreender o papel de cada um no conjunto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário