terça-feira, 19 de agosto de 2014

SOBRE A OPINIÃO DE WILLIAM BONNER SOBRE ASSESSORES DE IMPRENSA

Não gostei mesmo foi do tom desabonador ou que me parece que tenta diminuir a importância e a dignidade da função dos assessores de imprensa usado por William Bonner para justificar ironicamente sua rispidez com os candidatos entrevistados. Ele disse retuitando uma mensagem que “Jornalista que não é incisivo com o entrevistado vira assessor de imprensa”.

Para um jornalista que atua todas as noites em rede nacional com ampla projeção e influência sobre o nosso povo e a nossa democracia, creio que a opinião dele sobre assessores de imprensa é um preconceito e também um prejuízo ao jornalismo profissional.  Pareceria que seria um opróbrio para um jornalista virar assessor de imprensa. 

Penso bem ao contrário, porque a assessoria de imprensa é uma das funções mais nobres e importantes exercidas pelos jornalistas numa democracia em que a transparência depende de informação, pois permitem com seu trabalho a divulgação com qualidade das propostas, projetos, trabalhos e posições dos políticos e políticas, partidos, governos e organizações partidárias e civis aos quais servem. 
Sei também que há um longo caminho a seguir para tornar este trabalho melhor, porque seria bom que o jornalismo em geral e os órgãos de comunicação em especial respeitassem mais estes trabalhadores que lutam e muito para garantir espaços e divulgação, exposição e um tratamento adequado e também favorável a quem eles servem.  

Tenho razões pessoais e afetivas aqui também, porque conheço muitos (as) jornalistas que trabalham nesta função, que comem o pão que o diabo amassou com alguns dos seus contratantes sim, mas que também passam sérias dificuldades e restrições dos grandes meios de comunicação, no exercício dos seus trabalhos, pois há também, no meio da mídia, nos poderes e na sociedade certo abuso de poder, privilégios e deferências que tornam este jogo bem duro e difícil, sei que há ainda um exercício de práticas condenáveis na nossa democracia. 

Digo com isso que também a comunicação social precisa ser mais democratizada e que certas condutas não contribuem para isto. Sei que assessores de imprensa contribuem bem mais do que o a opinião corrente julga para democracia, pois auxiliam seus empregadores a se comunicarem melhor, mais e com mais Constancia com o povo em geral. Quando alguém critica o sistema representativo ou o sistema político por suas mazelas podemos perguntar se há ou não desequilíbrio na exposição e na cobertura de imprensa sobre o que é bem feito ou mal feito. Eu sou um daqueles que crê com boas experiências sobre isto que no geral o noticiário político poderia ser bem mais favorável e poderia destacar bem mais o que de bom é bem feito por todos que atuam na esfera pública, serviços públicos e etc. 

Mas vejo também que a lógica de cobertura e de pauta é bem outra. Pois creio que, também, a democracia brasileira vai ter sua qualidade elevada se houver mais respeito, menos desprezo e menos  desdém com o trabalho destes importantes profissionais. Enfim, isso é só uma opinião em respeito a este grande grupo de jornalistas que são trabalhadores, que são profissionais, meus amigos e amigas.

Para Claudia Correa, Dica Sitoni, Ana Nejar, Vinicius Brito, Olga Arnt, Adroaldo Filho Diesel, Adroaldo Bauer Corrêa, Lucas Brito de Barros, Marco Weissheimer, e muitos outros que vou citando abaixo também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário