terça-feira, 11 de novembro de 2014

CONTRA MULHERES INCONSTANTES

CONTRA MULHERES INCONSTANTES

por GEOFREY CHAUCER, Tradução de Gustavo Sartin

1 Senhora, por teu apreço pelas novidades,
2 Muitos criados desgraçaste;
3 Ausento-me da tua inconstância,
4 Pois bem sei que, apesar de teres muito tempo para viver,
5 Não podes amar em um só lugar por meio ano inteiro,
6 Para coisas novas tua luxúria é sempre tão intensa;
7 Assim, em vez de azul, podes te vestir toda de verde.

8 Tal qual um espelho em que nada deixa marcas,
9 Mas, tão leve quanto chega, deve passar,
10 Assim se deu o teu amor, como teus trabalhos dão testemunho.
11 Não há fidelidade que teu coração possa abraçar;
12 Mas, como um galo do tempo que virou sua cabeça
13 Com cada vento, tu viajaste, e isso é pecado.
14 Assim, em vez de azul, podes te vestir toda de verde.

15 Por tua falta de firmeza, deves ser lembrada,
16 Em vez de Dalila, Créssida ou Candace;
17 Tua certeza está sempre em estado cambiante;
18 Que nenhuma criatura arranque tal mancha do teu coração.
19 Se perderes um, bem podes comprar um par;
20 Pouco vestida para o verão, sabes bem do que falo,

21 Assim, em vez de azul, podes te vestir toda de verde

Nenhum comentário:

Postar um comentário