quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

A TRADUÇÃO DE ENTMORALISIERUNG: NOTAS E DICAS DE UM DEBATE


Rogério Lopes professor de filosofia da UFMG, especialista em Nietzsche pergunta no facebook: “Alguém tem uma dica de como traduzir Entmoralisierung?”

Eu primeiramente respondo: Hehe, eu acho super legal que você faça isto aqui por diversas razões. Porque provoca o envolvimento de especialistas, mas também expõe aos leigos o tema. Creio que envolve um desafio técnico e criativo aqui. Então tecnicamente há a questão da tradução literal do termo e também das traduções precedentes.

Confesso que como leigo me interessa mais a dimensão criativa ligada a constelação de significado do termo, a sua composição etimológica e as flexões ou torções possíveis. Por isso fui na literal e agora proponho a criativa. Entmoralisierung (com n em rung) tem sido traduzido como desmoralização e figura em "desmoralização do direito" nas traduções que encontrei aqui.

Poxa descobri que o tema está ligado a desresponsabilização moral do criminoso. No sentido que ele cometeria um crime não por possuir moralidade ou ser imoral, assim o direito versaria não sobre a conduta moral de certa consciência moral imputável moralmente e penalmente. Dai que o sujeito passa a ser imputável apenas pelo direito.

Bem vejo uma negação de juízo moral na ação ai, então, suponho que a melhor versão deveria possuir este sinal "ausência judicativa de moralidade na ação" que não é simplesmente imoral, por não possuir moral, mas que envolve não aplicabilidade de critério de moralidade. E fico muito impressionado, então, com o desfaio da tradução. Não se trata somente de desmoralização, mas sim de imoralidicidade do direito.

Após outras reflexões segui pensando assim: Isso me abriu aqui uma perspectiva interessante. Entwicklung é traduzido em geral como desenvolvimento, o que significa ir além do envolvimento, ou seja, desenvolver, ir mais além do simples envolver, então Entmoralisierung pode significar aqui ir mais além da moralidade ou fora ou acima da moralidade e não amoral, sem moral ou imoral simplesmente na sua clara dimensão negativa. Não foi Nietzsche que praticamente cunhou a ideia de algo Extra Moral?


Quando coloquei suspensão moral antes havia me esquecido que pode haver ai uma superação da moralidade. Ficando no direito - e me escusem meu laico entendimento aqui - parece que a regra ou o direito fica sendo algo superior a mera moralidade individual ou subjetiva. Em momentos como este eu respeito cada vez mais Hegel, Nietzsche e Gadamer.. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário