domingo, 22 de maio de 2016

DAS OCUPAÇÕES DE ESCOLAS NO RS

Já tinha percebido isto nas primeiras ocupações pelo Brasil no ano passado. Trata-se de uma nova forma de defender a coisa pública, o espaço público e a política pública. E na educação gera um constrangimento interessante que vai dividir a nossa categoria entre quem entende e está apto a dialogar com os jovens, educá-los e estar com eles e simplesmente quem já era, porque não entendeu que esta defesa da educação é séria e não é de brincadeira e nem uma aventura. Se o professor não topa defender a educação por conta de seus interesses o aluno vai lá e faz. O que os professores que não fazem greve deveriam entender que ao não fazer a luta em defesa da educação os alunos tomam a frente e o fazem. E aqui na nossa região do VS por enquanto está moderado até, mas pode aumentar e muito, de tal modo que esta divisão primeiramente aludida possa se acirrar. A parte boa é que com uma greve de estudantes ou com ocupações de alunos o governo sequer pode pensar em punir os educadores, perseguir os educadores ou criminalizar eles. Na insurreição popular contra o desgoverno, a autoridade máxima é o povo e o povo aí são os jovens. Só para refletir....um pouco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário