sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

DA GENEROSIDADE´

DA GENEROSIDADE´

"É somente a história de nossas generosidades que torna este mundo tolerável. Não fosse por isso, pelos efeitos de palavras generosas, olhares generosos, cartas generosas...eu me sentiria inclinado a imaginar que nossa vida é uma peça que nos pregaram com o pior gosto possível."

Robert Louis Stevenson

Encaixa perfeitamente no que eu estava pensando sobre nossa humanidade e nossas vidas em comum. E também no fato de que deveria haver alguma coisa que tornasse tudo que vemos, ouvimos, sofremos e fazemos e vivemos suportável. A generosidade que Stevenson parece apontar ai é algo identificável que parte de endereço certo e n[os sabemos todos o seu valor sim. E,além disso, há para mim uma outra generosidade, esta pequena generosidade cotidiana que acontece aqui e ali ao longo dos dias, a generosidade de anônimos, a generosidade que não diz seu nome nem assina no final, a generosidade que muitas vezes parece oculta em um juízo ou decisão, aquela generosidade que permeia um juízo ou decisão coletiva que leva a um conceito generoso e esperançoso. Sim, eu imagino que ela deva aparecer até mesmo em pleitos eleitorais, quando as pessoas em sua maioria guiam seus juízos por algo deste tipo. E esta generosidade me parece ser fundamental para a aplicação de algo como um princípio de correção e justiça, adequação e cuidado, com os outros e com valores, com vidas e humores, e é o que me parece dar alento, certo fôlego repentino à nossa gigantesca esperança de um mundo melhor. Avançando na metáfora aqui: nós parecemos seres em um oceano que antes de sermos completamente afogados e nos perdermos nas profundezas do mar, recebemos um sopro de ar e de vida que nos faz continuara nadar e procurar uma direção para nossas vidas.

Bom Dia, para aqueles que ainda tem generosidade e esperanças!

Obs.: a citação de Stevenson encontra-se em JAMISON, Kay Redfield. Mentes Inquietas, p. 174. op. cit. outros dias por aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário