sexta-feira, 17 de junho de 2016

CHE GUEVARA 88 ANOS - VANGUARDA, HEROÍSMO E A SOLIDÃO - 14 DE JUNHO DE 2016

(Para Vinicius Coelho, Eduardo Moraes Dudu, Jéssica Dias, Bruna Hadres, Joel Santana, Augusto Jung Pacheco, Giovan Gil, Eduarda Bonora Kern, Vinícius Santos, Diego Pacheco, Evandro Paixão, Gil Müller, Adriano Pires de Almeida, Sandro Della Mea Lima, Carolina Teixeira Lima, Isabella Fortes, Nice Passos, Mauira Schneider estes jovens* que se encontram intensamente nesta jornada)

Hoje de manhã num ônibus cheio de alunos e alunas indo para Porto Alegre aumentar a pressão na ALERGS, olhei eles cantando apaixonados e entusiasmados suas cantorias de luta e suas palavras de ordem, brincando e saltitando no ônibus, e eu estava com meu colega Ari Meneghini, e de repente iniciei um diálogo sobre vanguarda, minoria, sacrifícios e o tal heroísmo quase solitário. Solitário a tal ponto do próprio sujeito se ver como um Dom Quixote muitas vezes - e algumas vezes realmente tão solitário ao ponto de levar a um sacrifício singular e individual como ocorreu com Che Guevara. Não faço apologia do sacrifício e tendo a ser muito prudente em relação a isto porque pode levar apenas a uma tragédia ou ser um mero gesto insensato e absurdo. Penso sempre na vida daqueles que lutam por uma causa que atinge a todos, mas que nem todos reconhecem ou compreendem. Penso nisto porque as vezes fico me auto observando e me questionando se eu fui um idiota ou um trouxa como alguns dizem, se valeu a pena ou não e se sou de algum valor de fato ou sou mais um pretensioso apenas. E penso em meus companheiros e companheiras de jornada e caminhada também. Pensei em como nós ali e os alunos e alunas por ai, lutam por muitos, por milhares e por milhões, mesmo quando estes muitos, estes milhares e estes milhões não estão lutando junto, compreendendo junto ou se sacrificando junto por uma causa maior, por um idealismo, com certo altruísmo e solidariedade excessiva, ingênua, insensata e maluca para os ditos seres humanos "normais". Eu disse para meu querido colega: temos que compreender isto. O quanto somos raros, o quão difícil é as pessoas normais seguirem estes sujeitos raros e o fato corriqueiro até de que muitas vezes somos muito poucos lutando por uma causa que diz respeito a todos. Mas que acontecem muitas surpresas nestas caminhadas, porque em algumas situações raras também os tais sujeitos raros se multiplicam, como se multiplicaram nesta geração de jovens que hoje ocupam escolas, fazem marchas e andam aos milhares como irmãos de fé e camaradas em muitas cidades, estados e regiões do nosso país. E então lembrei de Che Guevara que também falava de sonhos - e são sonhos mesmo que alimentam estes jovens e nós - e que como John Lennon e muitos outros acreditava que uma atitude individual radical e decidida fazia muita diferença, poderia ser exemplo, poderia ser realidade se fosse compartilhada. E há algo de maravilhoso no gesto de um quando este gesto é reconhecido por milhões. Como o artista que encanta e que toca o coração, este gesto toca a consciência e, então, este um passa a ser muitos, passa logo a ser milhares e passa a ser milhões. Uma etapa desta jornada hoje teve um desfecho estadual, mas muitas outras virão e não se surpreendam aqueles que não compreenderem agora. Pois um dia compreenderão. Onde está o segredo? Só na convicção, na grandiosa esperança de vitória, no sentimento de que sempre vale a pena e na visão daquilo que muitos não vêem e que só os grandes líderes e as grandes líderes avistam, mesmo num pequeno momento de solidão, no risco que correm de serem sacrificados pela covardia ou pela mera incompreensão de seus pares - e muitos foram -, mas também pela capacidade de exprimir pela palavra uma mensagem que ultrapassa seus egos, ultrapassa suas individualidades e atinge a coletividade de forma muito precisa e transformadora. E na cadeia sucessória que nos espanta e que nos surpreende, muito poucos sabem ultrapassar a solidão ou a abordagem apequenada que é cega para esta grandeza e generosidade. O heroísmo ganha outra perspectiva quando é compartilhado na luta por milhares. Viva a nova geração de jovens brasileiros e gaúchos que vão fazer a roda da história gerar. E que aqueles que ainda não entenderam ainda passem a prestar mais atenção, a respeitar mais e dêem licença, porque O NOVO SEMPRE VEM! E agora veio!

P.S.: Lamento muito que o PDT - um partido que deveria estar atento de fato, na prática e teoricamente - tenha se interposto a este processo e dê sustentação para o ataque terrível que os educadores e estudantes do RS sofrem com este condomínio de PMDB, PSB, PP, PSD, PSDB e outros promovem contra a educação pública, contra os direitos dos trabalhadores e contra esta maravilhosa juventude.


*Alguns jovens de espírito..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário