quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

ADÁGIO DA SORTE MORAL



Vou usar um adágio aqui: são uns caras que não aproveitam sua boa sorte moral para continuar na moral...isso vale para todos que possuem boas oportunidades, ocasiões e certas vantagens, mas que, entretanto, para decepção dos seus observadores, acabam por, apesar desta sorte, se desencaminhar na conduta e no caráter...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

LEMBRANDO O PRISIONEIRO - 18/02/2012

Hoje aconteceu algo muito legal que me provocou de novo a retomar o estudo do prisioneiro em filosofia e literatura, ou seja, como o pensamento filosófico e humano se isola do mundo circundante com o propósito de compreendê-lo e perde-se em si mesmo...as vezes em divagações e fantasias...e em outras vezes em construções de projetos e idealizações sobre a realidade....problemas de base: a linguagem, a percepção de si e do mundo, a conexão com as outras mentes e as relações de compreensão com outros indivíduos...por fim....os desejos e as necessidades....ha ha ha...estavam pensando que iríamos lidar só com idéias...nunca se esqueça que o pensamento surge e confronta-se sempre com a experiência e que não há nenhuma experiência mais marcante do aquela em que se realizam os desejos ou em que se satisfazem as necessidades...sejam elas quais forem...hoje é carnaval não me leve a mal....

SOBRE O RELATÓRIO DA CPI DO IAPS DE SÃO LEOPOLDO

Os vereadores aprovaram por maioria simples o encaminhamento do Relatório da CPI do IAPS ao Ministério Público. O argumento que usaram para isto tem a fragilidade e a insegurança mais notável possível. Encaminham voto favorável ao parecer por insegurança quanto aos fatos denunciados pelo relator, ou seja, invertem o adágio causídico mais tradicional que conhecemos in dúbio pro réu, fazendo, na dúvida, a denúncia. Isso mostra a clara intenção política de promoção de Vendetta contra o ex-prefeito Ary Vanazzi.  
 
A categoria da denúncia, também, fica absolutamente prejudicada pelo fato de que o governo que o Relator defende faz as mesmas coisas e outras piores que o governo que ele quer denunciar.

Veja-se bem que os Regimes próprios de previdência, no nosso caso o IAPS, tem três esferas legais e de competência de fiscalização: Conselho Previdenciário; Tribunal de Contas e Ministério da Previdência. Nenhum destes três encontrou qualquer irregularidade no período de 2005 a 2012 que ensejasse a responsabilidade direta do Prefeito e dos Diretores. Este é mais um argumento. Inclusive em face das denúncias da "cosa nostra" houve uma auditoria especial do Tribunal de Contas no IAPS e nada foi apurado. Tanto que todos os diretores possuem certidões negativas de irregularidades e ou financeira junto ao TCE. Estes documentos foram juntados na CPI e não valorados. Outra situação é que não se pode examinar gestões anteriores sem examinar também a atual.  

É uma contestação irrefutável

Até pelo critério de competência técnica e legal.

Significa que a CPI é só um artifício político.

A CPI do IAPS e do Lixo, portanto, tem vício de origem, tem intenção explicita de encobrir e distorcer fatos e tiveram como único objetivo desviar o foco da CPI das Finanças Públicas  que apurou diversas irregularidades na atua gestão municipal.

Isso é política e moralmente vergonhoso também. Em parte, porque é só mais um ataque covarde e cínico ao Vanazzi - que faz parte do que tenho chamado de a lógica do queima ele -, de outra parte porque foi aprovado com apoio de pessoas que se beneficiaram politicamente do governo Vanazzi para estarem na posição que ocupam hoje na câmara de vereadores. E daí temos um problema de caráter e lealdade mínimas que na política de São Leopoldo parece fazer escola e cobrar nossa reflexão e mudança cultural.

A turma do vale tudo pelo poder precisa ser enfrentada pelas pessoas. Porque esta é a lógica covarde do cara que bate em mulher, faz falsas denúncias para se promover, engana os eleitores, e a mesma lógica do assassino e dos políticos inescrupulosos: QUEIMA ELE!

Eles não vencem eleições ou conquistam eleitores porque tem propostas, responsabilidade, compromissos, mas simplesmente porque fazem uma política do ódio, da vendetta, da raiva, da vingança, da fofoca, maledicência e etc. Não é nada difícil identificar este tipo de conduta e caráter que tanto mal já fez à nossa cidade.

A LÓGICA DO QUEIMA ELE - O RIO GRANDE DO SUL VIVE SEU PIOR MOMENTO POLÍTICO E ADMINISTRATIVO COM SARTORI

O governador demitiu o delegado que dirigia a polícia porque este cobrou as nomeações dos policiais e brigadianos concursados e também o retorno das horas extras para garantir a cobertura e proteção dos cidadãos, ao ver os dados de aumento de criminalidade em todo o estado. Não adianta demitir chefe de polícia e não dar os meios para que a polícia consiga trabalhar com eficiência e qualidade. No ano passado com o absurdo no atraso dos servidores e a humilhação sofrida o mundo do crime só faltou dizer que ia atacar parcelado e que a crise é culpa dos outros. A situação é grave em todos os setores do serviço público estadual, mas fica gritante com a polícia aquilo que tem impacto também na educação e na saúde, porque os resultados aparecem diretamente em indicadores de violência, crime, assassinatos por falta de proteção e segurança no estado. É preciso reconhecer que a policia esta desmotivada, sem recursos para trabalhar, sem efetivo, as promoções foram atrasadas, as horas extras não estão sendo pagas, e o governo está pensando que trocando o chefe de policia, o novo vai tirar da cartola um coelho e resolver o problema da segurança publica?

P.S. A LÓGICA DO QUEIMA ELE TAMBÉM NOS LEVOU A ISTO

A FLOR QUER TE DIZER ALGUMA COISA



Olá, sou uma flor. Provavelmente você nunca conversou com uma flor, mas fique sabendo que eu também nunca conversei com um humano. Mas hoje tive vontade de dizer algumas coisas, enquanto era carregada por estas mãos gentis, para minha futura dona. Fui adquirida e escolhida, em meio a diversas outras espécies, para presentear uma familiar da minha atual dona. Sou agora um presente de aniversário. Quem tirou esta minha foto ficou tirando fotos de mim até achar esta que ele achou legal. É esta então minha primeira foto e estas são minhas primeiras palavras. Isso para mim não é tão comum assim. Minha espécie e meu filo recebem muitas deferências, tiram muitas fotos da gente, nos manipulam e nos levam para lá e para cá, mas dificilmente falamos. Aliás, não há notícias sobre tal proeza conhecidas em nosso mundo vegetal. Salvo alguns desenhos e fantasias exageradas. O máximo que eu faço é levar minha vida, no tempo que ela existe, na duração que ela tem. Sou impermanente. Na verdade, veja bem sou parte de uma outra vida. Sou parte de uma planta ou de um vegetal. A minha maior honra é saber que somos chamados de um reino e que este reino é o da flora. Assim, devo ser importante. Assim como você que é humano. Eu floresço e desapareço e ai vem outra flor e floresce no meu lugar ou ao meu lado. Com o tempo, mesmo minha planta, desaparece e ai uma irmã dela ou parente - poderíamos dizer assim? você deixa eu me expressar assim? pode ser? - aparece ao lado, se assim lhe for permitido pelo jardineiro ou jardineira ou pelos animais. Talvez você não saiba, mas existem milhares de flores como eu que nunca viram um ser humano como você e só conhecem ou tem experiências de outros animais e outras plantas. Muitas experiências interessantes poderiam ser narradas aqui. Vou ficar só nas boas. Nós também nos damos muito bem com os minerais. Porque eles ficam ali no lugar deles, na deles, por assim dizer. Bem, eu vim aqui dizer para você que me acha bela você aproveite sua vida, no tempo que ela durar, porque um dia você também vai desaparecer e seu retrato vai ficar, seu selfie vai ficar, mas aquilo que deve ser mais belo de você seu movimento, sua animação, suas cores, peles, brilhos e graças vão desaparecer. Então, enquanto você olha para mim e me acha bela lembre-se que você é bela ou belo também e que enquanto houver alguém que te admira e que fica feliz contigo talvez faça algum sentido estar aqui. Cresça, floresça e apareça em todo seu ser. Este é o melhor conselho que eu posso te dar. Amanhã, depois de amanhã e daqui a muito tempo outros estarão no seu lugar ou no meu lugar e daí será a vez deles fazerem ou não outras pessoas, flores, animais, minerais felizes. Te mando um perfume imaginário para que penses o quanto minha cor expressa em silêncio meu ser.

SOBRE OS ADOLESCENTES E A FILOSOFIA - PRELIMINAR


Eu defendo compatibilizar as três formas de abordagens.

Não se pode perder de vista o quadro histórico, a temática e os textos clássicos.

Organizar isto e equilibrar isto é a tarefa do professor e professora.

Aliás, tento fazer isto em sala de aula.

O que deve ser bem diferente de mandar fazer o defender que se faça isto ou aquilo.

E creio que quanto mais próximo disto se chegar, quanto maior o equilíbrio entre estas três funções e finalidades, melhor o professor e mais séria a lição.

Entendo todos que defendem esta ou aquela abordagem por predileção conceitual ou por adesão teórica, mas penso assim e creio também que ganharíamos muito se nos dedicamos a discutir estes três temas ou funções com mais profundidade e acabando com esta falsa disputa de método e concepção filosófica.

Não creio que teremos algum ganho discutindo no ensino de filosofia concepções formalistas, historicistas ou de exegese literárias.

São concepções que representam tarefas bem importantes na compreensão da filosofia.
Lecionou 20 anos já e a cada ano que passa vejo melhoras, encontros soluções e saio deste debate que para mim é pura retórica de academia.

Ainda que respeite os apaixonados por um método ou outro observo que todos os professores que eu tive de certa forma adotavam uma abordagem que privilegiava tanto compreensão quanto crítica dos textos.

No primeiro eixo temos que situar, relacionar e contextualizar o pensamento, as idéias e os autores, já no segundo procurar ir além, superar ou avançar na reflexão apesar ou a partir deles.

E é bem interessante olhar por que exemplo os programas de ensino em outros países, em especial, na França.

Ao meu ver, a filosofia deve ser ensinada para todos, mas não serão todos que vão avançar nela, como aliás ocorre com qualquer área do conhecimento na escola que ousa ir para além do básico.

Noto que há muita discussão puxando para um lado ou outro como se a síntese fosse impossível.

Penso que podemos avançar mais aqui.


OBS.: Este texto é uma pequena colecta de frases e respostas que escrevi sobre um artigo de Vladimir Safatle sobre a Filosofia e os Adolescentes de 2013.

DA GENEROSIDADE´

DA GENEROSIDADE´

"É somente a história de nossas generosidades que torna este mundo tolerável. Não fosse por isso, pelos efeitos de palavras generosas, olhares generosos, cartas generosas...eu me sentiria inclinado a imaginar que nossa vida é uma peça que nos pregaram com o pior gosto possível."

Robert Louis Stevenson

Encaixa perfeitamente no que eu estava pensando sobre nossa humanidade e nossas vidas em comum. E também no fato de que deveria haver alguma coisa que tornasse tudo que vemos, ouvimos, sofremos e fazemos e vivemos suportável. A generosidade que Stevenson parece apontar ai é algo identificável que parte de endereço certo e n[os sabemos todos o seu valor sim. E,além disso, há para mim uma outra generosidade, esta pequena generosidade cotidiana que acontece aqui e ali ao longo dos dias, a generosidade de anônimos, a generosidade que não diz seu nome nem assina no final, a generosidade que muitas vezes parece oculta em um juízo ou decisão, aquela generosidade que permeia um juízo ou decisão coletiva que leva a um conceito generoso e esperançoso. Sim, eu imagino que ela deva aparecer até mesmo em pleitos eleitorais, quando as pessoas em sua maioria guiam seus juízos por algo deste tipo. E esta generosidade me parece ser fundamental para a aplicação de algo como um princípio de correção e justiça, adequação e cuidado, com os outros e com valores, com vidas e humores, e é o que me parece dar alento, certo fôlego repentino à nossa gigantesca esperança de um mundo melhor. Avançando na metáfora aqui: nós parecemos seres em um oceano que antes de sermos completamente afogados e nos perdermos nas profundezas do mar, recebemos um sopro de ar e de vida que nos faz continuara nadar e procurar uma direção para nossas vidas.

Bom Dia, para aqueles que ainda tem generosidade e esperanças!

Obs.: a citação de Stevenson encontra-se em JAMISON, Kay Redfield. Mentes Inquietas, p. 174. op. cit. outros dias por aqui.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

ENCONTRO DE PERSONALIDADES: COMENTÁRIO A IDEIA DE JUNG

“O encontro de duas personalidades é como o contato de duas substâncias químicas: se houver alguma reação, ambas são transformadas.”

Carl Jung


Absolutamente perfeito! Se entendemos em sentido bem geral é simples, mas especificamente - em situações especiais e extraordinárias, tem duas ou três coisas adicionais aqui. Ainda que todos os encontros gerem reações, alguns geram reações maiores e transformações maiores. Como os elementos químicos, algumas combinações são poderosas e tem grande potencial, já outras nem tanto. O conceito de personalidade de Jung é também muito poderoso, no sentido de que duas personalidades são duas pessoas de grande caráter, capacidade e que tem seu self ou sua personalidade total com dinâmica articulada e que consegue produzir ações, relações e ideias em relação ao mundo, às pessoas e aos sistemas de pensamento com alta. O tipo de reação gerada vai envolver então todas as dimensões das personalidades em jogo, tanto a consciência, o inconsciente individual, o inconsciente coletivo, quanto a sombra que contém o desafio moral do indivíduo para o seu desenvolvimento. Neste sentido a personalidade total que ultrapassa nossa matriz analítica de pensamento é parte fundamental desta química. Para alguns isso é uma mística. Eu gosto de dizer que neste caso temos algo que vai para além do verdadeiro e do falso, mas que assume um caráter quase mágico, mas cuja dependência fundamental da intencionalidade do individuo - ou dos indivíduos em jogo - produz o efeito transformador que sempre é visível para aqueles que estão numa perspectiva de observadores. Aqui eu anoto que talvez uma das mais maravilhosas conseqüências é que as pessoas ou personalidades sob este efeito transformador param de fazer mágica somente para si mesmas e é exatamente isto que nos fascina em algumas pessoas - cujo duplo ou par pode ser revelado ou escondido - mas que como que desabrocham. Eu não recusaria a hipótese de que muitas acmes filosóficas foram resultados destes tipos de encontros. Em Sócrates me parece muito evidente - mesmo com a distância de séculos e com toda a poeira do tempo de hoje até o século V a.C. - que Xantipa teve o papel transformador. Mas temos muito mais exemplos. Eu disse uma vez para uma pessoa que eu imaginava que ela tinha uma chave especial para abrir algo que era muito meu e que seu poder transformador me atordoava ao ponto de me sentir dependente dela naquela passagem que vivíamos. Mas é o caso com muitas pessoas e grupos isto também ocorre quando elas deixam as relações e a criatividade, as possibilidades e energias fluírem e quando os propósitos comuns são positivos os resultados são transformadores também. Times, bandas, conjuntos, grupos, entidades, organizações, partidos e famílias dependem disto e de dar condições para isto. Eu já tinha escrito sobre esta química específica e quando li tua postagem e citação me impressionei que Jung também havia expresso algo parecido. Isso é mais do que perfeito, porque esta combinação também gera resultados superiores, belos, bons e ótimos.

SOBRE O RELATÓRIO DA CPI DO IAPS - INSTITUTO DE APOSENTADORIAS E PENSÕES DE SÃO LEOPOLDO

Os vereadores aprovaram ontem por maioria simples o encaminhamento do Relatório da CPI do IAPS ao Ministério Público. O argumento que usaram para isto tem a fragilidade e a insegurança mais notável possível. Encaminham voto favorável ao parecer por insegurança quanto aos fatos denunciados pelo relator, ou seja, invertem o adágio causídico mais tradicional que conhecemos in dúbio pro réu, fazendo, na dúvida, a denúncia. Isso mostra a clara intenção política de promoção de Vendetta contra o ex-prefeito Ary Vanazzi. 
  
A categoria da denúncia, também, fica absolutamente prejudicada pelo fato de que o governo que o Relator defende faz as mesmas coisas e outras piores que o governo que ele quer denunciar.

Veja-se bem que os Regimes próprios de previdência, no nosso caso o IAPS, tem três esferas legais e de competência de fiscalização: Conselho Previdenciário; Tribunal de Contas e Ministério da Previdência. Nenhum destes três encontrou qualquer irregularidade no período de 2005 a 2012 que ensejasse a responsabilidade direta do Prefeito e dos Diretores. Este é mais um argumento. Inclusive em face das denúncias da "cosa nostra" houve uma auditoria especial do Tribunal de Contas no IAPS e nada foi apurado. Tanto que todos os diretores possuem certidões negativas de irregularidades e ou financeira junto ao TCE. Estes documentos foram juntados na CPI e não valorados. Outra situação é que não se pode examinar gestões anteriores sem examinar também a atual.  

É uma contestação irrefutável

Até pelo critério de competência técnica e legal.

Significa que a CPI é só um artifício político.

X X X X X

A CPI do IAPS e do Lixo, portanto, tem vício de origem, tem intenção explicita de encobrir e distorcer fatos e tiveram como único objetivo desviar o foco da CPI das Finanças Públicas  que apurou diversas irregularidades na atua gestão municipal.

Isso é política e moralmente vergonhoso também. Em parte, porque é só mais um ataque covarde e cínico ao Vanazzi - que faz parte do que tenho chamado de a lógica do queima ele -, de outra parte porque foi aprovado com apoio de pessoas que se beneficiaram politicamente do governo Vanazzi para estarem na posição que ocupam hoje na câmara de vereadores. E daí temos um problema de caráter e lealdade mínimas que na política de São Leopoldo parece fazer escola e cobrar nossa reflexão e mudança cultural.

A turma do vale tudo pelo poder precisa ser enfrentada pelas pessoas. Porque esta é a lógica covarde do cara que bate em mulher, faz falsas denúncias para se promover, engana os eleitores, e a mesma lógica do assassino e dos políticos inescrupulosos: QUEIMA ELE!


Eles não vencem eleições ou conquistam eleitores porque tem propostas, responsabilidade, compromissos, mas simplesmente porque fazem uma política do ódio, da vendetta, da raiva, da vingança, da fofoca, maledicência e etc. Não é nada difícil identificar este tipo de conduta e caráter que tanto mal já fez à nossa cidade.

A LÓGICA DO QUEIMA ELE - O RIO GRANDE DO SUL VIVE SEU PIOR MOMENTO POLÍTICO E ADMINISTRATIVO COM SARTORI

O governador demitiu o delegado que dirigia a polícia porque este cobrou as nomeações dos policiais e brigadianos concursados e também o retorno das horas extras para garantir a cobertura e proteção dos cidadãos, ao ver os dados de aumento de criminalidade em todo o estado. Não adianta demitir chefe de polícia e não dar os meios para que a polícia consiga trabalhar com eficiência e qualidade. No ano passado com o absurdo no atraso dos servidores e a humilhação sofrida o mundo do crime só faltou dizer que ia atacar parcelado e que a crise é culpa dos outros. A situação é grave em todos os setores do serviço público estadual, mas fica gritante com a polícia aquilo que tem impacto também na educação e na saúde, porque os resultados aparecem diretamente em indicadores de violência, crime, assassinatos por falta de proteção e segurança no estado. É preciso reconhecer que a policia esta desmotivada, sem recursos para trabalhar, sem efetivo, as promoções foram atrasadas, as horas extras não estão sendo pagas, e o governo está pensando que trocando o chefe de policia, o novo vai tirar da cartola um coelho e resolver o problema da segurança publica?

RETOMANDO ALGUNS DEBATES POLÍTICOS

Hoje retomo minhas publicações com posicionamentos, interpretações e críticas políticas. Sou militante pelo PT e no PT desde menino e tenho muita dificuldade para não me posicionar em assuntos que dizem respeito a sociedade e ao mundo, a vida das pessoas e da nossa espécie. Durante certo tempo que eu vivi foi preciso obter espaços para dizer o que se pensa e emitir opinião. Hoje este espaço é franqueado aqui. Este franqueamento permite que muitas vozes sejam expressas, mas também que haja confronto e contestação com argumentos ou simples negações. Isso é bem importante porque pode nos ajudar a fazer algo melhorar com a ressonância, provocação e multiplicação de diversas vozes sobre certos temas. Não tenho ilusões sobre o poder das redes sociais ou de nossas postagens, mas creio que aqui ou ali elas disseminam certas reflexões que podem nos ajudar a superar a crise política e social que vivemos no Brasil hoje e que é resultado da reação a certas políticas públicas. Começo hoje com um tema que creio ser importante para a política, a nossa vida e também para diversas situações. Percebi, refletindo sobre a necessidade de recuperar um Ethos cultural no nosso partido político que completou 36 anos ontem, a necessidade de se abandonar velhas armas, nos termos de um grande intérprete do PT, não fazer mais as mesmas coisas se se quer resultados diferentes e também sobre o que se generaliza no Brasil, no RS e em SL. A violência e virulência dos debates políticos acompanha o aumento da criminalidade e para mim isto tem uma relação direta com o que chamava antes de absolutismo que é esta tendencia autoritária entranhada na cultura brasileira, como que chamo agora a LÓGICA DO QUEIMA ELE. Espero que muitos reflitam sobre o caráter pernicioso e terrível desta lógica tanto na criminalidade como nas lides políticas. Um abraço amigos!  

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

PORQUE NÃO RESPONDER A OFENSAS DE REAÇAS NO FACEBOOK

Deixa eu te dizer uma coisa que eu saquei. Fiz um balanço sobre estas pessoas. Eu respeito muitos que pensam diferente de mime que são capazes de superar o modelo que eu sigo adiante. Mas presta atenção. Algumas destas pessoas são justamente aquelas pessoas que jamais sentariam em um bar para conversar com a gente, não puxariam conversa no ônibus, sequer te cumprimentam na rua e muitas vezes te olham como se você fosse um ET. São seus amigos ou conhecidos aqui meio que por interesse deles mesmos. Provavelmente nem foi você que pediu amizade e foste gentil em aceitá-los. E olha que eu sei que devo ser bem humilde pois jamais vou me esquecer quem eu sou e que vida real eu vivo. Eu sei muito bem que dependo das outras pessoas para ser feliz. Admito isto tranquilamente. Nunca fui ignorante ou nojentão. Eventualmente eu fui radical, com certeza mais apaixonado por ideias e ideais do que a média. Mas gosto de gente e gosto de tratar bem as pessoas, gosto de um bem querer, quero bem e gosto muito de ser bem querido e bem tratado. Mas, veja bem, estas pessoas são justamente aquelas que você pode deixar de dar trela porque vai machucar a vaidade delas. Elas ficam mais brabas quando você não responde a ofensa ou provocação, podes ter certeza disto. Porque na cabeça delas fica uma espécie de nuvem da desconsideração e da nossa indiferença à opinião delas. E isso doi na vaidade delas. Elas já tem uma ferida narcísica razoável, agora imagina se elas desconfiam que no fundo a gente nem está ai para eles, pois são apenas uns chatos e burros de marca maior que agora tem isso aqui para dizer suas platitudes e toicisses. Só isso. Então, como dizia meu pai: isola, ignora e tira o time, porque eles não são a nossa turma, nem serão da nossa turma. Jamais vão jogar nossos jogo e sequer sentir o prazer que nós sentimos ao mudar para melhor a vida de algumas pessoas, quando não milhares como a gente já fez de alguma forma nesta nossa ainda curtinha passagem nesta vida. Eu sou feliz. Tenho convicção e amo de paixão as lutas que já travei e as lutas que ainda vou travar para mudar este mundo de alguma forma.


OBS. O outro motivo é que apesar deles existirem não tem como curar o déficit cognitivo deles com argumentação ou tentando persuadir algum deles de que estão errados. Não rola...para não falar em dificuldades de produzir um raciocínio moral em termos superiores de Kohlberg, com universalidade e equanimidade..E olha que eu não estou falando em competências discursivas, mas apenas em acervo ou capital cultural, cognição da realidade histórica e econômica e moralidade.Então, eu não dou muita trela...e, em geral, deixo eles se exibirem e todos acabam da mesma forma ofendendo e se servindo sofismas ou de argumentos ad hominem...

SONHOS DE ARISTÓTELES - CONSIDERAÇÃO DE 8 DE FEVEREIRO DE 2014

Também andei sonhando com velhas investigações sobre o NOUS em Aristóteles, algumas bobinhas de acadêmico viajandão, outras nem tanto...

E me lembro das estatísticas 90% Aristóteles e 5% no Segundo Wittgenstein e dou de ombros...aff....

Olho pela janela e fico pensando nas minhas iniciativas agora. Após meu encantamento com Platão no ano que passou, volto a pensar como quase sempre na diferença entre o que pode ser revelado e o que não pode ser expresso, entre o que pode ser dito e o que pode apenas ser mostrado.

Minha compreensão parece estar se desembaralhando de anos de devaneios, sonhos, ilusões, enganos, fantasias.

Mas porque agora?

O tempo da ação e do pensamento parecem ter se encontrado numa transversal...

Em meio a isso os dois maiores Aristotélicos que conheci me aparecem em sonhos...

Um deles parece quebrar a cara tragicamente em uma escada indescritível - Escher é pouco - uma escalada em busca da sala de aulas - mas nenhum deles é meu professor ou colega mais - em que o sonho me mostra e reapresenta basicamente a pergunta:

PORQUE OS FILÓSOFOS RESOLVEM TOMAR O CAMINHO MAIS DIFÍCIL ENTRE UM PONTO E OUTRO?

Só pode ser porque este é o único caminho que eles vislumbraram...

Não creio que tenha sido por tolice ou delírio....

Daí eu acordei e fui direto fazer umas buscas e recapitulei meio que de memória meus cadernos de notas de 1992 a 1996.

Em uma tragédia um ou outro sobrevive não pela sorte, mas pela confiança no próximo e em si mesmo...

E as vezes andar ao lado é melhor que andar na frente ou atrás em uma longa caminhada...


Mas é preciso andar com calma, muita calma, a maior possibilidade de engano está nas coisas mais simples pelo caminho...

P.S. provavelmente meus primeiros diálogos filosófico foram com Carmem Schroeder R.I.P. ( Caia). 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

SIM MEU AMIGO

O mundo inteiro em chamas e algumas pessoas procurando medalha por bom comportamento e querendo que as coisas fiquem nos seus devidos lugares. Dá para entender a neurose que explode por ai...

NEAL CASSIDY – 08/02/1926 – 04/02/1968

Ele com certeza é o espírito beat em pessoa...mas vivia numa espiral de emoções completamente avassaladora e incontrolável..eu entendo ele, eu admiro ele e sei que absolutamente nada do que ele fez foi pecado ou maldade.. teve a coragem radical de ser livre, apenas isso...e Jack conseguiu de alguma forma colocar isso no papel, em palavras e em um texto...é quase um novo evangelho, mas não serve para crentes, serve para aqueles que não tem fé, mas tem amor, sentimento e inspiração para viver seus sonhos, fantasias e esta vida sobre a qual nenhum julgamento lhe é superior ou completo!

SOBRE UM DIA NORMAL

Não sabemos bem como classificar esta narrativa acima. Mas podemos ver algumas hipóteses a respeito disto. E nem todas hipóteses, é claro, serão arroladas aqui. Por exemplo, para começar, quando esta pessoa usa a figura de seu pai em uma analogia entre a escada assassina e o dia normal, pareceria que ele estivesse repetindo aqui mais uma vez uma satisfação de um impulso maníaco ou prolongando da sua relação com seu pai falecido como forma de sustentar o acesso aos seus velhos hábitos de menino e às suas referências recorrentes. E a analogia entre um dia normal é a a escada assassina nos deveria levar para um dia normal e assassino, mas isto não faz sentido algum para nós. Por outro lado, ele também pode estar com uma grande expectativa – de vida ou morte, ascenção  ou queda - em relação a determinado acontecimento e, por tal motivo, estar criando este ambiente ou espaço para tal acontecimento. Pode também, enfim, como a maioria das pessoas sensatas reflete sobre tal situação, estar apenas pensando em bobagens. O que lhe ocorre recorrentemente quando está mais uma vez, entre outras tantas, simplesmente desocupado. Ou, por fim, para não enfastiar o leitor casual aqui, está na verdade a cerzir uma narrativa preparatória ou introdutória a um grande acontecimento que quer nos contar, mas não sabe bem por onde começar.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

AQUELE DIA NORMAL

AQUELE DIA NORMAL
Hoje tá um dia pacato e tranquilo. É o típico dia perigoso na expressão do meu pai para todas as escadas. Ele dizia simplesmente que todas as escadas eram perigosas. Por isso, em seguida, ao se referir a elas dizia escada assassina. O que há de comum entre um dia como hoje e a escada assassina é que parece mesmo que nada vai acontecer. Entretanto... É em dias assim que as coisas acontecem. Podes crer. E não precisa ter muita experiência ou literatura para saber disto. Aliás, não é algo que se sabe. É algo que se sente no ar. Parece que está tudo esperando os acontecimentos. Aguardando a entrada em cena no segundo ato da chave de um drama. Até as pausas entre os cantos dos pássaros, latidos dos cachorros, canto do galo, marretadas do pedreiro, vãos entre os carros parecem aguardar a entrada de algo especial. De um solo de clarineta, de um trompete enlouquecido, uma guitarra flamejante, a voz de um barítono apaixonado ou de uma soprano em desespero de causa, um ataque célere e decisivo sobre o mundo e tudo que há. Um acontecimento propício, um grito de prazer e nada mais volta ao normal, nada mais será como foi um dia...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

BOA É A SOMBRA - UMA BRINCADEIRA DE RESTOS DE IMAGENS

BOA É A SOMBRA

Onde o calor não chega e o frio dá passagem
Sopra um vento que mantem tudo igual

Onde o tigre descansa e a água refresca
A brisa chega e fica

Onde o macaco dança e o fogo faz luz
As estrelas aparecem em cordões

Onde o coelho dorme e a a terra geme
A montanha dá a face e esconde sua mão

Onde o Dragão se esconde e a faca é cega
O vale sorri porque chegou a graça

Boa é a sombra
Que faz miragem

Boa é a sombra
Que guarda a pesca

Boa é a sombra
Que nos abriga