sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

CHOMSKI OBJETO COMPLEXO

"Como você pode entender um objeto muito complexo?
Se conseguir compreender alguma parte dele, isso já é impressionante"

CHOMSKY, 2014, p. 39.(In: Ciência da Linguagem.)

Eu creio que esta expressão deve ocorrer em um contexto muito específico dele. Porém, deslocada dele ela traz uma espécie de suspensão da nossa ambição de totalidade e de abordagem completa das coisas como se fossemos capazes de um máximo de análise e sistematicidade sobre qualquer objeto complexo. E é bom ler isso, para ir com calma e valorizar muito cada coisa que compreendemos deste objeto como uma grande conquista.


P.S. .a modéstia é sim uma espécie de resultado ou resíduo da leitura da expressão. Veja agora que as conjecturas sobre o todo eu creio que neste caso talvez até apareçam no contexto da teoria do Chomski. Mas, devo dizer também, sem parecer aqui adorniano, mas confessando a dica e a fonte dela, a ideia principal é que o sujeito não esgota o conhecimento do objeto, este objeto complexo como se houvesse uma base única e uma análise definitiva do mesmo. Precisa de mais categorias e deve ir devagar, com muita paciência, pois avançar no conhecimento também não depende da sua vontade ou dedicação e determinação. Este objeto aqui não é a coisa em si do Kant, mas também oferece uma espécie de limite na aplicação de nossas categorias e na subsunção de nossos esquemas conceituais. Inventa-se novos métodos, metros, graus de conceitos e descrições ( o exemplo do Pentaquark vem a calhar aqui, descoberta uma nova coisa que é um estado da matéria sob determinada observação). Assim, o conhecimento do objeto avança com um novo objeto, ou um objeto sob nova descrição e à medida que nosso conhecimento avança temos novas proposições sobre ele(novos aspectos e sentidos - gosto aqui de usar as proposições elementares)  e também descobrimos que  a parte que era vista como um detalhe pode ser apenas mais um objeto novo. E o todo fica então mais distante ainda, salvo se formos usar a tábua esmeraldina e fazer uma nalogia incompleta entre a parte e o todo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário