segunda-feira, 30 de junho de 2014

SOBRE O NOVO OU MELHOR PMDB DE SARTORI

Uma das coisas que me é mais impressionante do que a conduta é a seriedade com as palavras e as intenções que elas expressam. Esta fala do Sartori de "esquecer o passado" somada à de Simon de que "ele é o melhor candidato que o PMDB já apresentou ao governo do estado" é basicamente uma confissão. nem Simon, nem Britto, muito menos Rigotto - que para mim é um dos quadros mais respeitáveis do PMDB - foram realmente bons governadores dois estagnaram o estado e um privatizou o estado e nenhum deles apresenta um discurso claro de defesa do estado. E eles agora precisam "inventar o novo" e todos dizer que Sartori é melhor, mas ao fazerem isto assim estão de fato confessando que são todos iguais e que querem somente impedir a hegemonia política do PT no RS e digo isso porque o problema não é governar tudo mas sim determinar uma nova lógica política diversa desta desfaçatez deles. Se citares todos os deputados estaduais e federais, prefeitos e senadores deles dos últimos 40 anos - desde o velho PMDB de guerra - não salva  10% em qualidade política. Eu que vi Giovane Feltes jogando moedas em professores, Alceu Moreira debochando de sem terras, e outros absurdos que considero moralmente tão vis quanto afala do Aécio de que os correligionários podem "sugar o Governo Dilma à vontade" e depois se ajuntarem a ele. Estes caras mantem a ultra direita com fôlego neste estado e basicamente atacam com PSB, PP, PSDB, PMDB e tb PDT a possibilidade de se avançar na defesa do estado do RS. Quem diria que eu veria o PT representando a defesa mais Republicana do RS do que estes que sempre apregoaram um estado a serviço do povo em seus discursos mas que na hora H colocam o estado à serviço das elites, dos privilégios e dos poderosos. Aqui em São Leopoldo isto ocorre hoje claramente. A política brasileira não vai mudar nunca se continuarem elegendo estes cabras que consideram que a arte política é a arte de ludibriar, enganar ou fazer falas que distorcem a realidade somente para vencer. Esta para mim é a turma do VALE TUDO pelo poder. E não admire se este pessoal continuar impedindo a mudança na política nacional e obstruindo a reforma política  neste pais para acabar com esta panela na qual só eles comem e sempre eles acabam aqui ou ali governado com seus velhos métodos e seus piores propósitos. Mas este paradigma sobrevive e tem força e muito me assombra quando alguns que querem uma política melhor atacam o PT que ainda é ao meu ver melhor do que isso. Porém, compreendo a dificuldade de mudança para eles. Trata-se da força do habito, de uma profunda acomodação e de certa impossibilidade também de caráter de promover uma mudança. Todos eles gostam de homenagear certos líderes do trabalhismo e republicanos, admiravam Teotônio Vilela mas são incapazes de dar o passo mais decisivo em direção a mudança, mantem seus feudos políticos e continuam fazendo política como se se tratasse apenas de uma solução retórica e não da verdade e da necessidade de uma democracia mais vigorosa e consolidada. Atacam o PT, mas são incapazes de crucificar nenhum dos seus que cometeram atos indignos. Optam por manter as aparências e ficar inventando o mais novo representante da política mais velha neste país. Respeito é bom, mas a verdade precisa ser dita, erraram e vão continuar errando e este discurso mostra a obviedade disto.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

ESPAÇO PARA A IMAGINAÇÃO - ENTRE REFLEXÃO E AÇÃO

Estamos chegando na primeira quadra do século XXI. Não desconheço o imaginário como instância singular de deliberação e produção do sentido. O caminho crítico de Kant me parece indicar isto também. E lembre-se que o caminho crítico que, segundo Kant, é o único que resta, ultrapassa, segundo ele também, as altas pretensões dogmáticas e os excessos céticos. O ceticismo na versão e confidência de Kant o "despertou do sono dogmático", mas não lhe é suficiente, é preciso ir além. E já havia afirmado que estávamos muito ocupados estabelecendo relações entre reflexão e ação, discurso e ação, mas que precisamos atentar para o surgimento da imaginação com um estatuto diferenciado e relevante no século XX. Sinto que Foucault percebia isto - entre outras indicações - quando tratava de "outros lugares ou outros espaços", lá onde a velha ciência não chega. Penso muito em cinema, música, teatro e muitas outras artes e linguagens e, também, na abundância literária do século XX. Nunca se leu tanto, nem se publicou tanto, em toda a história, o que não parece que virá a se reduzir com o impacto das tecnologias digitas no acesso a informação e conhecimento ou como espaço de disseminação de opinião e produção de novos conteúdos.

Mas encontrei outra indicação que me parece também interessante para minha discussão inicial sobre a invenção ou a recepção do "imaginário" no século XX eu deveria ter uma boa exposição teórica e narrativa desta invenção, mas vou ficar em pistas aqui somente. Some-se às abordagens também maravilhosas de Cornelius Castoriadis, esta de André Maulraux.

O MUSEU IMAGINÁRIO - ANDRÉ MALRAUX

Sinopse:"O papel do museu na nossa relação com as obras de arte é tão considerável que temos dificuldade em pensar que ele só existe entre nós há menos de dois séculos. Esquecemos que os museus impuseram ao espectador uma relação totalmente nova com a obra de arte. Até ao século XIX, todas as obras de arte eram a imagem de algo que existia ou não existia, antes de serem obras de arte. Só aos olhos do pintor a pintura era pintura; e, muitas vezes, era também poesia. A Ásia só recentemente conheceu a existência de museus, sob a influência e a direção dos europeus, porque, para o asiático contemplação artística e museu eram inconciliáveis; a fruição das obras de arte acima de tudo estava ligada ao isolamento. Há mais de um século que a nossa convivência com a arte não cessa de se intelectualizar. O museu impõe uma discussão de cada uma das representações do mundo nele reunidas, uma interrogação sobre o que, precisamente, as reúne. Afinal, o museu é um dos locais que nos proporcionam a mais elevada ideia do homem."

quinta-feira, 26 de junho de 2014

COMO ENCARAR O MAL?

Bom dia....como encarar o mal? Para um amigo: A minha experiência indica três alternativas: a primeira é fugir com todas as tuas forças, a segunda é encarar ele com todas as suas forças e a terceira é fazer de conta que ele não existe. Em qualquer um dos casos acima, orar, rezar, pedir ajuda aos amigos e às pessoas que nos tem com afeto e carinho e produzir pensamentos otimistas, reduzir a grandeza deste mal, relativizá-lo, fazer ironias com ele, negar lhe toda força possível e diminuir-lhe o tamanho menosprezando-o, concedendo uma batalha, mas jamais a guerra, tudo isso ajuda, meus amigos e amigas....

quarta-feira, 25 de junho de 2014

COPA DO MUNDO E MIDIA

Não sei se vai ter uma próxima oportunidade ou se estarei vivo para tal, mas eles merecem um CALA A BOCA, pois fizeram e aconteceram contra a Copa e o País e tudo fica por isso mesmo...os raivosos e virulentos continuam resmungando pelos cantos, mas a verdade é que muita gente mal informada, desinformada, por preconceito e guiada por opiniões superficiais ficou temerária e deixou de aproveitar a Copa do Mundo no Brasil. Uma imprensa autoritária e mesquinha, irresponsável e implacável como esta nos não merecemos. Com as suas piores previsões sobre a copa deveriam perder audiência, abrir falência e deixar de promover este tipo de besteiras de forma institucional, generalizada e  sistemática. O pior é que todos eles agora estão em estádios assistindo os jogos e continuam faturando com sua cobertura e propagandas. É a canalha montada em meios de comunicação e faturando alto.
« La poésie, c'est comme le radium; 
pour en obtenir un gramme, 
il faut des années d'effort. »

 
— Vladimir Vladimirovitch Maïakovski

ENCONTRANDO REGULARIDADES

Bom Dia...encontrando regularidades, sincronicidades e detalhes significativos e simbólicos entre certos filósofos modernos...mas tudo entre o visível e o invisível... para explicitar isto vou precisar um bocado de tempo...as vezes uma tábua classificatória funciona como aquela escada de Wittgentein, você deve jogar fora após usar. Para poder ver melhor e pensar melhor é preciso ultrapassar as similitudes e encontrar somente as diferenças e destacá-las como essencialmente singulares. Em filosofia isso ultrapassa a vida, ultrapassa a obra e fica num domínio  que poderíamos chamar de o mundo dos argumentos...ao fim e ao cabo tentamos saber quais mesmo sobrevivem? Que questões ainda fazem sentido? Como é possível formular novas questões sobre os escombros das velhas questões? Sempre voltando para o fundamental e simples? Aquele que é causa de nossa reflexão, a motivação original que acaba por ser esquecida, abandonada ou largada no fundo da gaveta por parecer sempre pueril, por parecer um pensamento da infância de nossa juventude, ou da juventude de nossa vida adulta, ou ainda da nossa vida adulta para a nossa velhice. O tempo passa e me parece que deve haver mais coisas do que a tradição na tradição. Ela possui em si as condições do encontro e as condições do seu abandono.

terça-feira, 24 de junho de 2014

A COPA LATINA - CAPÍTULO URUGUAIO

Vitória por um a zero elimina a Itália - bem como tem que ser - foi um jogo muito disputado, renhido e de boa luta...os italianos nunca deram moleza para ninguém, já ganharam copa como azarões e já levaram muita vantagem pela fragilidade psicológica e física de seus adversários...não é o tipo de futebol que eu admiro este do Cattenacio....e foram vencidos e isto é um símbolo de que o Uruguai que chegará às quartas de finais, porque pega a Colômbia ali adiante é muito forte em diversos aspectos, a dupla de ataque, o conjunto e a dedicação em campo são notáveis...uma curiosidade é que justamente neste grupo se classificam dois latinos contra dois campeões mundiais....para este Uruguai derrotar os Ingleses e os Italianos em sequência é um grande resultado e merece muito respeito...foi um jogo literalmente mordido e ás cabeçadas....mas foi vencido com gol e com resistência e muita luta....após um jogo destes seria bom mergulhar os uruguaios em um descanso até a próxima partida..quem diria que veríamos uruguaios mais passionais que os Chilenos, colombianos, mexicanos e costa-riquenhos..é esta a COPA DAS COPAS e é esta uma COPA LATINA!!!

BEM VINDOS ARGENTINOS! AO RS!!!

Os nossos irmãos argentinos estão sendo atacados de forma vil por especuladores financeiros e pela banca internacional que ganha dinheiro com especulação, bancarrotas de países e baixando nota de mercado e esta é a mesma BANCA que paga sicários para ajudar nisso. E como se não bastasse tem imprensa local criando clima negativo na recepção de nosso hermanos.


O mesmo jornal que destaca os elogios dos estrangeiros aos brasileiros, fica alarmando o povo contra achegada dos argentinos que são também turistas e estrangeiros. Ficam criando uma predisposição negativa e impressionando os mais suscetíveis...parece que querem que aconteça algo para depois dizerem que avisaram...isso é uma baixaria...e nossa atitude deveria ser aquela já elogiada na matéria anterior: DAR UM JEITO E FICAR TRANQUILO!!!

HISTÓRIA, LITERATURA E FILOSOFIA

Bom Dia...toda pretensão a organizar fatos, processos e fenômenos históricos, explicá-los, discriminá-los em seus fatores e atribuir alguma causalidade é absolutamente confrontada com o visível e o invisível, o que é da ordem do perceptível e do imperceptível....um dia assim de pesquisas históricas, literárias e filosóficas, em um plano bem geral e alargado...olhamos para os tempos diferentes, sintonias e sincronias, assincronias e diacronias, as revoluções, transformações, mudanças, rebeliões, inovações e onde surge o novo? suas relações, rupturas, concomitâncias, suscetibilidades e predisposições...crises e transições...a diversidade e a universalidade submetidas à um balanço cujo equilíbrio instável só prova que o tempo não pára e que a dinâmica é constante e muitas vezes imperceptível....pode começar na subjetividade, em segredo, invisível e ganhar visibilidade, deixar de ser individual e vir a ser algo coletivo e depois desaparecer de novo nas profundezas do tempo....parecem ciclos e eu seria o último a negar que por mais caótico que eles se apresentem não é possível perceber nenhuma ordem cuja sucessão de acontecimentos e eventos permita constituir uma explicação, compreensão ou interpretação, cujo discurso urdido na trama da história possibilite estabelecer relações claras, descobrir singularidades nelas e inventar o futuro...Há um espírito em  mim que nega tais possibilidade mas no confronto com os fatos e com as ideias que produzimos sobre eles vamos acomodando e organizando as coisas. Isso é um impulso que tenta entrever ou somente ver além. Não é a decodificação do passado em si mesma que interessa, mas sim a possibilidade de compreender o futuro e aquilo que ainda não está desenhado ou realizado, pensado e projetado à nossa frente. Sei que estou misturando aqui coisas da ordem da ação, da imaginação e do pensamento. Sei que o imaginário é uma invenção recente e que recebeu atenção somente no século XX. E é por isto que a literatura e tudo que no banquete dela se alimenta, o cinema, a música e a arte em geral traz o novo. Não creio que a Arte acabou, me parece somente que vamos aos poucos superando a proliferação e ganhando qualidades antes somente vislumbradas por alguns indivíduos, vanguardas e que hoje passam a ser compartilhadas por milhões em escala nunca antes vista e com profundidades e repercussões bem maiores que antes. Vou parar, porque algo me chama ao lado...

domingo, 22 de junho de 2014

AVANÇAR NA DEMOCRACIA

É preciso avançar na democracia....e estimular a participação social nas tomadas de decisões...ontem mesmo estava dizendo que a democracia brasileira está amadurecendo e avançando e que o que mais falta agora - além de uma reforma política - são os cidadãos em geral cada vez mais assumirem sua cota de responsabilidade pela nossa sociedade e pararem de se eximir disto tentando se acomodar em situações confortáveis ou criando expedientes subjetivos ou objetivos para não terem responsabilidade e é exatamente por isto que sou favorável ao voto obrigatório.

OS INCOMPETENTES DA MÍDIA BRASILEIRA

Em qualquer pais serio do mundo estes experts de coisa nenhuma, lobbistas de interesses privatistas e formadores de opinião de ingênuos não teriam vez....no Brasil não tem também, o problema é que nem os orgãos de comunicação deles são sérios e que seus empregos são garantidos por patrocinadores e simpatizantes que são menos sérios ainda...o Brasil cresceu, o Brasil está mudando, mas esta casta, catrefa ou gentalha continua com microfone na mão, colunas em jornais, canais de televisão e elegendo seus representantes no Congresso Nacional para protegerem seus interesses atrasados e aquela velha concepção de manipulação do povo e de que o povo precisa saber somente o que eles consideram e do modo que eles consideram importante. Fazem barreiras de contenção aos escândalos dos seus partidos e de sua própria elite e tentam a todo tempo diminuir o nosso país. Isso não é crítica é manipulação da informação, quando se trata de informação e todo o resto é pura doxa e retórica a serviço de interesses que são indefensáveis publicamente. É preciso sim uma legislação de regulação ou auto-regulação da midia, é preciso criar uma lei de meios rigorosa e inclusive punitiva a quem faz mau uso da liberdade de opinião, desinformando ou distorcendo os fatos e acabar com estes absurdos e desserviços. INCOMPETENTES são VOCÊS!!!

O VERMELHISMO TOMANDO CONTA NA LINGUAGEM SUBLIMINAR DA COPA DO MUNDO – TIREM AS CRIANCINHAS DA SALA!!!

Tudo começou quando uma certa criatura que é tomada como o Guru Oficial de Certa Fração da direita brasileira, o novíssimo e atualizadíssimo colunista da revista Veja, Rodrigo Constantino, publicou o texto “O logo vermelho da Copa”, acusando com toda gravidade possível e necessária na sua caixola o PT de usar a logomarca da Copa do Mundo para fazer propaganda subliminar do comunismo. Isso virou uma grande chacota, mas nós estamos aqui, é claro, em nome FDA Grande Revolução Vermelha para confirmar essa suspeita estendedo-a para mais cosias e detalhes, marcas e logos que o Rodrigo não viu, não percebeu ou não atinou. Isso só prova que o Rodrigo não levou a sério a sua suspeita. E que caso tivesse levado descobrira tudo que nós agora revelamos num trabalho sério e colaborativo de dois dias e poucos clics que não chega a ser uma mídia ninja, mas que supera muita Comunidade Nin jit tsu por aí.  Um correspondente irônico do Los Angeles Times, chamado Vincent Bevins, postou em seu Twitter o flagrante deste longo processo para o nada: “Oh Deus. Colunista brasileiro defendendo que o vermelho 2014 na logo da Copa do Mundo é obviamente uma propaganda socialista”.

E a partir disto nós e todos os seus leitores, nos divertiremos usando a mesma lógica para apontar outros pretensos ícones comunistas, como a Coca-Cola, ou no nosso caso aqui quase todas as marcas de cerveja Budweiser (que horror!) Brahma (que ódio!), Heineken (terrível!) e até o Big Mac cai na rede ae, ficou de fora a Itaipava (porque é muito suave e não faz diferença) e a SKOL (porque pode ser usada para um VOLTA LULA, o que já é dimais!)
Meu amigo e meu caro Rogério Tosca – um grande ser humano e artista visual,  se deu ao trabalho de avançar na investigação do Rodrigo Constantino sobre a indução ao Petismo na Copa do Mundo. E encontrou coisas muito graves. Veja só: “Vamos analisar a logo-marca da Brahma?? Também estava lá no banner da Copa!!! e também com aquele "subliminar" fundo vermelho!!! Me ajuda aí Constantino...”

Meu outro amigo Nilson Lopes, sociólogo famoso e notório por sua capacidade de investigação e  olhar muito arguto e atento sobre a realidade, após ler meu texto inicial sobre o tema me lembrou e descobriu isto que segue em sua opinião ipsis literis: “E não esquece que MacDonalds que também abusa do vermelho em suas propagandas.....f.d. p ( filhos da pátria) querem avermelhar o mundo todo.”

Depois eu fui investigar outras marcas e me deparei com a maior ofensa a memória daqueles que lutaram contra os comunistas na história do século XX.

Cara a pior marca de todas...cara...é a da Budweiser cara...Já reparou? Naquele fundo vermelho cara, em diagonais com uma coroa de cinco estrelas...aquilo é algo por demais suspeito...é a maior lição e exemplo dissimulado e mascarado - opa mascarado não!!! não vale!!! me assoprou aqui um Blacbloque cara - de linguagem subliminar de todas...eu temo pelo futuro da humanidade depois que percebi isso....

Veja só o logotipo e todas as propagandas da Budweiser trazem as cores vermelhas e o que é mais grave ainda bota uma coroa com cinco estrelas douradas – não poderiam ser amarelas porque daí seria obvio e insofismável - sobre o letreiro. O dourado é o que deve ser temido porque combina com as estrelas.....o manto vermelho e as estrelas douradas é uma linguagem universal que vai do comunismo ao islamismo...isso é temível...essa simbologia profundamente revolucionária....

Eu exclamei embevecido “olha isso amigo Rogério Tosca e ainda tem esse ar "fálico" de botar medo em qualquer um mau resolvido - que vermelhismo subliminar flagrante.....cara...bah cara...o..cara E o meu amigo comentou assim: “e o fundo vermelho (manto, bandeira???)... e no caso da Brahma tem um risco amarelo-dourado...

E enfim – porque resolvemos para com isso – sobrou prá Heinekem. Com aquele estrela vermelha gritante, mas eu acho que tem certa forçação ai...deveria dizer que ela é comunista e ecologista, por causa de todo aquele verde...num acha? Viu essa Rogério Tosca. Assim, a gente resolveui rebaixar a suspeita e atenuar o crime, porque a coisa já tá ficando bem feia para as antas e os coxinhas...e fazer isso, afinal,  é da ordem do monopólio global..


Isto é, apresentamos, então, um conjunto de provas cabais de que o vermelhismo está tomando conta de tal modo da Copa do Mundo que até seria necessário recorrer mesmo ao STE, contra isso cara...e veja só também a mais esta para terminar: Se a sombra do azul for rubra, logo, é suspeita também. Nossa! Nem o mais nóico direitoso seria capaz de tantas constatações graves.Para os coxinhas e antas com carinho... 

sábado, 21 de junho de 2014

A COPA DAS COPAS É LATINOAMERICANA E OCORRE NO BRASIL!!!

Minha tese de que a Copa do Mundo de 2014 é Latino-americana, vai se confirmando com bons resultados e prognósticos mais e mais a cada dia que passa.

Nesse quadro, é bom que se diga, contra certo terrorismo e o emotivismo clássico da imprensa e dos comentaristas brasileiros que querem sempre transformar a seleção em saco de pancadas, porque afinal foi o que restou para falar mal desta copa, o empate entre Brasil e México é um ótimo resultado.  E até segunda-feira quando a seleção brasileira joga contra Camarões, podendo tirar o resultado que quiser, a confirmação de um time dos sonhos não será feita. E nem depois. O Brasil não vai ser campeão por goleadas, mas com vitórias e eventuais empates e pênaltis meu amigo. E é isso que a casa oferece e se ocorrer podes crer que foi por mérito e não porque comprou resultados ou porque a copa foi aqui. É uma copa dificílima para todos exceptuando-se duas seleções que tem caminho livre até as quartas.  Isso que alguns querem que o Brasil seja, não existe mais no horizonte de possibilidades, a última vez que isso aconteceu fomos derrotados para a França, porque o herói da vez caiu de joelhos dada a pressão psicológica sobre ele e o mundo da fantasia que construíram ao redor dele. Tivemos que ter o Felipão como treinador para em 2002 desfazer este mundo da fantasia que a Globo e outros mágicos adoram fazer do futebol.  E mantenho minhas fichas na ,mesa a favor do Brasil e da psicologia de Felipão que sabe o que faz e tem ótimo material humano em suas mãos. Assim, o empate do Brasil com o México só confirma a supremacia do futebol latino-americano e teremos ainda muitos jogos de placar estreito entre nós latinos até a final.  

Vejamos nos grupos como andam as coisas. No Grupo A os dois citados acima. No B entra Chile e Holanda, no C Colômbia garantida, no D Costa Rica Confirmou e estou apostando no Uruguai contra Itália, no E mantenho minha aposta no Equador, no F Argentina segue, no G para sorte dos EUA e da Alemanha não temos latinos, mas poderíamos fazer uma concessão generosa aos EUA e considerá-los - só desta vez - um pouco mais latinos pelo seus plantel, já no grupo H não há nenhuma seleção latino-americano. As simulações de oitavas terão 8 times latino-americanos - tira los EUA ahora - ou seja 50% dos times serão nossos e a coisa pode piorar muito para los otros ou no mínimo se manter nos 50% nas quartas de final.

Mas isso é só estatística, o que interessa mesmo é que de fato os latinos estão puxando a Copa do Mundo como espetáculo, não de goleadas, como Holanda e França, mas de aplicação técnica, raça e conjunto, com aquela pitadinha saborosa de craques e grandes desempenhos individuais. E o estilo de jogo faz um misto de marcação sob pressão, seja individual quando é necessário ou por zona no ataque e todo mundo trabalhando pesado em campo.

Hoje, por exemplo,  tem Argentina e será preciso ter a paciência com a sensação de frustração com Messi, porque parte da adaptação dele me parece mais forçada do que acidental. Muitos falam da sua posição que é diferente de como ele joga na Espanha mas vejo aqui a mesma máscara do Neymar - aqui vai um fica quieto Neto -, essa situação é temporária, passageira e que pode surpreender. Na minha opinião  ela é uma situação de preservação dos jogadores e nem eu nem ninguém a de duvidar que tanto Neymar quanto Messi tem um arsenal de surpresas para nos apresentar. Duvido muito que Messi vai ficar prisioneiro de um esquema tático simplesmente porque ele é um craque. Assim como não há nenhum motivo para imaginar que Neymar vá render menos do que rendeu na Copa da Confederações.  

Sobre os que podem ser chamados de os bichos papões da copa, tanto Alemanha, como França e Holanda, é preciso dizer que França e Alemanha começaram em grupos privilegiados e que tem um caminho pavimentado (Irã e Coréia ou Nigéria e Rússia nas oitavas meu chapa?) até as quartas e que provavelmente vão fazer mais gols ainda, mas que vão enfrentar logo ali adiante os latinos e a coisa não vai ser tão fácil não pelo que já falei acima sobre conjunto, craques e raça dos latinos nesta copa (Itália, Espanha e Inglaterra que o digam).

Não sou mesmo especialista em futebol e esboço aqui algumas observações pautadas nas minhas primeiras intuições pelo que vi em campo e por certa lógica que observa uma tendência, mas deve haver alguém que seja capaz de explicar melhor este "fenômeno latino" na Copa, cuja entrega e dedicação ao jogo tem sido a marca somada ao talento e a disciplina tática extraordinária que alguns jogadores latinos pelo visto conquistaram no futebol europeu. Me parece que isso é a soma do talento com a disciplina e que isto está trazendo estes resultados, ao mesmo tempo creio que tem uma nova geração inteira de jogadores que são frutos das mudanças sociais ocorridas na América Latina nos últimos 20 anos. O fato de Venezuela ou Paraguai não estarem nesta copa, não diminui a importância deste grande laboratório de democracia, direitos sociais e justiça social que tem ocorrido na América. Então para não me furtar ao raciocínio creio que o panorama atual desta copa é também um síntoma da saída do sub-desenvolvimento de todo nosso continente o que inclui aqui as ilhas do Caribe e as seleções latinas ligadas a Concacaf.

Para coroar esta década eu diria que teremos no mínimo mais dez anos de supremacia latina no futebol mundial se não tivermos aqui uma guinada para direita e para o conservadorismo.

Quem diria que este povo seria capaz de provar rigorosamente aos europeus que a supremacia branca, o eurocentrismo, a colonização e o imperialismo estão com seus dias contados. E há que se fazer justiça que a África vem vindo junto...    

sexta-feira, 20 de junho de 2014

SILVIA SALEK DA BBC-BRASIL NO MANNHATTAN DESCONNECTION DA GLOBONEWS

"...nos últimos 10 anos o interesse pelo Brasil aumentou muito. E por mais que, eu sei que há muitas críticas, inclusive neste programa aqui, à gestão por exemplo do Lula, é impressionante ver como a imprensa, a academia também, passou a ter um interesse muito maior pelo Brasil nos anos pós-Lula. Isto sem dúvida se reflete no interesse que o nosso trabalho gera internamente na BBC, que reflete o que a sociedade como um todo pensa..."

NINGUÉM PRECISA SER BOCÓ - COMENTÁRIO PESSOAL AO POST DA KATA

Tudo bem. Vou digredir aqui um pouco. Para mim o título é ótimo, e digo: que é bom que consideraram o título adequado. O meu pai era um eletricista que dizia isso em alguns momentos da vida e do trabalho para seus aprendizes ou colegas e mesmo para amigos e para seu filho. Meu pai tinha mania de dizer três coisas diferentes em uma frase e sempre me pareceu que ele fazia exercícios subjetivos de reflexão e de formulação antes de falar ou responder sobre certas coisas para mim. Ele queria dizer que as pessoas não precisam ser boca abertas em tudo que lhes aparece pela frente que dá - para variar - e tentar ser mais experto ou inteligente em algumas coisas, apesar das dificuldades de pensar e entender as coisas. Ele era um prático e técnico e tinha por hábito evitar acidentes e erros pois em eletricidade estas coisas são bem perigosas e prestar atenção, pensar mais e melhor é uma necessidade. Outra versão do bocó é o bocoíó, que deve ser e assim me parece um bocó duplo. Mas o "não precisar" ai traz também esta categoria modal da necessidade e uma lição sobre isto também. Apesar da possibilidade de ser bocó, não há nenhuma necessidade que as obrigue a ser assim, ou seja, poderia ser diferente e as pessoas são livres para pensar diferente e isto lhes será, inclusive, muito vantajoso em seus afazeres e vida.

NINGUÉM PRECISA SER BOCÓ - por Katarina Peixoto

"Tem coisa mais constrangedora do que essa ressaca diante da Copa do mundo, o arrependimento por ter acreditado no moralismo fasci da mídia oligárquica. É seguir acreditando. Ninguém precisa ser bocó, nacionalóide nem um governista destrambelhado para respeitar uma escolha que, sim, foi nacional, popular - ao menos assim referendada. Temos Robben jogando no Brasil, e Muller, também. Essas Arenas que eu nem sei se um dia frequentarei, e todo o resto, empregaram um milhão de pessoas, algumas delas de maneira permanente. Temos, insisto, pleno emprego e o maior programa de transferência de renda do planeta. Vivemos no melhor país e sob o mais eficiente e democrático governo de nossa história. E isso dentro das regras do jogo. E isso apesar de uma mídia oligárquica, concentradora, que opera como força política da oposição. Dizer isso não é dizer que somos uma democracia plena, que somos os melhores do mundo. Essa obviedade infelizmente tem de ser explicitada. Dizer isso é, apenas, dizer a verdade, quanto a este momento histórico. Para quem defende a redução de desigualdades, a ampliação do escopo e da vigência e do reconhecimento de direitos, o financiamento público do desenvolvimento, a democracia como valor e regra, isto é verdade, sim. Há coisas terríveis em curso, e essas são ignoradas pela mídia oligárquica. E há coisas extraordinárias em curso, e essas são combatidas pela mídia oligárquica. A boa notícia é que não precisamos mais, se não quisermos e soubermos ler, dessa mídia. Por isso, em vez de Pholha, Globo, RBS, o Diário de Minas, lá, busque informação de verdade, hoje podemos fazer isso. Sem constrangimento, sem burrice, sem desrespeito e sem guerra ideológica."

Obs.: O título é meu.

REUNIÃO PARA CONTINUAR NO AUTO-ENGANO EM SÃO LEOPOLDO

O amigo Bado Jacoby divulgou que o governo municipal do PSDB, PMDB, DEM, PP e PSB realiza reunião excepcional neste final de semana. Olha só, dependendo da pauta vão progredir mais um pouco no AUTO-ENGANO, ou vão "arrumar as coisas", ou tratar apenas dos detalhes para as eleições; mas sou sinceramente muito pessimista com estes senhores, pois todos os sinais indicam que vão avançar na linha que adotaram que envolve um defensivismo e um faz de conta que nós somos as vitimas da herança do PT, fazer de conta que nós temos excelência de gestão e que a culpa pelos problemas são os funcionários públicos, as dividas e os cidadãos que não colaboram e não ajudam...e isso é de dar dó, mas não deles, do nosso povo e da nossa cidade e daqueles que acreditam nesse enredo ruim do pior governo da história de São Leopoldo. Enfim, vi o ex-prefeito Ronaldo Ribas duas vezes estes dias e me deu um revival de como as coisas já foram diferentes e mais sérias por aqui, mesmo para quem era da oposição ao governo dele. 

quinta-feira, 19 de junho de 2014

VINHOS

Os seres humanos são realmente muito diferentes uns dos outros. Alguns gostam de vinhos e a gente entende isso muito bem, já outros amam vinhos e isso não tem explicação. Ó Glória....

UMA COPA PARA OS LATINOAMERICANOS

Com a eliminação da Espanha, e a muito provável eliminação da Inglaterra, a situação em queda de Portugal, devem restar "somente" Alemanha e Holanda, com Itália e França e Bélgica nesta copa do mundo, enquanto Brasil, México, Chile, Colômbia, Costa Rica, Argentina, Uruguai e mesmo Equador, onde muitos lideram ou se aproximam da classificação para as oitavas....Outro aspecto é a necessidade de certa combinação de aplicação e raça dos conjuntos e de desempenho dos craques que se mostra nas partidas que vimos serem definidas contra a lógica tanto do Tic Tac quanto da racionalidade e ortodoxia. Na minha opinião o susto que a Holanda tomou da Austrália e as partidas de Inglaterra e Espanha mostram que a falta de ligação dos times com seus craques ou seu isolamento nos times pode levar a derrota para times com muita aplicação e um pingo de heroísmo de goleiros, atacantes ou mesmo zagueiros. É uma copa de paixão e vejo claramente a racionalidade técnica subordinada ao talento e ao impulso e a determinação dos jogadores. Quando vi o Evaristo falando que esquema tático e disciplina não vence jogo e a nota de que os maus momentos dos jogadores precisam ser superados por eles para vencerem me dei por conta de que o Brasil tem de fato muito mais possibilidade para mostrar ainda nesta copa. Meu vatícinio  é que tudo se aproxima  de uma final com a Alemanha, mas que no caminho a Holanda é ainda a maior ameaça. Uma pequena e importante nota final: como é notável a internacionalização do futebol  nesta copa muitos seleções são marcadamente impuras, mestiças e multinacionais. Eu creio que está é a copa também, portanto, da afirmação da força de um grande intercâmbio e de grandes influências recíprocas entre os povos. O fato de vermos todos jogos muito bons exceptuando-se talvez uma partida até agora mostra isso: a elevação do nível técnico e o compartilhamento da arte de jogar futebol em todos os continentes. O Chile ontem e o Uruguai de hoje são demonstrações disto. Ao olhar para a seleção brasileira e ver que de todos os 23 convocados somente três jogam no Brasil temos um sinal também disto. Suarez foi o homem do jogo de hoje mas jamais podemos esquecer com quem ele joga o ano inteiro, assim como os brasileiros e os demais latinos. Fico olhando para a Alemanha e vejo um time muito impressionante e misto. Mas devo anotar que a Inglaterra que perdeu hoje terá - com este plantel que vimos - pelo menos mais 12 anos de muitas  surpresas interessantes para o futebol. Não vejo a Inglaterra que perdeu hoje lutando para o Uruguai como um time que cai como caiu a Espanha ontem. Sobre o Brasil continuo confiando na grande psicologia e no paternalismo profundamente eficaz do Felipão. Ele está preservando o time e não colocou ninguém a morrer ou no sufoco ainda. Me parece um sábio carroceiro segurando seus cavalos na planície para quando chegar a hora de subir um trecho mais íngreme soltar as cordas e tocar por cima do que vier. Para mim é muito fraca a avaliação de que Neymar não mostrou nada ainda. O goleiro do México jogou acima da média, salvou pelo menos quatro lances claros de gols e não me admira se logo ali adiante a artilharia brasileira ficar mais intensa por certo motivo misterioso, por certa motivação aparentemente milagrosa. Não tem mistério glorioso em futebol, mas o segredo e a capacidade de surpreender com mais força e mais precisão ajuda muito logo ali. Porque quando alguns desperdiçam seus talentos e ficam numa situação em que não sabem de onde tirar mais, quem guardou tem. E é no futebol latino-americano que a cultura do fator surpresa e motivação tem todo os maiores êxitos da história.

terça-feira, 17 de junho de 2014

FILOSOFIA POR AUSTIN

"Acredito que a única maneira clara de definir o objeto da filosofia é dizer que ela se ocupa de todos os resíduos, de todos os problemas que ficam ainda insolúveis, após experimentar todos os métodos aprovados anteriormente. Ela é o depositário de tudo o que foi abandonado por todas as ciências, em que se encontra tudo o que não se sabe como resolver."

AUSTIN

Colóquio de Royaumont – 1958

P.S.: Questões fundamentais, problemas e soluções, e casos insolúveis que são abandonados e que quando são retomados nos mostram outros caminhos a seguir.  De onde pode vir o novo? Certamente não da repetição, mas sim da reinvenção de alguma velha questão ou de alguma velha resposta de uma outra forma, de um outro ponto de vista. Há sim, você não gosta disto...tudo bem...esquece...

segunda-feira, 16 de junho de 2014

QUEM TORCE CONTRA O BRASIL VAI SE DAR MAL

Já foi dito antes: quem torce contra o Brasil vai se dar mal, pelo menos enquanto estivermos indo nesta direção e sob este governo! Salve Beira-Rio que Fernandão te contemple lá do céu entre as estrelas com um sorriso nos olhos e tocando com esperança e alegria no coração de todos!!! ‪#‎VAITERCOPA

P.S. DIA DOS NAMORADOS

Bom Dia..tentei fazer várias coisas aqui pela manhã e não deu...mas vamos lá então....primeiro um beijão na Regina Porto que né...segundo um feliz dia dos namorados a todos os amigos e amigas, colegas, alunos e alunas, solteiros separados e divorciados (porque estes já namoraram um dia e podem até continuar namorando), aos amigos em união comum ou estável, casais homos, héteros e de seus próprios gêneros, aos que amam e aos que gostam dimais, aos que continuam namorando mesmo após anos de convívio ou matrimônio...terceiro, recomendações da experiência, aproveitem o dia...comprem um presente, tomem uma rosa, peguem uma lembrança, desfaçam uma briga e travem uma queixa...hoje é o dia...mesmo uma lembrança delicada ou uma palavrinha querida é um grande presente....quarto, e vejam bem aproveitem o sol, a lua cheia à noite, o jogo do Brasil, a folga ou tudo que tiver ao alcance das suas possibilidades para comemorar. Amar é a melhor coisa do mundo e não adianta duvidar, nem suspeitar ou interrogar, só quem já amou ou ama de verdade vai me entender....um beijo, um abraço e um aperto de mãos....

BRASIL, DEMOCRACIA E COPA DO MUNDO

Temos uma democracia, somos um pais soberano e sediamos a Copa do Mundo.....salve o povo brasileiro e viva a alegria da nossa gente que luta e que sorri para vencer!!!!!!

O CONCEITO VIP FOI ABOLIDO - O POVO AGRADECE O FIM DO PRIVILÉGIO DA ELITE

De tudo que tenho visto nestes meus parcos e poucos 49 anos de vida, pouco vividos e em nenhum número ainda privilegiados, creio que sem nenhuma sombra de dúvida acabaram de explodir o conceito de V.I.P. - Very important person, porque naõ consigo imaginar privilégio algum a ser concedido a este tipo de pessoas. Valeu Pessoal de São Paulo - isso é uma REVOLUÇÃO! A partir de 12 de junho de 2014 ninguém mais vai querer fazer parte da mal afamada e mal prezada área VIP.

P.S.: Lembrei meu irmão: é o fim do estilo nojentão. 

COPA DO MUNDO DO BRASIL É UM SUCESSO

Bom Dia....a Copa do Mundo está acontecendo e esta sendo um sucesso de público, com jogos maravilhosos, muitos craques mostrando a que vieram - com um destaque para o Messi no Maracanã de ontem à noite, e um amigo meu só diz uma única coisa: Só dentro do Brasil a imagem do país é ruim, todos que vem para a Copa confiam no Governo Dilma e tem excelente imagem dos projetos e da política brasileira que o Lula praticamente reinventou e pior do que isso todos os europeus adorariam ter um governo como o de vocês, invejam vocês pelo que vocês conquistaram e estão mantendo e a vaia dos que vocês chamam de "coxinhas" prova que o pais de vocês está sendo dirigido para o povo não para uma elite de privilegiados, playboys ou ignorantes endinheirados....dá licença que eu não vou dizer mais nada, vou para escola lecionar porque meu nome é trabalho e eu sou professor....a Copa não vai decidir a eleição, mas vai trazer e está trazendo muita coisa boa para o Brasil, inclusive, uma outra visão do que anda acontecendo por aqui que alguns não querem ver nem compreender...bola prá frente que temos uma democracia...

sábado, 14 de junho de 2014

A ORIGEM DA RAZÃO

Ontem me saiu esta: A ORIGEM DA RAZÃO, como um bom título para um trabalho ou projeto.

Em meio a conversas e brincadeiras sobre chá inglês, Charles Darwin, Adão e Eva com meus queridos familiares ontem...mas é na verdade de um ciclo de resultado das minhas  aulas sobre o surgimento do logos grego, a razão moderna em Descartes e a leitura daquela sempre maravilhada e repetida tese do Gerd Bornheim sobre a Motivação Básica e atitude originante do filosofar , a tese de livre-docência dele defendida em 1961 na UFRGS, que para mim é absolutamente genial e talvez o primeiro livro de filosofia brasileira com todo respeito a todos os esforços de outros e aqueles que não li ou que minha ignorância elementar desconhece ou não compreendeu....esta publicada com o título INTRODUÇÃO AO FILOSOFAR: O PENSAMENTO FILOSÓFICO EM BASES EXISTENCIAIS....e toda as bibliotecas escolares receberam naquela leva de livros do programa nacional de livros didáticos PNLD-MEC.recomendo com veemência a leitura para quem não leu e para quem quer estudar filosofia compreendendo suas bases....

A DECADÊNCIA DO ESTADO DE SÃO PAULO E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

Desculpe a TESE, mas eu creio meu querido professor Renato Janine Ribeiro que isso – a inserção de falas ultrapassadas de Ferreira Gullar e Julio Medaglia na radio cultura de SP, é um sintoma paulista típico, da conjuntura e do passo ou descompasso histórico em que São Paulo se encontra. Há ai claramente uma falta de conselho de administração nestas mídias e de uma decadência passadista e falta de renovação e atualização cultural na linha editorial destas mídias.

Elas são midias estatais são e estão relacionadas à políticas e a concepções políticas também ultrapassadas. Creio que é preciso discutir isto profundamente porque também envolve certos senso de limites para certas pessoas que se julgam eternizadas por suas grandes obras e importantes contribuições. Agora me diga como aposentar ou dirigir "personas" como estas e outras? No domínio político temos eleições que deveriam nos ajudar a substituí-las e a aposentá-las com dignidade. Mas me parece que ninguém é muito dado a sabedoria de saber a hora de sair ou de passar o bastão. Parece que não criam discípulos melhores que os mestres por ai ou com estes homens que temos aos milhares e que aparecem com mais vigor hoje tendo em vista a ampliação da longevidade. Mas penso também que esta midia que tem se desenvolvido desde os anos 50 sofreu pouca renovação no resto do Brasil o que só foi agravado pela posição de monopólios nela herdadas da ditadura.

E em São Paulo o caso parece ser mais grave. No Brasil ainda tem os monopólios políticos da grande globo e suas afiliadas, das concessões ad ditadura e do sistema político monopolista brasileiro, e ma TV Cultura que permanecem os mesmos dada toda esta inalternância no Poder em SP desde Montoro, Covas, Serra, Alckmin e os "gênios de gabinete" que estão a 32 anos governando SP (Safatle pontuou isso ao sair, com muita precisão crítica) e levando o maior estado do país a um estado de decadência ideológica e cultural, econômica e administrativa inimaginável. O atraso é tão grande que eles estão discutindo a dívida da USP olhando somente para a conta DÉBITOS e não para os CRÉDITOS CULTURAIS E TECNOLÓGICOS desta universidade. Sendo que todos os reitores da USP foram indicados por membros desta mesma escola de Montoro, Quércia, Covas, Serra, Alckmin. Não consigo destrinchar em SP o PMDB do PSDB, por mais que eles queiram fazê-lo. Por mais que se deva respeitar as contribuições destes paulistas e seus limites, compreender seus projetos no quadro histórico adequado é preciso dizer que São Paulo parou no tempo e aquela elite que vaiou a Dilma, a proliferação dos "coxinhas" e de outras versões de néscios paulistas é só um dos muitos síntomas disto meu grande professor e filósofo.

São Paulo precisa ser repensada e se abrir de forma correta para o resto do Brasil para sair desta crise. Eu olho para o RS - meu estado - e vejo Tarso Genro e seu governo com todos os limites e objetivos ainda a atingir. O que envolve desde o cumprimento da lei do PISO NACIONAL DOS PROFESSORES - preservando o atual Plano de Carreira dos mesmos, fazer o estado crescer em índices superiores ao resto do Brasil, tendo as menores taxas de desemprego e implementando políticas públicas e vejo que deve haver algo sendo feito certo aqui e algos endo feito muito errado ai em SP e não dá para usar mais o argumento recorrente de que SP é uma MEGALÓPOLE para não fazer nada.

É preciso mudar a política ai de verdade e tratar o Estado de São Paulo com a grandeza e a coragem que ele merece. E meu caro filósofo deve se construir ou reconstruir um estado com gestão e com objetivos mais generosos e ambiciosos do que estes que ai se cumprem. SP não pode ser mais governada por ZELADORES de CONDOMÍNIO decadente coimo tem sido. E no ano passado quando a polícia baixou o pau nos Manifestantes pelo Passe Livre detonando e gerando toda a reação que ouve é preciso que se diga claramente que o ZELADOR deu sinal claro de não compreender o processo que enfrentava e de não ter juízo atualizado para exercer o Poder. Assim, as falas decadentes de Julio Medaglia e de Ferreira Gullar são a ponta da decadência cultural e política de São Paulo dando as suas caras mais uma vez. E desrespeitar a memória de Vladimir Herzog é o cúmulo da perversão que esta decadência torna possível.

Bem, talvez olhar melhor para o quadro brasileiro seja uma tarefa necessária mesmo para os paulistas. Sobre o RS e o RJ creio que deve valer aqui a análise rigorosa também. A minha percepção de SP é desagradável também para mim mesmo. Eu percebo – a partir do olhar Ed um estudante de filosofia - que claramente a tradição cultural paulista contribui com um grande crescimento e auge nos anos 80 – na redemocratização - indo das publicações das editoras Brasiliense, Cia das Letras, a Folha de SP, caderno Leia, as produções da USP, e da Unicamp, o CEBRAP, TV Cultura e muitas outras instituições e depois uma queda vertiginosa. Neste tempo estudava na UFRGS e tinha muita admiração pela Escola Paulista. Aliás, foi neste tempo que conheci teus trabalhos sobre Hobbes e que me fascinava com a filosofia moderna por força e arte, engenho e precisão do Brum Torres e do Balthazar. Eu lia Rouanet, Barbára Freitag, Gianotti e Chauí, Schwartz, Antônio Cândido, Florestam Fernandes, Sérgio Buarque de Hollanda e muitos outros. E isso se somava ao meu cardápio prévio de Oswald de Andrade e Mário de Andrade. E percebia a produção cultural paulista engatada na brasileira e fazendo a recepção e crítica palmo a palmo dos debates internacionais. Mas a decadência tem este efeito é dolorosa para quem assiste e para quem a vive.


Escrevo aqui de um impulso pensando mais na Crise da USP que é algo que me perturba e me deixa muito indignado, porque ela mostra os limites terríveis daquilo que o Nassif e outro grande paulista chama de a política dos cabeças de planilha. Creio que a política em São Paulo - e isso significa a política do PSDB de SP - fez uma seleção selvagem - alguns culpam o Serra disso (mas ?)...e confesso que sou um grande fã de outros paulistas que são pouco ouvidos ai  e que curiosamente pertenceram, ao PSDB ou foram aliados do PSDB também. Bresser Pereira é um deles entre outros. Então debater SP me parece também uma tarefa para os brasileiros porque é uma peça chave para o desenvolvimento do Brasil. E é exatamente nisto que o nosso Lula está de olho. Qualquer um de nós sabe que se colocarmos os vagões de SP na locomotiva Brasil a andar na mesma direção, mas contribuindo e afinado, diferenciado e respeitado, este país pode crescer muito mais. Por isto vejo a decadência, mas ainda sou otimista, SP vai passar  e vai sair desta fase.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

FILOSOFIA E QUESTÕES FUNDAMENTAIS

Dois alunos apresentaram na arrancada da aula de hoje duas questões. A primeira era se eu podia responder: O que é uma filosofia de vida? A segunda: Qual a utilidade da filosofia? Fiquei pensando e adotei a estratégia - que ao meu ver  é clássica ou standard em filosofia - que é buscar uma questão mais fundamental. Mas o que é a filosofia? Pois somente a partir de uma resposta sobre esta questão poderíamos responder as duas sobre a sua utilidade ou sua relação com a nossa vida. Pois, a conclusão ficou bem simples e precisa. Filosofia ou filosofar é buscar perguntar ou responder respostas de qualquer forma buscando questões mais fundamentais que nos auxiliem a compreender as mesmas. E o recurso a pergunta o que é filosofia nos mostrou que uma "filosofia da vida" deveria interrogar sobre o sentido da vida e ira para além da mera busca de prazer ou de alguma utilidade. Sendo a utilidade da filosofia medida talvez pela sua possibilidade de nos pautar questões mais fundamentais e nos tocar de sua importância para a nossa vida ou nossa existência. Não consigo relatar aqui em detalhe tudo que rolou em aula, bem como as outras questões e participações dos alunos mas foi bem legal porquanto o plano de aula ficou de lado, mas se encontrou uma bela caracterização e problematização da matéria e todos participaram e ficaram atentos ao debate e à discussão e outras consequências tiradas sobre nossa vida e etc. Valeu 2M2 Bruno e Nicolas....e todos os colegas....

quinta-feira, 12 de junho de 2014

QUE IMPORTÂNCIA TEM A COPA?

A importância que as pessoas dão a ela. Exatamente isto. As pessoas compram ingressos, se mobilizam, compartilham planos, torcem pelos seus países, observam os lances estéticos e belos do futebol, se emocionam, assistem muitos jogos, algumas viajam para isto, outros ganham salários trabalhando com o futebol ou com este evento, outros gastam recursos, conhecem lugares novos, conhecem outros povos, abrem sua cabeça para um mundo que é maior do que aquilo que habita na sua cabeça ou ao seu arredor. Ela é um evento e pode nos fazer bem, nos dar alegrias e também nos fazer pensar mais sobre coisas que não pensamos com certa regularidade em nosso cotidiano, por exemplo: que importância tem a alegria do próximo para mim? Vejo algo relevante ai, pois para mim tem muita importância, meu senso crítico não tem nenhuma necessidade de desfazer as gotas de  ALEGRIA DOS HOMENS neste grande VALE DE LÁGRIMAS QUE É O MUNDO. Assim como não me julgo mais inteligente ao quebrar as muletas que muitos usam para viver e dar sentido a sias vidas ou ao atacar as crenças que dão conforto a milhares, milhões de seres humanos por este planeta, nem me julgaria inteligente ao desfazer o prazer que as pessoas tem com esta forma ou outras de diversão, com atividades lúdicas, com recreação, com espetáculos e cultura, arte ou qualquer outra forma de ação humana que seja ao mesmo tempo estética e pacífica e que envolva alguma afetividade para com o outro...e confesso que eu considero o FAIR PLAY um ganho civilizatório....agora argumente contra isso...sem apelar ou baixar o nível...

PS.: Deveria dizer para alguns que passem a amar mais a vida...as ideias passam, ficam, mas a vida é que lhes dá suporte...alguns excessos de crítica só servem para aborrecer e não são reflexos de inteligência apenas de precipitação no gatilho...a Copa é importante para muita gente e é parte da vida de muitas pessoas também...calma na rajada...menos ódio no coração te fará bem.


Eu considero sinceramente uma grande bobagem e perda de tempo julgar a copa como a mãe ou a filha dos males do mundo ou deste pais...as pessoas poderiam fazer um esforço de tentar ser justas umas com as outras e Platão, Sócrates ficariam muito felizes com isso....compreender a vida dos homens, relativizar certas coisas e dar valor para o que realmente importa ajuda a dar a medida correta das coisas. A copa acontece no Brasil: ENJOY.

O ADVOGADO E O FILÓSOFO

Sócrates - programa de junho para os alunos dos primeiros anos....pensei nele e em Che Guevara, em João Carlos Haas Sobrinho e em muitos outros mártires da história desta humanidade. É realmente um grande sacrifício ousar contrariar a lógica dos perversos. Daqueles que usam seu conhecimento, sabedoria, poder ou posto para ludibriar as pessoas, usurpar direitos, explorar trabalhos, escravizar aos outros e submetê-los a infâmias e outras indignidades. E me lembrei de todos os professores e professoras que procuram com todas as suas forças educar jovens para a honestidade a bondade, para a justiça e a retidão, a igualdade e o respeito ao outro. Educar e transmitir conhecimento não para venceres os debates, encantares as plateias, ludibriares as audiências e torcer os fatos com interpretações e jogos de palavras até que de tal modo eles lhe pareçam favoráveis ou verdadeiros. Sim, eu penso e quero que meus alunos pensem mais; sim, eu reflito e quero que meus alunos reflitam para viver e façam uma sociedade em que a justiça não seja vendida ou comprada, curvada ou interessada. Me lembrou Sócrates indo ao sacrifício com a serenidade e a tranquilidade de quem sabia exatamente o valor do que estava fazendo..e consolava seus discípulos...sem fazer menção sequer de dor ou lamuria....ao ônus que lhe era imposto ao enfrentar seus algozes, juízes ferozes e ao populacho....tem momentos em que a coragem de um bom advogado excede seu tempo e supera aos limites do arbítrio no alcance de sua voz...e com a verdadeira sabedoria também é assim....lembro de ti: NÃO BASTA SER VERDADEIRO, É PRECISO TER A CORAGEM DE SUSTENTAR A VERDADE PERANTE O INIMIGO MAIS VIL E AMEAÇADOR!!! O resto é o silêncio do tempo e a algaravia das ruas....

quarta-feira, 11 de junho de 2014

OLHA ESSA MESA MEU CHAPA

Tarefas para todas as aulas prontas e devidamente planejadas após 20 horas de preparação do segundo trimestre com certas mudanças de foco e método. Em especial para os terceiros anos, com medianas alterações para os segundos e mantendo os planos nos primeiros anos. Se postasse minha mesa aqui, cheia de papéis, polígrafos, provas, livros e esboços, poucos ousariam tentar ser professor de filosofia algum dia. mas quer saber? É bem legal, porque em meio a isso, tem isto e aquilo outro também e é bem bom lidar com muitas coisas em paralelo e numa dinâmica contínua cheia de áreas de encontro, pontos de relação e rebatimento e ainda tem a pauta cotidiana da vida, da casa, da escola, da cidade, do estado, do país e do mundo. O que é estar conectado e em interação? Bem pode ser muita coisa.....e ainda tem aquelas pesquisas eventuais que respondem a curiosidades e interesses que se apresentam e reapresentam desde jovem. 

terça-feira, 10 de junho de 2014

PRÁTICAS SEM CONCEITOS SÃO CEGAS E CONCEITOS SEM PRÁTICAS SÃO VAZIOS

Tem sempre algo irônico - além de interessante - por traz da auto-observação de um professor. Você exclama para si mesmo: Opa! Mas pode ser também uma ironia consigo e com seus colegas, com suas vivências e suas experiências. Mas também com alunos. Quando a gente tenta clarear, avaliar ou julgar certas práticas, ações ou juízos, medidas ou regras em geral usamos conceitos. Tenho me preocupado muito com o alcance de justiça e de honestidade. Estes dias eu disse - em meio a um debate sobre educação e mudança na educação - que muitas práticas precedem conceitos, e que muitos praticam coisas novas sem conceitualizá-las. Mas isto também vale para práticas antigas e para outras experiências e experimentos. Me dei por conta de que ao construirmos conceitos sobre estas práticas ou formalizarmos alguma tekné sobre elas podemos estar perdendo algo singular mais relevante do que o que se obtém com a regra geral, por supressão, simplificação ou certo deficit de percepção ou observação. Resolvi anotar aqui para talvez gerar outras reflexões sobre isto depois. - inspirado por Ian Hacking e algumas observações de experiências....

Ps: na terminologia traduzida dele se tratam de TIPOS...que ele afirma tomar de Nelson Goodman que considera eles como uma construção social...creio que vale este meu uso emprestado aqui...mas gosto mesmo de usar conceitos para tal coisa e minhas razões são de simplificações e de tradução....mas se quiser entender por tipos ou julgar falta grave de rigor podemos conversar mais sobre isto também...meu interlocutor desconhecido mais preferido é aquele que se revela com argumentos.....

CERTAS OPINIÕES

Tem tanta gente mesquinha por ai que nunca organizou nada nem se dedicou de corpo e alma para melhorar a vida do povo ou realizar qualquer projeto coletivo falando bobagem...e ainda tem aqueles cujo dispositivo de controle e autocensura de suas opiniões está sempre desligado por burrice  ou ignorância e por falta de vergonha na cara. Mas passa....eu creio que a cada dia que passa tem muito mais gente observando de forma judiciosa do que seguindo estes papos furados....

segunda-feira, 9 de junho de 2014

NÃO VAI TER SÃO LEOPOLDO FEST 2014 - NO ANO DA ALEMANHA NO BRASIL?

É mais uma notícia ruim do PIOR GOVERNO DA HISTÓRIA DE SÃO LEOPOLDO. Soma-se a diversas outras que ainda nos deixam mais tristes e pesarosos. Esta é a administração que vai de forma leviana e irrefletida contra toda a história desta cidade. Passando pelo respeito e defesa do patrimônio histórico e todos os programas culturais abandonados ou destruídos.

E mais esta notícia agora que vem justamente no ano em que se deveria comemorar os 190 anos de Imigração Alemã no Brasil na Cidade Berço da Colonização Alemã no Brasil.  E nbo ano da Alemanha no Brasil.

E comemorar isso não para dizer que a cidade é mais alemã ou menos, mas construir uma consciência histórica e ao mesmo tempo homenagear todos aqueles que a construíram, desenvolveram com muito trabalho, cultura e fé. Este governo é perante isto uma vergonha completa e não estão com toda esta tropa de CCs nenhum pouco à altura da grandeza e da importância da história da cidade que governam. Nunca vi repetidamente tanto desprezo, tanta falta de vergonha e escrúpulos com a cultura e a educação da cidade, tanta desfaçatez. E isso se mostra na relação com jovens, negros, carnaval, servidores, educadores, mulheres e cidadãos e cidadãs desta cidade

Discordo de forma veemente dos que julgam levianamente este fim da São Leopoldo Fest uma boa notícia, porque economizaria dinheiro, eliminaria algum desperdício  ou porque a festa já foi ruim no ano passado ou porque nunca lhe agradou ou contemplou em suas expectativas. Considero isto sem propósito, como um despropósito e que contribui muito pouco é apresentarem este tipo de opinião com justificativas banais, pessoais ou econômicas contra, para além desta festa, contra a cultura e as atividades culturais desta cidade.

E esta notícia só é boa para quem não quer nada, não propõe nada e não produz coisa alguma na área cultural e só faz a conta fácil e simplória que lhe interessa.

E isso é feito sem olhar para os esforços anteriores, públicos e privados, e para as iniciativas e os trabalhos dos outros cidadãos e agentes culturais com o devido respeito e compreensão que eles merecem pelo desafio que enfrentaram, enfrentam e por persistirem apostando em cultura contra a fraca opinião ou a indiferença e insensibilidade de alguns.

Justamente por apreciar, conhecer, trabalhar e militar com a cultura de São Leopoldo há mais de 30 anos é que me sinto obrigado a defender esta posição.

Creio que falta muita informação e conhecimento para tratar estas coisas da cultura, os seus eventos ou programas com esta opinião tão superficial e negativa. Alguns consideram que tem direito a opinião aqui. Sim, possuem este direito a opinião, mas este mesmo direito não te autoriza a dizer besteira só para agradar teus "impulsos superiores" que não levam a nada ou defender os últimos vassalos desta administração vergonhosa na cidade.

Venho há mais de 30 anos apoiando aqui e participando ali na companhia de muita gente boa que trabalha e não se limita a ter opinião sobre assuntos que não lhes afetam nem lhes ocupam de forma séria e cotidiana. Me aprece que é uma tremenda barbaridade defender isso aqui publicamente que só pode ser tolerada por um direito a opinião que não tem informação nem seriedade no que toca a este assunto da cultura e da cultura leopoldense.

O chamado INTERDITO PROIBITÓRIO É SUBJETIVO...e isso que o Felipe Merker Brito pegou bem na piada sobre esta tragédia dizendo que o Governo Moa obteve uma liminar com INTERDITO PROIBITÓRIO contra a REALIZAÇÃO DA SÃO LEOPOLDO FEST 2014...só numa cabecinha bem limitada e de pouco alcance destas  que fazem parte do pior governo da história de São Leopoldo isso é compreensível como sintoma de causas doentias e frágeis ligadas a notória incapacidade de gestão deles de organizarem qualquer coisa. E esta incapacidade vem agravada por certa ignorância e desrespeito com a nossa cidade e a sua longa tradição cultural. Vi isto em diversas situações ao longo dos últimos 17 meses.

Este algo subjetivo e bem pessoal aparece na base destas opiniões  que dizem bobagens de forma repetida em qualquer oportunidade ou espaço contra CARNAVAL, SÃO LEO FEST E FEIRA DO LIVRO  insulta o trabalho coletivo e o esforço coletivo de muita gente e o sentido de vida de muita gente...alguns que já se foram e outros que lutam por cultura nesta cidade....seja em carnaval seja em SL FEST...isso só mostra o quanto descem as coisas quando as pessoas tentam julgar tudo a partir de sua perspectivas estritamente pessoais...que culpa tem os agentes culturais dos assaltos da São Leopoldo Fest para responder a um ataque intempestivo de certa leitora deste debate? É completamente irrazoável e infantil criticar a SL-FEST por isto. E isso é uma injustiça que vem se somar as muitas outras injustiças perpretadas sob a proteção este governo que parece não ter a mínima noção nem de justiça ou reconhecer a necessidade de justiça social.

Defendo que temos que pensar em todos os senões relativos à São Leopoldo Fest, mas que não se deve desistir por isto ou por aquilo, mas sim aperfeiçoá-la e melhorá-la. Não tenho dúvida que ela precisa ter uma gestão democrática  e ser absolutamente transparente em seus recursos e resultados. Pois é claro para mim que é preciso persistir, reforçar e responder ao desafio sempre. E que isso é melhor do que recuar e renunciar à promoção cultural, ao incentivo cultural e a organização de eventos. E creio também que é preciso sempre criar alternativas e ampliar os parceiros. Por exemplo, procurar organizar os parceiros com todas as escolas que raramente se envolvem de fato efetivamente com as feiras do livro ou com a São Leopoldo Fest. Portanto, já estou enunciando aqui que para mim a São Leopoldo Fest deve integrar e apresentar a cidade. Porém, por enquanto a cidade recua em muitos aspectos. Isso é triste, mas isso vai passar.

Discordo muito de quem simplesmente lhe nega a possibilidade de melhora, porquanto é preciso comparar e julgar sim todos os eventos culturais da cidade, mas tomar isso como um desafio para melhorá-los e não para diminuir os esforços de uns ou outros nesta história que tem mais de 20 anos já. Creio que é preciso abordar de forma positiva e construir e propor soluções para estes eventos. E que esse tipo de crítica genérica e negativa que vem sem argumentação é o que há de pior nestes debates, porque não estabelece nem parâmetros nem apresenta argumentos para melhorar os eventos. Penso sim que pode ser feito algo bem melhor da São Leopoldo Fest e participei como trabalhador da organização de uma destas últimas 9 que ocorreram e não vejo desta forma esta festa com sem saída ou sem solução. Sei que todo evento deste porte tem problemas e tem ganhos culturais e econômicos. Não gosto do argumento de terra arrasada que muitos apõem ao organizador X ou Y. E também não creio ser justo querer tratar a festa como exclusivamente assim ou assado, para isso ou para aquilo. Vejo esta festa como uma possibilidade de integração de diversos setores da sociedade e de realização deles. Se tomarmos tudo que deu certo até hoje nets festa percebemos claramente isto. Seja como feira da indústria, do artesanato ou do comércio local, como mostra da cultura e da história e também como espaço de promoção institucional da cidade. Mas requer sim investimento público e melhorias em sua organização. Sendo justamente esta diversidade o grande desafio frente a outras feiras ou festas próximas da nossa cidade.

Sou daqueles, portanto, que aposta na diversidade cultural e comercial como um grande trunfo deste evento e não é verdade dizer que todas as suas realizações foram péssimas ou que não trouxeram resultados bons nos dois aspectos. Mas é um investimento público e eu penso que precisa ser feito por muitas razões melhores do que aquelas que são apostas contra. E ela ser festinha para você ou outro não elimina o evento para muitos outros e para toda a cidade. Sempre é preciso também integrar e inclusive avaliar socialmente a satisfação da população e dos participantes em relação à festa com indicadores precisos e bem orientados e é preciso ter clareza das diversas expectativas em relação à ela.

A escolha, enfim, do novo secretário da cultura combinada com o anuncio do cancelamento da São Leopoldo Fest 2014, na minha sincera opinião traz uma notícia muito ruim, mas a escolha não é ruim em comparação com os néscios anteriores. Mas vamos combinar que SER O SECRETÁRIO DO NÃO deve ser a pior tarefa que alguém já recebeu nesta cidade. E não adinata me criticar por ver assim, se sou duro na crítica assim é porque nunca a área da cultura foi tão rebaixada nesta cidade. E isso é uma pena e um dano para toda a cidade. Vejo que é um grande prejuízo para todos que tem atuação e que privilegiam alguma atenção para a área cultural da cidade em sua ampla diversidade.

O fundo do poço e o nivel da ignorância é tão grande neste governo em relação a este tema que algumas pessoas precisam ser lembradas e aprenderem de uma vez por todas que esta é a cidade natal de muitos agentes, criadores, escritores, artistas, arquitetos, escultores, músicos, pintores e personas culturais notáveis em diversas áreas e linguagens e que mesmo hoje ela abriga muitos agentes culturais importantes que a escolheram para residir e que adotaram esta cidade para viver e que esta cidade tem mesmo um povo que gosta muito de cultura, que vai do popular ao erudito e que esta cidade e este povo precisa ser também reconhecido e respeitado pelo poder público municipal.

E há aqueles que negam a possibilidade de se constituir um discurso sobre este tema, que dizem que estão cansados e tal, mas eu creio que poderia dizer então façam vocês um discurso melhor. Estou falando com muita sinceridade, mobilizando meu pensamento para isto e com algum conhecimento e não chateado ou ocupado em criticar o trabalho dos outros como se somente o meu fosse o melhor do mundo. Penso muito nesta nossa cidade e quero e penso ser um direito meu de cidadão querer um panorama cultural e propostas culturais melhores do que o que ai está. Não quero fazer o discurso do não ou o secretário do não ou o agente do não. Aqueles que em geral vão contra isto tudo que digo não apresentam um argumento sequer. Então, como querem negar um discurso?. Daí também não vale e este é justamente o discurso que não vale o discurso de quem não faz nada e não propõe nada. E é muito confortável ficar no nihilismo puro, ou no pessimismo puro porque a responsabilidade ou o discurso é sempre o dos outros.

Para a cidade que já teve um Nando Dávila, um José Pedro Boéssio, Luis Brasil, Vianna Moog e muitos outros, que possui comunidades organizadas para carnaval, tradições gauchescas, danças de todos os tipos, escolas de música e línguas, jornais, rádios, onde Rui Carlos Ostermann nasceu, onde Bebeto Alves vive e produz, Rogério Severo, Lúcia Passos, para ficar com alguns ativos, e muitos outros artistas e criadores, fotógrafos, músicos e pintores, escritores, professores e intelectuais residem e produzem, com suas duas universidades e toda a sua tradição cultural é muito pouco e é muito ruim vermos o que este governo tem apresentado. E, por fim, é o ano da ALEMANHA NO BRASIL e cabe perguntar:  foi para isso que os senhores se elegeram? Para fazer o pior governo e ter o secretário do não na área cultural?

Um grande abraço amigo...

PORQUE DEFENDO?

PORQUE EU DEFENDO A SÃO LEOPOLDO FEST, FEIRA DO LIVRO, CARNAVAL, FEIRAS POPULARES, CONCERTOS, MAIS EDUCAÇÃO, MAIS CULTURA E QUALQUER TIPO DE EVENMTO CULTURAL QUE TRAGA UM PALCO PARA A ARTE E UMA PRAÇA PARA A ECONOMIA POPULAR, DOMÉSTICA, COMERCIAL OU INDUSTRIAL E TECNOLÓGICA?

PORQUE AINDA DEFENDO A AQUISIÇÃO DO IMALAS?

PORQUE EU AINDA DEFENDO O INVESTIMENTO EM PARQUES TECNOLÓGICOS?

PORQUE DEFENDO A FORMAÇÃO DE BANDAS NAS ESCOLAS?


PORQUE DEFENDO QUALQUER TIPO DE DE FESTIVAL CULTURAL?   

domingo, 8 de junho de 2014

AS PESSOAS MUDAM E ESTÃO EM SITUAÇÕES

AS PESSOAS MUDAM E ÀS VEZES É PRECISO UMA CRISE MUITO BOA OU MUITO RUIM PARA ISSO ACONTECER

NUMA ARGUMENTAÇÃO 
MUITO RÁPIDA E BREVE 
SOBRE A POSSIBILIDADE 
DAS PESSOAS MUDAREM, usei a figura de que às vezes as pessoas estão em “situações” que não é o ser delas que se apresenta ali e que aquilo que lhes atribuímos como defeito, erro ou estado é passageiro e pode ser alterado. E que se encaramos isso compreendemos a liberdade das pessoas perante estas situações. Bem, minha ideia de situações envolve de um lado algo que é passageiro ou que não é definitivo e que pode ser alterado e provém de Sartre: as pessoas mudam, ainda que algumas precisem de uma crise para compreender esta possibilidade através da liberdade e da sua própria compreensão e visão de autonomia. Esta situação requer certa crise:

"Serão precisos dois séculos de crise - crise da Fé, crise da Ciência - para que o homem recupere a liberdade criadora que Descartes atribuiu a Deus e para que se conceba finalmente essa verdade, base essencial do humanismo: o homem é o ser cuja aparição faz com que um mundo exista. Mas não censuramos Descartes pelo facto de ter atribuído a Deus o que nos pertence por direito; admiramo-lo principalmente por ter, numa época autoritária, lançado as bases da democracia, por ter seguido até ao fim as exigências da ideia de autonomia e por ter compreendido, muito antes de Heidegger de Vom Wesen des Grundes, que o único fundamento do ser era a liberdade". {HEIDEGGER trad.: DA ESSÊNCIA DO FUNDAMENTO}


In: Jean-Paul Sartre, Situações I. 1941

SEMANA DE ARTE MODERNA DE 1922

O movimento modernista é tão importante que deveríamos começar já a preparar o CENTENÁRIO DA SEMANA DE ARTE MODERNA DE 1922 - no MINC -  em todo o Brasil de modo a compreender nosso passado cultural e esta importante experiência que divide a história da cultura brasileira. 

E sacar as influências disto para que tudo que se sucede de modernismo e progresso depois também é fundamental. Quando se fala hoje em diversidade cultural é preciso compreender que suas bases mais radicais e ligadas a um naturalismo, folclorismo e  futurismo estão lá também. 

Meu primeiro trabalho escolar que me apaixonou e me entusiasmou para o conhecimento, a cultura e a ciência foi sobre A SEMANA DE ARTE MODERNA DE 1922 - depois disso comecei a gostar muito de fazer sínteses e a análises sobre assuntos, áreas e autores ou autoras de interesse...recomendo porque é um tema muito interessante e me lembra como um paradigma estético é transformado de forma tanto criativa como influenciada por tendências estéticas externas...e no caso da semana de arte de 22 foi fundamental para todo meu interesse a disponibilidade da obra de Aracy do Amaral Artes Plástica na Semana de 22. São Paulo:  Editora Perspectiva, 1973. na Biblioteca Pública Olavo Bilac - hoje Biblioteca Pública Vianna Moog em São Leopoldo.

sexta-feira, 6 de junho de 2014

FALAR MAIS SOBRE EDUCAÇÃO

Ia falar sobre mais ainda educação hoje, sobre este estranho sentimento que tenho tido de que deveríamos escrever bem mais sobre nossas experiências de professor e professoras. Esta impressão que tenho tido nestes últimos seis anos de que tem algo muito importante de fato acontecendo com a gente em sala de aula, com alunos e colegas, na sociedade. Sobre as trocas e as impressões compartilhadas sobre a forma como construímos memória de nossas ações e palavras, posições e conceitos que vamos desenvolvendo na experiência cotidiana que vai sendo refletida por cada um à sua forma...mas...vou pensar mais e ler e rever algumas notas destas semanas, lembranças desta caminhada e também vou pensando nos meus colegas da rede municipal que sofreram o que sofreram ontem e desde esta jornada de luta toda, sobre as eleições do CPERS que serão na semana que vem em todo estado e ainda sobre a minha dificuldade e sentimento de que este método errado do qual tenho falado nos tem diminuído e promovido em algumas situações as piores coisas e as piores impressões possíveis. E eu sei que muitos estão cegos por convicções que não sobrevivem a um debate rigoroso e uma análise justa dos fatos e destas histórias e narrativas que acompanho. Mas vou pensar mais e ler alguns bons documentos que neste momento estão entre minhas mãos e sob meus olhos....     

LEMBRANÇAS DE VETERANOS, VOLTAR NO TEMPO E NO LUGAR E SEGUIR EM FRENTE MELHOR

Sobre a notícia do veterano do dia D de 89 anos que fugiu do asilo para comparecer ao aniversário de 70 anos da ofensiva aliada na Normandia, só quem já lutou de verdade por alguma coisa e venceu de alguma forma nesta luta entende a força de uma lembrança e a força de uma necessidade de jamais esquecer, jamais desistir ou jamais recuar perante dificuldades sejam elas quais forem. E eu creio que uma das coisas mais impressionantes no espírito humano e na consciência dos homens e mulheres que enfrentaram e combateram em alguma luta real é jamais esquecer aqueles que tombaram ao seu lado ou que lutaram ao seu lado e nesta memória talvez toque ainda muito o fato de que mesmo os adversários, os inimigos ou aqueles que foram derrotados merecem certo respeito e consideração sobre todo o enredo de casos e ações de outros que os levaram até ali. Quantos podem dizer que lutaram por algo de forma consciente com todo o seu coração e com todo o seu pensamento? Muitas vezes podemos ficar presos a memória da sobrevivência e apenas isso. Ela fica como um sentido mínimo, mas não é certamente este sentido mínimo que move e que nos impele com toda esta força a lembrar, não esquecer e homenagear aos seus e também a si mesmo. Talvez seja bom pensar que "isso já passou" seja somente um grande alívio, uma grande impressão que vale ser revivida nesta data e nesta ocasião. E estar lá com outros é: lembrar junto. Deve se passar de uma grande tensão e expectativa para um grande alívio e suspiro que compartilhado encena a grandeza desta passagem em nossa vida. Eu tenho lembranças de vivências, de certas experiências, batalhas, lutas e desafios superados e vez ou outra me deparo com algo assim como que um alívio que se realiza na efeméride ou mesmo apenas no lugar em que ocorreu. Se você soubesse, se você percebesse, se você sentisse a mesma coisa seriamos iguais por algum momento. E, assim, voltar aquele lugar sob outras condições pode ser melhor do que apenas lembrar da dor que se passou ou de tudo que a partir daquele ponto aconteceu....pausa....

quinta-feira, 5 de junho de 2014

REVOLUÇÃO NA EDUCAÇÃO COM OS JOVENS?

Após uma semana de agenda lotada e muito produtiva com o Seminário Internacional de Educação, na noite de segunda, tarde e manhas de terça e quarta, promovido pela SEDUC, cujo temática geral foi a Educação e a Juventude nos dias atuais, que só me trouxe mais confirmações sobre duas suspeitas metodológicas e sociais. E em meio a Conselhos de Classe (terça à noite turma 2N1, quarta à noite turma 2N2, quinta pela manhã turmas 3M1, 3M2 e 2M4 - faltando os demais até a semana que vem), em Cujos Conselhos de Classe Participativos da nossa Escola Olindo Flores, a qual realiza tal modalidade de conselho desde 2007 por iniciativa própria e deliberação dos professores e da comunidade escolar, paro para pensar no que tenho visto, escutado observado e compartilhado com colegas e alunos e nos sinais e indícios novos que tenho observado, me dou por conta de que as GRANDES MUDANÇAS JÁ ESTÃO DANDO NOVOS FRUTOS. Estas mudanças para mim são provocadas tanto por medidas atabalhoadas e mal dosadas, quanto pelos grandes impactos de fenômenos tecnológicos ligados às TICs - Tecnologias de Informação e Comunicação. Soma-se a isso os impactos, econômicos, políticos e sociais das mudanças no Brasil dos últimos 12 anos o que envolve mais investimentos em educação em todos os níveis, mais envolvimento dos educadores, o estabelecimento de novas diretrizes educacionais e ainda um conjunto de políticas que passam por livros didáticos no ensino médio, merenda escolar, políticas de ensino de ciências que - para mim - tem sido combinadas com  quase imensuráveis impactos das TICs nas estruturas reflexivas, cognitivas, comunicativas e da sensibilidade dos jovens. Eu vejo a grande mudança que minha esperança e fé no processo educacional vislumbrava para os próximos dez anos já se enunciando. Jovens mais autoconscientes, com formulações próprias, com perspectivas mais críticas  e também surpreendentes, com muitas informações precisas e com certa capacidade de posicionamento e interpretação nitidamente mais precisas e menos confusas, mais seguras e menos vacilantes e com tranquilidade nas diferenças, aceitando contradições, posições diversas e com mais compreensão mútua e coletiva. Olha bem, isso não é generalizado, mas eu não tenho a menor dúvida de que é já uma tendência muito clara tanto dos jovens que falam e apresentam observações quanto daqueles que consentem ou dissentem. Falando a partir do meu lugar eu diria que os jovens estão ficando mais analíticos e mais sensíveis em linhas gerais sobre muitos assuntos e que está ocorrendo uma espécie de surto de auto-avaliação rigorosa e compreensiva nestas novas gerações. Mesmo o tema bobinho e sutil do celular em sala de aula permite se abordar, por exemplo, tanto a dependência homem-máquina ou esta espécie de dialética do senhor e do escravo - o que havia já tratado no ano passado - que parecia que os homens ou jovens passavam a ser manipulados pelos equipamentos e não ao contrário, então havendo ai aquela dialética ás avessas para os obsessivos, viciados ou compulsivos na relação com estes aparelhos, quanto o tema mais preciso de certa honestidade dos jovens e das pessoas com os outros, consigo mesmas e com suas vidas. Sei que a oferta de sentido dos educadores sofre críticas, mudanças. Que os comandos e ordens tem sido abalados, mas me parece muito importante tratar dessa INTERAÇÃO ENTRE ALUNOS E EDUCADORES como um processo em que é preciso apostar nele reciprocamente, com responsabilidade, envolvimento e honestidade de mabas as partes. E entender enfim que este processo tem mesmo pro objetivo a mudança, a intensa mudança e aquisição por formação, descoberta e investimento na experiência de suas HABILIDADES, aquisição de CONHECIMENTO, avaliação de INFORMAÇÕES e depuração de OPINIÕES. E muito me atrai a perspectiva de que nesse jogo, nessa aposta de uns em outros, dos professores nos alunos, dos alunos nos professores e dos alunos sobre si mesmos, está em jogo também questões não somente de verdade, mas também de justiça, sociabilidade, eticidade e cuidado do outro. A MUDANÇA que estamos protagonizando juntos me parece ser muito mais significativa e intensa portanto. E há que se observar então o que se busca na escola, o que se procura na escola e como se faz isso. O que vale para os alunos que precisam ou que podem descobrir que precisam dela e também para os educadores que precisam ver outros aspectos também para calibrar seu engajamento nestes processos. Eu disse hoje pela manhã que tenho milhões de ideias e percepções para compartilhar e debater sobre isto. Penso que precisamos todos escrever sobre isto e ir conferindo e medindo os sentidos e as aproximações sem medos, compreendendo que o que ocorre hoje é realmente da ordem do EXTRAORDINÁRIO. Ainda que sejam sinais sutis e muitos mitigados por sofrimento e condições individuais que não são favoráveis a todos, nem confortáveis a todos. Mas vamos lá, vamos encarar isso...penso que está valendo a pena e muito... 

ESCRITOS INDIGNADOS: UMA PRECIOSIDADE

ESCRITOS INDIGNADOS

PAULO SÉRGIO PINHEIRO - Escritos Indignados, da Editora Brasilense, de 1984, me caiu entre as mãos agora há pouco no sebo SÓ LER da Independência em São Leopoldo, e me brinda com esta coletânea de artigos dele dos anos de 1070 a 1984, ou seja da Abertura Política até a Campanha da Diretas Já, e tem ali algo que todos nós da esquerda de então discutíamos persistentemente e nos engajava muito quando eramos jovens: A PAUTA INTEIRA. Não tenho a menor ideia a quem pertencia, mas me é um grande presente pois calha ser 30 anos da sua publicação, 50 anos do Golpe Militar e bem a nossa pauta tem andado na correção das desigualdades sociais, mas os temas policiais, autoritários e o modo como a mídia trata das questões socais ainda continuam sendo uma pauta atual. Me bati lendo algumas crônicas e textos e pensando nos sobreviventes, nos com memória e nos meus amigos. Quem aqui leu este livro? Eu creio que aquelas pautas, além de muito bem escritas e enunciadas, são atuais e vou aqui e ali anunciando algumas.