sábado, 31 de maio de 2014

A ELITE DEU A MENTIR AGORA?

Tenho visto coisas nos últimos tempos que jamais imaginei ver a elite gaúcha - la creme de la creme - fazer: mentir e enganar o povo com a maior cara de pau, e sou um homem muito respeitoso com a velha direita que jamais mentia ou enganava tinha orgulho em defender suas posições e quinhões com muita dignidade, piedade, altivez e galhardia  e sem nenhuma intenção que não simplesmente manter as coisas em seus devidos lugares na mais bela ordem desigual, mas que aos olhos deles era justa por mérito de seus pais, avós, bisávos e trisávos que afinal eram mui trabalhadores, pro-ativos e talentosos e que deram jeito neste torrão de terra defendendo-o com suas adagas, punhais, lanças e mosquetões, logo após divididas as sesmarias e lançadas nos livros de registros as devidas propriedades e glebas, quartos de milha em quadro e coisas quetais que justificassem suas riquezas e indolências e descendências bem pagas a soldo público e emprendedoramente...eles eram apenas conservadores, porque já tinham obtido tudo o que queriam e bastava apenas conservá-los e mantê-los sob a proteção de Deus no céu e das espadas na terra...depois aceitaram as leis e depois aceitaram o regime político instável que a democracia representava e desde que vencessem toleravam certa alternância no poder, tendo sido para eles somente insuportável os governos de alguns, de tal modo que promoveram logo logo - em certos tempos com maior dificuldade golpes e assaltos aos poderes constituídos, mas tudo dentro da lei e normalidade...nada demais nem de menos, somente o suficiente para impedir reformas e extinção de certos privilégios - ora essa - tais como seus monopólios e oligopólios e meios de manipulação e sustentação de seus status conquistado...mas os tempos mudaram muito ultimamente e agora eles estão indo à forra...e adotam já à luz do dia o vale tudo e o valha couto sem escrúpulo algum  e se o tostão deles estiver furado colocam o dedo no meio para enganar ao bodegueiro ou ao cobrador de ônibus..estão assim deste jeito: MUI DADOS A MENTIR.....haja confessionário.....mas que coisa bem bárbara esta mesmo....e bem assim AS SUAS DUAS, TRÊS OU QUATRO LETRAS MENTEM.....como é que pode? Não sei...mas quando descobrir aviso á plebe e à turba...por enquanto tomem cuidado com esta gente porque boua cousa não nos trazem nem nos dão...e não digam depois que não vos avisei...passar bem...

ME PERGUNTARAM O QUE É O ATRASO EM SÃO LEOPOLDO?

As últimas 17 palavras deveriam ser lidas pelos jovens carreiristas e inescrupulosos que usam seus trabalhos e talentos, oportunidades e ocasiões com o firme propósito de perpetuar privilégios e garantir a manutenção de suas existências em uma sociedade desigual e oligárquica.

“Não seria exagero dizer, depois de uma distância de trinta anos, que o Rio Grande intelectual, por força das diversas vertentes de estudantes, mudou, nos anos 40, muito em decorrência do que se discutiu e aprendeu na Faculdade de Direito, forçando uma oligarquia intelectual a perceber que, aos seus pés, havia uma sociedade emergente, não mais preocupada em participar dos privilégios, mas inconformada com a sua existência.” 

Raimundo Faoro, citatis in: AXT, Gunter. A Faculdade de Direito de Porto Alegre UFRGS: Memória, Ensino e Política desde 1900. Porto Alegre: Leitura XXI/Editora Paiol, 2014, p. 74. 

A FACULDADE DE DIREITO DA UFRGS - PRIMEIRA LEITURA

ESTOU LENDO O LIVRO QUE CONTA A HISTÓRIA DA CENTENÁRIA FACULDADE DE DIREITO DA UFRGS - o tema já me tinha custado certo interesse a partir do estudo da famosa geração de 1907 - e suas relações com o positivismo, o borgismo, o trabalhismo e vindo até o petismo, e para a história das idéias também, mas devo dizer que tem me dado outras descobertas mais sobre a história da filosofia gaúcha e bem - detalhes e mais detalhes de diferenças e mais diferenças entre a tradição filosófica gaúcha e a tradição política gaúcha cujas idas e vindas, cujos conflitos, acordos, renúncias e afastamentos merecem mais atenção minha em outros aspectos e direções que jamais havia imaginado....mas é preciso compreender que no seio das elites e disto tudo há um conflito mais fundamental entre o campo e a cidade, as aristocracias rurais e urbanas e o populismo e certa ambição burguesa não realizada....graças ao Gunter Axt, que já havia me provocado em outras obras e me atraído também a um aspecto da história de minha cidade que jamais havia compreendido: o seu papel cultural, religioso, econômico e  político na primeira quadra do século XX....recomendo...

.

OLÍVIO DUTRA SENADOR DO RIO GRANDE

Um grande abalo no panorama eleitoral do Rio Grande do Sul se confirmou nesta semana.  E sacode completamente o cenário eleitoral ao senado e tem inflexões na Chapa Majoritária e as chapas proporcionais também, com impacto razoável e considerável também na campanha de reeleição a presidência de Dilma Rousseff. A entrada de Olívio Dutra na chapa majoritária de 2014.

Vai dar tudo certo, contra o temor de alguns e contra as pseudo fidelidades e alianças. Vejo que algumas pessoas por inexperiência ou por dificuldade de entender as mudanças tem mais disposição e capacidade de torcer pelas tragédias do que pelos acertos...E algumas buscam inclusive razões para não ter razão ao dizerem que a volta de Olívio é um sintoma da limitação de um partido. Penso o contrário que mostra a capacidade deste mesmo partido de manter suas raízes e preservar seus quadros e ao mesmo tempo fazer a luta que precisa ser feita e creio que esta mudança pode ser muito mais benéfica para todos que compõem a chapa e que comporão as nominatas a deputados também.

Olívio trará debates esquecidos, inclusive por alguns que ousam julgar o processo atual sem estes debates em vista e parece querer apagar as contendas dos anos 90 de suas memória seja porque não viveram eles, seja porque não tiveram posição clara á época contra o neoliberalismo, o caso da Ford, a CPI da segurança, e inclusive os confrontos com o magistério estadual do período de 1999-2002. Creio que Olívio vai enfrentar junto com nós os adversários poderosos e ao mesmo tempo abrir caminhos para que  esta luta contínua que enfrentamos e que este absurdo que é no RS o abuso do poder da mídia e de um certo monopólio construído na ditadura de bancar governadores, senadores e candidatos sem nenhum compromisso programático, político ou partidário 

E muito me orgulha que meu partido não sucumbiu a esta vida fácil de transpor das telas da tevê para as suas nominatas eleitorais candidatos cevados nos abusos da desinformação e da manipulação de consciências da tevê e do rádio. Quando se discute financiamento de campanha e abuso do poder econômico pode se pensar também nisto. É absolutamente desigual enfrentar um adversário ou adversária que teve farta exposição positiva na midia durante anos, décadas e muitas vezes no papel de algoz fácil do trabalho político de outros que enfrentam limites de exequibilidade e recursos, base de apoio e relações privilegiadas com esta mesma imprensa. Talvez Olívio nos ajude a reequilibrar esta difícil batalha que enfrentamos e é inadmissível dizer que tal desigualdade e privilégio contribui para a democracia brasileira ou gaúcha. Isso é um abuso e traz mais danos do que benefícios para o estado e seus cidadãos.

Mas o que importa mesmo é que a equação final será melhor não para este ou aquele nome, mas para o projeto e as prioridades da frente política...

Se conferem as informações do correio do povo, sobre o rearranjo da Chapa Majoritária, com  Tarso e um vice do PCdoB, e o suplente de senador do PTB, esta notícia dá um salto qualitativo extraordinário na campanha. E pauta um debate sobre a nossa história de lutas no RS de forma decisiva. Parabéns pelo trabalho da direção partidária que conseguiu com sua dedicação exclusiva dar a esta equação um desfecho da melhor forma possível para o bem de todos e do projeto que todos nós defendemos..
Nos debates Olívio vai abrir a caderneta de registros de sua memória impecável e cobrar certas continhas que só gente muito sem vergonha e sem moral deixa na história achando que vão cair no esquecimento...e vai sobrar pedradas e laços para muitos que andam por ai posando de cidadãos de bem ou senhoras da boa pessoa...mas não será por vingança não, apenas por justiça, ou seja, pelo melhor motivo de todos....e eu estou vivo para ver isto....graças!!!!

Em outro debate que participei tive que acalmar as suspeitas, de um lado, de que Olívio daria a Lasier  Martins tudo que ele precisava que é uma polarização ou que, de outro lado, o ingresso de Olívio representa um ato de desespero da esquerda e do PT no cenário eleitoral.

Eu recomendei mais  calma ao pessoal. Alguns companheiros não percebem a força de determinadas coisas e muitas vezes julgam mais movidos por temores e pânicos ou traumas do que pelos fatos e pelos símbolos que alguns fatos efetivamente representam. Creio que é bom olhar direito e com mais cuidado para as coisas. Por exemplo, só o movimento na internet, twitter e facebook, aqui aglutinou mais de 7500 apoios e não tem sido nada fácil conseguir isso para coisa alguma por aqui. Por outro lado, já li todo tipo de considerações contrárias à proposta, mas algumas parecem ficar completamente soterradas pela avalanche e pela força da proposta de Olívio no cenário político local e eu vejo com muita precisão que a polarização pode nos ajudar ainda mais a enterrar de vez este fantasma que paira à nossa volta do PRBS e do esquerdismo desiludido. Ou seja, além de ter que nos tocar de novo sobre a esquerda de faz de conta. Ouvi de alguns objetores o argumento de que o Olívio era um velhaco atrasado e que por isto tinha sido abandonado. E de outros que ele havia sido abandonado pelo PT. Ora, tanto uma acusação como a outra é que são ultrapassadas. Olívio volta com todo apoio do PT para provar que nem foi abandonado e nem abandonou coisa alguma o que explica pro que ele foi um dos últimos presidentes do PT estadual, sendo hoje seu presidente de honra e ao mesmo tempo já sai a campo defendendo a REFORMA POLÍTICA o que alguns militantes e dirigentes do PT e da dita esquerda parecem fazer de conta que não é com eles.

E eu não tenho nenhuma dúvida de que o Olívio passa a laço pelo Lasier em carisma e em proposições políticas e este é o tipo de coisa que vai dar resultados melhores do que coisa alguma ou um pensamento amedrontado como tenho visto em alguns que pretendem enfrentar o PRBS fazendo as vezes de uma esquerda moderninha e digerível às classes médias e à elite gaúcha.

E, enfim,  tanto o Tarso quanto a Dilma precisam deste tipo de embalo mesmo para mobilizar muitos militantes e ampliar reagregar forças que poderão fazer a  disputa de idéias na sociedade...veremos melhor como à medida que vamos andando e peleando...


Quanto ao FIM DO SENADO, aquela nossa velha idéia e posição...creio que vem algo antes disso: a REFORMA POLÍTICA...e Olívio pode nos ajudar muito nisso lá tb...

sexta-feira, 30 de maio de 2014

HOJE É AQUELE DIA

Em que me sinto muito feliz
de ter escolhido esta profissão...

Sou só professor, não sou aviador...

Não sou rico e não sou pobre...

Não sou mais do que ninguém....

Não sou um brinco nem sou podre....

Nada me falta desse bem...

O que eu quero simplesmente...

É uma vida com paixão...

Não aprendo e não ensino...

Nem dou aula prá ninguém...

O que eu faço simplesmente...

É somente querer bem....

E enquanto isso acontece faço algo ir além...

Nem ideia nova eu tenho para te fazer um bem.....

Graças por ter escolhido esta profissão..
ainda que depois desse rap 
nenhuma folha 
daquela pilha de provas 
mudou de lugar....


Valeu....

NÃO É SÓ O PIOR GOVERNO É TAMBÉM O MAIOR VEXAME DA HISTÓRIA DE SÃO LEOPOLDO

A crise nas hostes do PSDB, as máscaras e a fidelidade canina dos serviçais do PSB, o PMDB e o PP escondidos, a greve radicalizada dos funcionários provocada por inabilidade, desrespeito e burrice, e os ataques covardes e safados ao PT combinados, mais a buraqueira da cidade, obras mal dirigidas por toda a parte, estagnação administrativa, a demora para a primeira limpeza da cidade em 17 meses é bem feia a situação. O aumento da área azul. A vergonheira do aumento dos CCs. O aumento dos impostos. Os radares em excesso e caros e etc. Eu acho sinceramente que eles estão mergulhando na maior decadência de um governo que já vimos antes. Nunca na história de São Leopoldo vimos antes um governo e seus apoiadores e líderes serem tão desaprovados e criticados por todos os lados e dizer que isso é tudo coisa do PT, da dívida do PT ou qualquer outro blá blá blá torna mais vergonhosa ainda a situação. Ora, essa....isso é um ESCÃNDALO....

BOM DIA AOS LUTADORES SOCIAIS E SERVIDORES DE SÃO LEOPOLDO

Bom Dia...aos funcionários públicos municipais que lutam por direitos, dignidade e valorização...eu vou indo para minha escola estadual lecionar, mas meu coração e consciência de cidadão, trabalhador e professor está com vocês funcionários de São Leopoldo, muita força, coragem e um grande desejo de vitória porque o que parece estar em jogo não é só salário, R$ 1,00 no vale, mas sim liberdade de organização, respeito ao serviço público e a defesa da democracia nesta cidade contra este governo da desfaçatez do PSDB....Um grande abraço...

quinta-feira, 29 de maio de 2014

LÍNGUA E REALIDADE – WILÉM FLUSSER

"(...) podemos distinguir, grosso modo, três tipos de objeções: as que negam a capacidade do espírito de penetrar as aparências (o ceticismo), as que negam a "realidade" (o niilismo), e as que afirmam a impossibilidade de articular e comunicar a penetração (o misticismo). (..) Embora vindo de direções diferentes, cada um desses tipos de objeção faz periclitar o edifício da civilização e ameaça o mergulho no caos. O caos, sendo insuportável, as objeções são praticamente inaceitáveis. O ceticismo epistemológico, o niilismo ontológico e o misticismo religioso são ensinamentos impraticáveis. São refutados, praticamente, pela continuação da vida, isto é, pela vivência que temos do conhecimento, da realidade e da revelação comunicável da verdade. São posições que podem ser assumidas, precariamente, por instantes fugazes, por espíritos isolados. Entretanto, essa refutação não diminui a vitalidade teórica das objeções levantadas. A mera possibilidade dessas objeções mergulha todo o esforço do espírito, portanto toda a civilização, num clima de pragmatismo superficial, num clima de frustração e inautenticidade."


(Vilém Flusser, Língua e Realidade).

terça-feira, 27 de maio de 2014

OLÍVIO CONTRA OS VELHOS BARÕES DA MIDIA GAÚCHA

Vai dar tudo certo, contra o temor de alguns e contra as pseudo fidelidades e alianças. 

Vejo que algumas pessoas por inexperiência ou por dificuldade de entender as mudanças tem mais disposição e capacidade de torcer pelas tragédias do que pelos acertos...E algumas buscam inclusive razões para não ter razão ao dizerem que a volta de Olívio é um sintoma da limitação de um partido. 

Penso o contrário que mostra a capacidade deste mesmo partido de manter suas raízes e preservar seus quadros e ao mesmo tempo fazer a luta que precisa ser feita e creio que esta mudança pode ser muito mais benéfica para todos que compõem a chapa e que comporão as nominatas a deputados também. 

Olívio trará debates esquecidos, vai enfrentar adversários poderosos e ao mesmo tempo abrir caminhos para quê esta velha luta que travamos continue e que este absurdo que é no RS o abuso do poder da mídia e de um certo monopólio construído na ditadura de bancar governadores, senadores e candidatos sem nenhum compromisso programático, político ou partidário  E muito me orgulha que meu partido não sucumbiu a esta vida fácil de transpor das telas da tevê para as suas nominatas eleitorais candidatos cevados nos abusos da desinformação e da manipulação de consciências da tevê e do rádio. 

Quando se discute financiamento de campanha e abuso do poder econômico dentrop do bojo de uma #REFORMAPOLÍTICA pode se pensar também nisto. É absolutamente desigual enfrentar um adversário ou adversária que teve farta exposição positiva na midia durante anos, décadas e muitas vezes no papel de algoz fácil do trabalho político de outros que enfrentam limites de exequibilidade e recursos, base de apoio e relações privilegiadas com esta mesma imprensa. 

Talvez Olívio nos ajude a reequilibrar esta difícil batalha que enfrentamos e é inadmissível dizer que tal desigualdade e privilégio contribui para a democracia brasileira ou gaúcha. Isso é um abuso e traz mais danos do que benefícios para o estado e seus cidadãos.

SOBRE O FIM DA POLÍTICA E DA DEMOCRACIA

Querido Renato, há uma campanha sistemática e irresponsável contra a política e a democracia. Nesta campanha que tem ares subjetivos e também infantis qualquer currículo, quadro, ou qualquer obra ou atividade digna são soterrados e escondidos, negados e desvalorizados - e existem tais coisas aos milhares neste país, mas a imprensa e certa mentalidade da opinião pública se aferra a um dispositivo de que só o pior deve ser registrado, visto ou lembrado. Isso é um grande absurdo e uma injustiça com o trabalho e  a vida de milhares de homens e mulheres que se dedicam a estes afazeres políticos e de responsabilidade social por toda vida ou algum tempo e que lutam, inclusive, contra esta inércia e omissão, passividade e irresponsabilidade de alguns que esperam um salvador da pátria ou um ato de força, uma medida absoluta para resolver o problema, sem perceber que são também parte do problema ao votar em qualquer coisa  e ao adotar uma conduta preguiçosa e irresponsável na escolha de seus representantes. E estas pessoas dignas não estão somente em mandatos no executivo e legislativo, existem aos milhares em todo este país. 

Então, me parece que está na hora de cada um dos cidadãos deste país darem um passo à frente e assumirem alguma responsabilidade também, ao invés de ficarem tendo juízos fáceis e superficiais sobre as coisas. A ação política pode ser uma opção para qualquer um, mas é inadmissível que se traduza a irresponsabilidade por mera aversão ao sistema, é omissão também. Talvez eu seja muito ingenuo mesmo ou somente um militante petralha idealista, mas o que tem de gente que nunca assume responsabilidade coletiva alguma nesta sociedade falando mal daqueles que tentam, ou prejudicando aqueles que ousam fazê-lo contra esta inércia. Haja paciência! 

E o pior argumento que eu conheço neste tema é o da INDISCERNIBILIDADE DAS OPÇÕES. Em palavras comezinhas É TUDO IGUAL! É tudo igual somente para aqueles que não fazem nenhuma questão de usarem todas as ferramentas disponíveis para discernir o joio do trigo. Hoje em dia se pegares o joio não é mais porque foi enganado é simplesmente porque foi displicente na escolha. 

E esta é uma bela campanha para se tocar em frente: ACABE COM A DISPLICÊNCIA EM SUAS ESCOLHAS! Escolha melhor e vote melhor conhecendo mais a fundo as opções, programas, partidos e candidatos e aprenda também a fazer a sua parte. 

Um abraço....

ISSO É UMA REEDIÇÃO DA MINHA VELHA TEORIA DA ESCOLHA QUALIFICADA - TDEQ - que inventei para a presentar aos meus alunos na Escola Estadual Fernando Ferrari em Campo Bom RS, entre 1998 e 2002.

16 ANOS DE ENSINO MÉDIO NOTURNO NO OLINDO FLORES

Hoje me dei por conta que estou há 16 anos lecionando ininterruptamente no turno da noite na Escola Estadual de Ensino Médio Olindo Flores da Silva (desde 1999), e me desceu a ficha também acidentalmente conversando com uma colega e alguns alunos que sou com Regina Porto e Dorami Galleazi do grupo dos professores mais velhos do noturno.Como o tempo passa e parece ainda que foi ontem que iniciei meu trabalho lá, após o Fernando Ferrari em Campo Bom (1998-2002) e a Escola Técnica da UFRGS (1995-1997). Nem consigo acreditar direito nisso pela responsabilidade e pela grande experiência acumulada em escola pública. Mas me sinto muito feliz, pois as vezes a continuidade significa algo muito mais transformador do que um bocado de mudanças para lá e para cá sem processamento algum. Acabo de chegar de lá agora mesmo - passada mais uma noite em sala de aula - e resolvi registrar isto aqui. Valeu....

P.S.: Para alguns pode parecer pouco tempo, mas minha memória que é carregada de experiências continuas e de todo tipo parece trazer uma eternidade de mais de dez mil aulas e mais de 3 milhares de alunos, e aulas de História, Geografia, Sociologia e Filosofia....quando olho para traz nem acredito...não é onde estou - ainda que goste muito mesmo de estar ali o que para outros talvez seja menor - mas sim como estou e como me envolvo com isto que me surpreende e os que foram meus alunos e alunas e meus colegas e meus amigos que conhecem mais de mim que eu mesmo talvez entendam minha forte impressão deste tempo e desta intensidade...não sem erros, acertos, tentativas e êxitos....com isso jamais conseguirei me sentir um ex-professor ou esquecer do que passei e como passei, como mudei e fui mudado, moldado e formado nesta experiência bem específica de persistência e também prazer....isso vale mais que a poesia ou isso é a mais pura poesia...

Quando uma pessoa se diz ex-professora como vi estes dias fico pensando no pouco apreço que ela dá a esta carreira em virtude de seus cavacos ou do exagerado valor que ela dá a estes cavacos.....e penso então em meus colegas e em mim que temos orgulho de sermos professores, suportamos chuvas e  trovoadas, mas temos todos os dias as graças de dias de sol, de luminosidade humana e de carinho, afeto e entendimento com nossos alunos....eu não temo pelo futuro da educação...quem deveria temer são aqueles que não tratam com cuidado este tema ...na rede municipal a gestão mais medíocre da história agora joga na cara dos professores municipais a culpa sobre o que passou sem assumir seus erros, incapacidades e mesquinhez que esta envolvida nas palavras do prefeito, na condição de um secretário de educação leigo e de tantas mazelas e desmandos que poderiam ocupar uma tarde de autógrafos e de ensaios...já na educação estadual não vejo as coisas tão piores: vejo um erro de método nos encaminhamentos das mudanças na marra e sem mediação e a falta da integralidade do piso....mas não sou bobo de julgar que aqueles que já fizeram e desfizeram na educação estadual possam fazer melhor...desejo uma mudança de método na gestão estadual mas confio sinceramente em Tarso Genro para todo o resto no que toca ao estado e tenho notícias ótimas de vários setores que aplacam minha expectativa frustrada com o piso....e não confio mesmo  meu voto à mala suerte de Ana Amélia ou Vieira da Cunha...a primeira por vir de onde vem e ser quem é....já o segundo pelo que fez com José Paulo Bisol e Olívio Dutra o que não considero política nem grandeza política.....vejo caráter nas ações das pessoas não somente expressão de liberdade ou desejo de autonomia....e só para lembrar devo - não por acaso é claro - minhas duas nomeações por concurso aos governos de Olívio (2001) e Tarso (2012), bem estas são as opiniões deste professor que não sai de sala de aula nem a pau nicolau....

quinta-feira, 22 de maio de 2014

O CAMINHÃO DO PSOL E A ESQUERDA NO BRASIL – PELA REFORMA POLÍTICA

Aviso aos navegantes,  continuarei no PT e apoiando o PT, continuarei me julgando de esquerda, enquanto nada melhor e mais efetivo se apresentar, mas isso não me impede de fazer a crítica interna e externa do que se julga esquerda e se pretende como de esquerda.


A esquerda brasileira – tanto a velha esquerda que esteve habitando dentro dos partidos da era Vargas e da ditadura militar – PTB, PMDB, PDT e etc, a mediana esquerda que na minha avaliação inclui PT, PCdoB e PSB desconsiderando-se com respeito, porém, a tradição do PCB desde 1922 e suas descontinuidades, os desvios, opções ou novas orientações do PSB e PV, e quanto à nova (pós 1991) e novíssima (pós 2005) PSTU, PCB, PCO, PSOL - continua padecendo dos excessos dos singulares, das ambições individuais e também daquela falta de método e das velhas desmedidas possíveis. Ou seja, a esquerda sobre vive dentro de um sistema político cuja face eleitoral é sempre diferenciada da face programática, um sistema cujo financiamento de campanha funciona como uma clausula de barreira mesmo aos candidatos mais reformistas. 

Na minha abordagem tudo neste debate é MÉTODO...e a cada dia me convenço mais que esta é uma das preliminares em toda a discussão da esquerda...e vale a crítica...porque também precisamos mesmo pegar geral...Ou deveríamos admitir o simplismo de alguns que se consideram esquerda a priori e excluem os demais da esquerda, como se tudo se passasse na mais plena homogeneidade dentro dos partidos de esquerda? Não é verdade isso. Podemos encontrar casos e quadros de esquerda ainda em todos os partidos listados acima, com arranjos estranhos, com alianças estranhas e com problemas específicos em todas as agremiações citadas acima. Por conta disto penso que todos os intelectuais e militantes de esquerda em todas as agremiações podem fazer certo esforço de diálogo e começar a discutir isso, começar a pensar nisto tendo em vista que após as eleições de 2014 comceretza deverá haver uma reconfiguração e uma certa depuração de posições. Nenhum partido sério fica mais de dez anos sem saber seu papel e sem definir melhor seus aliados e seu campo de diálogo, recorte ideológico e propósitos estratégicos. Mas sei – desde já - que para alguns não pode haver discussão porque consideram a estratégia do PT recuada ou reversa, mas a pergunta que se faz é se querem mesmo um movimento de massas? querem mesmo uma revolução ou estão apenas buscando o poder?

Na minha opinião este é um grande desafio para ingressar, se manter e confirmar tanto partidos de massas quanto políticas de massas no Brasil. E o meu partido tem sobrevivido a esta sabatina e desafio com gestão da institucionalidade, movimento social e atuação cotidiana não somente eleitoral. E apesar dos seus condicionantes e limitações disputa a terceira reeleição e a sétima eleição para presidente com chances de vencer, sem ter sucumbido, como julgam alguns, ao abandono da política, ao abandono do debate político, à formulação de propostas e políticas e dos programas e de ações voltadas para o povo brasileiro. E não é preciso ir muito longe para perceber que o PT tem gasto mais tempo em formulação do que em críticas ao campo de esquerda por conta de que há sim necessidade de unidade da esquerda para preservar a democracia e para promover mudanças com apoio popular e com pressão maior dos movimentos sociais.

Após ler sobre a desventura do professor de filosofia da USP, Wladimir Safatle que retira sua candidatura ao governo de São Paulo pelo PSOL e as suas reações e dos seus simpatizantes, exclamei e escrevi: Então é assim A NOVA ESQUERDA? na primeira freiada cai todo mundo do caminhão chorando...a força da ironia não deve ser entendida como um desprezo ao candidato, mas sim como uma percepção deste escândalo sistemático em que se encontra a dita esquerda no Brasil o que o próprio Safatle percebe e expressa em sua entrevista seguinte ao processo. Ele recebeu uma clássica puxada de tapete, sem a menor cerimônia e o menor respeito dos dirigentes do PSOL de São Paulo.

Não posso dizer que esta é uma expressão direta, mas me simboliza o tipo de situação que poderia ser descrita por esta metáfora do caminhão.  Eu fiquei imaginando, então, como seria um governo de um cara desses cuja base e direção política e partidária se comporta desta forma e o que será de seus apoiadores entusiasmados. Porque se tem uma coisa que a gestão publica impõe é a capacidade de negociação e a efetiva indicação e deliberação sobre prioridades, agenda e posições coletivas organizadas. E nem sempre se realiza tudo que se propõe numa plataforma política, mas se deve seguir no rumo acertado e acordado. Na minha opinião franca se o PSOL não consegue respeitar seu pré-candidato o que será de um governo seu. Um governo de muitas crises, traições e instabilidades cuja plataforma será soterrada pela dinâmica do conflito interno. Isso é um franca demonstração de imaturidade.

Por vezes se luta simplesmente para não recuar do que se conquistou e se precisa optar por outras soluções sim que as divisadas inicialmente. E isso não pode ser qualificado de realismo ou pragmatismo simplesmente. E Ironizei sim aos deuses....meu deus...ó Zeus, por Júpiter!!!! Porquanto, um governo incapaz de navegar na tempestade tão pouco poderá tirar proveito adequado da bonança.

Devo confessar, porém, que eu não tenho a menor ideia de qual foi a experiência militante deste rapaz antes, qual foi sua formação política real, nem em qual movimento ou organização ele atuou, muito menos se resolveu fazer política aos 40 anos, muito menos posso julgar a filosofia que ele produziu ou como ele foi chegar a ser professor da USP – ainda que seja possível já obter respostas e conhecimento para todas estas informações aqui na internet mesmo, mas é uma façanha digna de preocupação que na construção e na desconstrução de uma candidatura da tal "nova opção de esquerda brasileira" aconteça o que aconteceu com ele e como ele se portou para responder a isso.

E não dá somente para culpar o Partido ou os dirigentes não. Seria um gesto muito menor fazer isto assim desta forma, pois continuaria naquele papo da política que está errada e daquele que não faz política alguma por conta disto é o inocente. Então descobriu agora que tava mal casado meu filho? Volta para Atenas e já. Finitus est...

A ironia de abandonar Siracusa é uma forma de bom humor para com as desventuras do professor que vale para todos os intelectuais que metem o bedelho na política e sofrem as mazelas já conhecidas, por responsabilidade sua e do lugar onde foram meter o bedelho também.
A reação de um amigo - também professor de filosofia - e simpatizante creio do Safatle e do PSOL foi dizer que o PT não era mais um partido de esquerda e que isso também acontecia no PT antes. Discordo disto nos dois sentidos. Tanto ao que o PT é realmente, quanto ao modo como isso acontece ou aconteceu no PT. Dificilmente a queda do caminhão importava para algum militante do PT uma questão pessoal ou uma tarefa intelectual subjetiva como se vê neste caso.

Respondi mais ou menos assim: Me desculpe meu amigo, mas isso só demonstra imaturidade política e incapacidade de construção política...e o PT não deixou de ser esquerda porque não se enquadra nos teus conceitos....ser de esquerda não é um atributo conceitual..envolve práticas e materialidade, envolve valores e prioridades e também métodos e mediações....

E que julgava sim que há um grande desafio de agenda e mediação a qualquer partido de esquerda no poder e nada garante que os demais farão melhor. E não falo com temor algum que às vezes se opta pelo possível para fazer o que é necessário...e não pelo necessário para ficar no impossível...e isso não é uma mera brincadeira de modalidades lógicas ou alguma equação intelectual ou teórica que está habitando o mundo das idéias maravilhosas e dos idéias inatingíveis, nem muito menos uma escolha sem orientação ideológica e sem prioridade real e concreta.... 

Uma amiga me ponderou que era para ir “degavar” com as pedras. Pensei quando a Olga fala em "degavar" acima deveria ser também para lembrar que nós já passamos por algo parecido um dia....mas dev o dizer que se não superamos isso, pelo menos respondemos de forma diferente para isto...O novíssimo PSOL já tem quase dez anos e sei bem que deve avaliar seu processo também internamente. Que cabe aos seus valorosos militantes fazer isto. Agora se ficar o resto da sua vida parametrando tudo com o PT, não irá mesmo muito longe...o que torna o PSOL de esquerda deve ser bem mais do que ir contra o PT simplesmente....pelo que? Pelo Mensalão? Pela Reforma da Previdência? Pelas alianças com setores da direita e ultra direita no congresso? Pelo golpismo institucional e aventureiro adotado por alguns de seus militantes? Para ficar na pauta respeitosa e suave aqui.

Além disso, afirmei que estamos numa situação em que no único lugar do mundo em que a esquerda sobrevive no poder com uma agenda popular é aqui e, então, seria bem bom que certos militantes se dedicassem a inventar algo de novo efetivamente e passassem a parar de repetir velhos erros - o que não se resume a um partido, mas sim a políticas públicas e a propostas. Será que pode sair algo de novo numa esquerda que preserva certas práticas e que continua confundindo institucionalidade com movimento social? Uma espécie de esquerda que continua se portando como se o jogo político de esquerda fosse um processo de quem é mais espertinho ou tira proveito mais rápido na mídia e na esfera da opinião pública. E não se trata ai somente do espírito de assembleísmo juvenil ou sindical, não se trato do jogo de questões de ordem, do discurso para a platéia e nem muito menos do privbilégio de coordenar os debates, se trata também de uma ética política em que certas jogadas, manobras, arquiteturas e agilidades  não valem mais.

E eu ainda, portanto, após todos estes anos de militância estudantil, sindical, partidária e de gestão, penso muito mais ainda na questão de método: não adianta querer fazer a coisa certa da forma errada....E sei que esta ponta da crítica também vale para alguns segmentos e ações de companheiros do PT...Por fim, ao ver a entrevista do Safatle me dei por conta de outra coisa: temos acordo na crítica geral dele aos burocratas, aos tecnocratas e aos pseudo gestores e que tem competência de gestão – aqui em São Leopoldo estamos assistindo e reagindo aos que se dizem com Excelência em Gestão do PSDB/PMDB e que estão estagnando a cidade e prejudicando os cidadãos e servidores municipais com o Pior Governo da História de São Leopoldo.  

Nós já havíamos  discutido REFORMA POLÍTICA antes pelas mesmas razões quais sejam impedir que o poder econômico interfira na democracia brasileira, impedir que os oligopólios dominem e criar condições para que propostas novas e mais transformadoras sejam apresentadas – o que para mim continua sendo o principal e o maior desafio para qualquer militante progressista ou de esquerda, e isso independente de partido...o futuro ainda precisa ser construído ele não será iniciado somente no executivo não....


Para terminar, há um deserto à nossa volta, estamos juntos nessa e precisamos ser capazes de construir o novo juntos ...

segunda-feira, 19 de maio de 2014

SOBRE OBRAS NO BRASIL NOS ÚLTIMOS 12 ANOS - PARA ALÉM DA COPA

As pessoas tem noções mínimas de planejamento, projeto e execução e opiniões superficiais sobre custeio e sobre o tipo de know how necessário opara fazer certas coisas...se na Alemanha e na Inglaterra foi difícil imagina no Brasil onde engenheiros estão gastando boa parte dos últimos anos em reaprender ou aprender pela primeira vez como fazer certas coisas. Após terem ficado muitos anos ociosos, sub-aproveitados e fazendo outras coisas do que projetos os engenheiros brasileiros lidam hoje com um universo de obras muito amplo.. Alguns ficaram ociosos o que inclui aula de matemática em contrato emergencial. Muitos foram absorvidos finalmente nos últimos 12 anos pela Petrobras, pelos PACs e pelo Minha Casa Minha Vida e pelo surto de construção civil e expansão industrial destes anos. Plantas industriais ociosas e grandes mudanaçs tecnológicos estãos endo assimiladas hoje. E, hoje, as diferenças de custos também são relativas a deficits de projetos. O Brasil ainda vai saber da dimensão real da alavancagem na economia  promovida por uma espécie de New Deal do Lula e da Dilma, que não é só o PAC I ou PAC II não. Mas o ignorante e o opinativo tem pro esporte predileto desdenhar do trabalho e dos desafios que os outros toparam fazer pelo bem do país. Quando se olha melhor para os lados, se passa para além dos limites doq ue a vista alcança e a tevê mostra e se percebe o que ocorre também com os Minha Casa Minha Vida e a reurbanização de várias e diversas cidades. É impressionante o resultado obtido. Quem duvidar que tire fotos aéreas atuais e compare coma santigas de 2000, 2002, 2004 e 2006 de certas cidades, grotões e centros urbanos e periferias para perceber o que se colocou de tijolo e de cimento um sobre o outro neste país nos últimos 12 anos. Não é pouca coisa. A questão que resta é: quem pode continuar com este projeto e vencendo estes desafios? Dilma que já fez e pode fazer mais ou os outros cujas administrações estaduais também foram beneficiadas por este neo-desenvolvimentismo nacional da era Lula?

COISAS QUE NÃO DEVERÍAMOS MAIS ACEITAR NEM EM UMA MÍNIMA POSSIBILIDADE

“Não vamos, então, perguntar porque certas pessoas querem dominar, o que elas buscam, qual é a estratégia global delas. Vamos perguntar, ao invés disso, como as coisas funcionam no nível da subjugação vigente, no nível desses processos contínuos e ininterruptos, que sujeitam nossos corpos, governam nossos gestos, ditam nossos comportamentos etc. Em outras palavras, ao invés de nos perguntarmos como o soberano aparece para nós em seu isolamento majestoso, devemos tentar descobrir como é que os súditos são gradualmente, progressivamente, realmente e materialmente constituídos por meio de uma multiplicidade de organismos, forças, energias, materiais, desejos, pensamentos etc. Deveríamos tentar entender a sujeição em seus casos concretos como uma constituição de súditos. Esse seria o oposto exato do projeto de Hobbes em Leviatã...”


( História da Sexualidade, Vol. 1, p.97, Michel Foucault )

domingo, 18 de maio de 2014

E POR FALAR EM PALAVRAS SIMPLES E ABISSAIS - MICHEL FOUCAULT - A ORDEM DO DISCURSO

“Gostaria de me insinuar sub-repticiamente no discurso que devo pronunciar hoje, e nos que deverei pronunciar aqui, talvez durante anos. Ao invés de tomar a palavra, gostaria de ser envolvido por  ela e levado bem além de todo o começo possível. Gostaria de perceber que no momento de falar uma voz sem nome me precedia há muito tempo: bastaria, então, que eu encadeasse, prosseguisse a frase, me alojasse, sem ser percebido, em seus interstícios, como se ela me houvesse dado um sinal, mantendo-se, por um instante, suspensa. Não haveria, portanto, começo; e em vez de ser aquele de quem parte o discurso, eu seria antes ao acaso do seu desenrolar, uma estreita lacuna, o ponto do seu desaparecimento possível.”

MICHEL FOUCAULT – A ORDEM DO DISCURSO – Discurso de posse no COLLEGE DE FRANCE, 02/12/1970.


Não consigo, e não é somente neste texto, cujo exemplo me assombra agora, não me impressionar e não ficar intrigado com esta prosa, deste homem, desta forma e com estas palavras em cadeia.  E, ao conhecer Ian Hacking, o qual soma-se, então, impertinentemente e abruptamente a outros, me ocorreu que é bem a hora de volver a los 17....     

#VAITERCOPA

Eu tenho diversas formas de opinar sobre diversos assuntos nesta vida. Creio que há um exagero na crítica em todos os sentidos. Criticamos as coisas antes delas ficarem prontas. Criticamos as coisas por criticar e não acredito que alguém se torne mais sério por discordar ou ser a favor da copa. Vejo muito exagero e também uma espécie de vingança subjetiva se apresentando aqui. Deveria haver uma forma de fazer certa terapia grupal com os brasileiros de tal modo a curar esse arrivismo sem fronteiras e o vale tudo corrente que fica ampliado aqui na internet e nas redes sociais. Menos, bem menos, a copa vai passar e eu gostaria muito que o Brasil fosse campeão que tudo desse certo e mais ainda que a nossa democracia em sua infância amadureça mais ainda. Não vivo no Rio de Janeiro, mas o governo do RJ foi eleito pelos cariocas e poderá ser mudado por eles também. Creio que seria bem melhor que as pessoas participassem mais da vida política brasileira o que é bem mais do que ter opinião ou posição. Envolve levar a sério os espaços de participação e de representação. Eleger melhores deputados e senadores. Discutir as prioridades nacionais e ter uma agenda e um programa para o Brasil entre as mãos para discutir com partidos, representantes e demais cidadãos e eu colocaria como item número um disto a REFORMA POLÍTICA. "Não vai ter copa" para mim é uma aventura e mais da metade dos que estão contra a copa colocam defeito nela, mas vão faturar com ela. Sobre os temas da saúde e da educação que tanto nos tocam eu pergunto apenas: Quem participa dos Conselhos de Saúde de sua cidade? Quem participa dos conselhos escolares de sua comunidade? Mãos à obra então, porque entra muito dinheiro e tem muita coisa para ser fiscalizada para além do dinheiro. Quer ver? O compromisso dos médicos com suas jornadas de trabalho e protocolos e o compromisso dos educandos com seu próprio estudo. Tudo isso exige mais participação de país, mães e cidadãos. A copa é nossa e a conta inteira é nossa também. Então é da nossa conta a copa, a saúde, a educação, a justiça e o sistema político brasileiro. Ninguém senta mais em cadeira política alguma sem ter sido eleito, sem se filiar a um partido e sem ser portador de alguma forma de programa e é isso que é um papo sério para mim. Depois da Copa e depois das eleições eu quero muito que todos continuem engajados para além das opiniões porque tem muita coisa para mudar neste país e ou nós o povo fazemos isso ou não será feito por ninguém, e, enfim, sem democracia até a possibilidade de mudar ou discutir a mudança fica afastada. O que me leva para o último itém: Alguém acredita mesmo que desestabilizando a sociedade brasileira ou o sistema político brasileiro, vai promover alguma mudança para melhor? Aquele abraço....

DA CASA AO JARDIM E AO COSMOS

Hoje cumpri funções nobres da manhã à tarde: fui abridor de latas, usei máquinas, um aspirador de pó, esmerilhadeira, furadeira, serra elétrica, fui encanador, organizador de coisas e um misto de carpinteiro com jardineiro e me coloquei observando certas coisas como um tal de Tales...agora preparo uma aula sobre o Arché, a Physis, o Logos, o Cosmos e a forma como a filosofia grega se nos parece em seus períodos cosmológico, antropológico, sistemático e helenístico...o movimento da mudança entre o que permanece e o que muda....acho que eu gosto desta dinâmica....e cada vez que eu a explico me coloco em pesquisa e descubro um detalhezinho a mais...e como conhecer uma parte nova do universo....
"Intelectuais animados não ficam parados."
Ian Hacking, em Ontologia Histórica..

TERAPIA DE GRUPO

TERAPIA DE GRUPO: Se todos aqueles que se dedicam a malhar os trabalhos dos outros se dedicassem mais tempo a mudar este país e a si mesmos, este país já teria mudado bem mais. Não adianta por mérito próprio, muito talento e vitórias pessoais encher teu peitinho de medalhas e debochar ou desdenhar daqueles que ocupam suas vidas inteiras a tentar tornar um povo vitorioso. Vá comprar um espelhinho de rodoviária e descubra o tamanho da sua generosidade e da sua pouca dedicação para compreender o Brasil e transformá-lo em algo melhor.

FREUD 1911-1913

Em um passeio na Unisinos ontem adquiri o volume 10 - este de capa azul {1911-1913} das Obras Completas de Freud na Livraria Cultural. A tradução de Paulo Cesar Souza é algo maravilhosa. Já havia lido diversas traduções, mas me surpreendi com a fluídez do texto e a precisão conceitual.  Além da tradução preservar aquele gosto magnífico de quem lê Freud como um escritor e pensador e não apenas - o que já seria muito bom - o Pai da Psicanálise, ela parece reproduzir aquele outro bom gosto que certos autores possuem de escreverem de forma tão sedutora e envolvente que parece estarem proferindo um discurso em diálogo com o leitor. A Coleção Inteira deverá ser muito marcada por estas características. É uma dica aos amigos e amigas.....

sábado, 17 de maio de 2014

MÉTODO, DEMOCRACIA E DIALÉTICA

Pensando muito sobre Questões de Método, Democracia e Dialética...e isso acontece quando questionamos nossa própria experiência na defesa, na construção e na mudança de um projeto coletivo...não é muito tarde não, nem vale para todos, porque após passar quase 36 anos vendo, aprendendo e fazendo sempre alguma coisa coletiva ou mesmo individual com estas preocupações e percebendo porque certas dosagens são desequilibradas, errando e acertando, e percebendo como o pragmatismo, o utilitarismo, o medo, e um desejo de infalibilidade e certa busca de absolutos tornam conta de cabeças que não teriam chapéus se não fossem os outros; me dou então por conta de quanto é importante não somente não perder a ternura, mas em saber o que merece endurecimento e o que não vale o conflito, o sacrifício e a diferença. E olho para muitos que passaram por isto tudo pensando se ainda é possível ter unidade e precisão, clareza e acordo, porque jamais vou abandonar a necessidade de uma síntese nova que renove nossa ação e dê à nossas um sentido para além do que aquele que temos hoje....Nós vamos prosseguir companheira (o), medo não há....(notas de nonsense para o nonsense...)

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O CAOS E A ORDEM

Os gregos contemplavam o Cosmos vendo uma ordem nele porque precisavam voltar para casa...hoje em dia alguns contemplam o Caos no mundo porque desejam um não lugar...porque gostam de ficar assim....se os gregos vissem o que ficou sendo organizado pelos homens nos últimos 2.500 anos, provavelmente estariam impressionados..mas nós que temos esta ordem e que podemos incidir sobre ela, alterando, mudando e transformando a sociedade em que vivemos preferimos olhar para os que tentam fazê-lo desdenhando e  protestando....se faltassem espaços sociais, fóruns e conselhos para participar eu estaria lutando por eles, por sua existência...mas eles estão ai em milhares de questões, temas e áreas de nossa vida e muitos preferem olhar a novela e o noticiário em vez de produzirem história e notícias metendo o bedelho em assuntos públicos e mudando o que precisa ser mudado com participação e responsabilidade...a ordem que tu queres,  o respeito a lei, as boas regras não virão de um SALVADOR, muito menos de um CUIUDO, faça a sua parte...a democracia está ai comprometa-se com alguma coisa e pare de alegar caos em toda parte porque preferes a desordem para justificar a tua omissão ou passividade....Um aluno disse simplesmente que se os gregos viam ordem e os nossos contemporâneos veem Caos é porque os últimos querem ver só isso mesmo....

terça-feira, 13 de maio de 2014

MEDIAÇÕES

Bom Dia...não é indício de sabedoria nem de racionalidade fazer a cosa certa da forma errada...você nunca conseguirá ser compreendido se proceder assim...está respondendo a uma necessidade criando uma desmedida para satisfazer sua ambição e urgência ao mesmo tempo...e quando isso depende dos demais, estais enfiando goela abaixo aquilo que tem valor e que mereceria mais mediação para ter sua dignidade preservada.....o método não é somente uma questão epistêmica é também uma questão essencialmente política...

segunda-feira, 12 de maio de 2014

FILÓSOFOS SEMELHANTES?

Pensando nos Filósofos Medievais e nos Filósofos Modernos, mas fazendo um paralelo por similariedade com minha lista dos Filósofos Pré-Socráticos...parece haver um conjunto de arquétipos comuns entre eles todos..mas é só uma semelhança e uma associação livre cuja síntese despreza certos detalhes e características próprias de uns e de outros....mas soma-se aqui também aos Contemporâneos...poderia perguntar quem seriam e porque o Sócrates, o Platão e o Aristóteles de cada tempo..mas ainda assim haveriam outros gigantes no início no meio e no fim de cada período cujo medidor de grandeza não há....filosofia comparada e história da filosofia e a ilusão da linha do tempo e da sucessão sem rupturas....

O BOM PASTOR DÁ A SUA VIDA PELAS OVELHAS

"O BOM PASTOR DÁ A SUA VIDA PELAS OVELHAS"

Estive na missa ontem e fiquei pensando por um bom tempo no Sermão do Bom Pastor...na Igreja Santa Catarina para o Batizado da Minha Prima Beatriz Guerra Martins....lembrei muito de pais, mães, professores e professoras e de todos aqueles que deveriam concorrer para educar os cidadãos e cidadãs e também sobre o tema geral na escola das regras, seguir regras e de como se esconde ai também uma certa forma de compreensão de conceitos que pode andar desprezando não somente "as teorias" mas também a própria história dos homens e das mulheres terrenos....parece ser realmente preciso pactuar e repactuar, sistematicamente todos os dias a educação com pais e filhos, educadores e cidadãos. É um concurso que precisa ser renovado no cotidiano. Esta é uma vida que é deve ser dada todos os dias....

sábado, 10 de maio de 2014

EDUCAÇÃO DE PAIS E MÃES

Nós estamos todos preocupados em educar alunos e alunas, em educar professores e em dizer como eles devem ser, mas esquecemos completamente de educar os pais e mães.

E, assim, vamos indo e pensando que educamos os filhos.

Enquanto as pessoas pensarem que educam os filhos empurrando com a barriga, minimizando contatos sérios, reduzindo orientações à toques semanais, as coisas vão continuar como são e estão.

E não dá mais para concorrer com todos que tentam e conseguem orientá-los e programá-los moralmente, espiritualmente, politicamente e ideologicamente.

E você o que faz?...


Descobri algo que talvez seja negado por inconveniência, por temor, mas que deve ser pensado como algo importante....vamos ver quem entende esta pequena pista e aproximação....

quinta-feira, 8 de maio de 2014

ESTAMOS RETARDANDO A INFÂNCIA OU ANTECIPANDO A VIDA ADULTA?

Ontem mesmo estava conversando com meus colegas professores sobre os jovens de hoje em dia e depois com minha esposa também professora. É algo notável a lerdeza e a falta de certas habilidades nos jovens. Hoje temos alguns hiperativos, mas a maior parte deles parece sofrer de uma lentidão e de uma falta de reflexos e respostas a todo e qualquer estímulo externo. Vejo muitos jovens que tem preguiça de botar até um papel no lixo da sala. Que limitam seus deslocamentos físicos por puro comodismo e percebo algo errado ai. E ao contrário do que alguns possam pensar o uso de aparelhos celulares, computadores e a educação de confinamento dos jovens, a babá televisão, a limitação e as restrições de circulação deles tem causado muitos danos. E o que o Rubem Alves aponta é sério: linguagem e capacidade de se expressar em público, sociabilidade e desenvoltura para se relacionar com estranhos e os outros, manualidade e coordenação motora, motricidade, agilidade física e outras tem sido amplamente limitadas nos jovens de hoje. Regina me lembrou que buscava o leite e o pão na padaria ou no armazém bem cedo e me perguntou quantas crianças aprendem a contar o troco e a fazer contas? Por um temor muitas vezes justificado, mas ainda assim excessivo limitamos os jovens e suas habilidades e tarefas. E a outra observação que ela me trouxe foi relativa ao fato de que observava crianças de dez anos fazendo montinhos de terra no pátio da escola dela. São coisas que nós fazíamos com 3,4 e 5 anos de idade. Temos que discutir isso mais como educadores e como pais e mães. Precisamos prestar mais atenção nestes aspectos. Eu percebo uma espécie de retardo e muitas limitações operacionais e reflexivas sérias causadas por esta espécie de superproteção nossa. Mas não quero ter a palavra final e gostaria muito de ver o que meus demais colegas pensam sobre isto.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

A TRISTEZA E A DEPRESSÃO DO PIOR GOVERNO DE SÃO LEOPOLDO

Não me dá nenhuma alegria criticar o atual governo, na real é uma tristeza...é um governo tão ruim que dói até fazer oposição à eles..
.
E ontem na minha passada na Câmara de Vereadores percebi algo muito estranho na bancada de situação. Ninguém sabe de nada, ninguém fala nada com nada e ninguém parece ter informações seguras do governo municipal faz muito tempo. Deve haver um colapso nas comunicações, ou ninguém atende um telefonema, ou ninguém manda um e-mail, ou ninguém  fala em corredor algum e sei lá, nunca tinha visto um vereador falar de pautas de duas semanas atrás em meio a um projeto de aumento de taxas e de uma mobilização dos servidores. Nem sei se eles falam com o prefeito...percebi um vazio e uma sensação de nada a dizer com sentido na situação...  

Às vezes faço um pouco de graça para não chorar...

Porque é uma vergonha e uma tragédia o que eles estão fazendo com a administração da cidade e a parte pior é que eles sequer tem compreensão disso...alguns dos que os elegeram fazem uma defesa infantil e automática. É aquela solidariedade mecânica e por impulso de auto-defesa. Há uma escassez de reflexão e de conexões com os fatos. E as resposta deles é acusar uma dívida que já desapareceu e apelar para aquela baixaria de sempre. Então, eles ficam falando balelas e batendo cabeça na frente da gente e isso é sim muito triste...é ruim observar as pessoas assim perdidas....é um cenário desolador...

E DE DAR DÓ. Porque eles também são leopoldenses e caíram nessa grande farsa e ilusão de CHOQUE DE GESTÃO, AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR que está derretendo como um ´picolé ao sol na frente dos olhos deles, o que é uma pena mesmo, para toda a cidade e para todos os cidadãos. 

Alguns deles vão ficar o resto da vida tentando entender o que de fato ocorreu, por conta de terem, nesta ocasião, a primeira experiência política e ser esta completa tragédia sem par, mas eu já disse para os mais angustiados e ansiosos: 

ISSO VAI PASSAR....

Antes disto vai ter muitos protestos dos servidores pelo visto e dos cidadãos....

terça-feira, 6 de maio de 2014

O PIOR GOVERNO DE SÃO LEOPOLDO E OS SEUS CCs

Bado este teu texto "SOBRE OS CCs NOSSOS DE CADA DIA" vem em boa hora para se tentar repor com justiça as coisas e tratar com muita responsabilidade, pertinência e honestidade as nomeações e os governos. E é muito elogiável teu pequeno artigo que foge à vala comum em que isso é tratado e a já tradicional avacalhação superficial e simplória deste tema que em geral é feita, por aqueles que tem pouca compreensão, jogam com opiniões fáceis e tem, também, aqueles que tem outros interesses do que amoralidade pública ou a justiça social.

Concordo com você em quase tudo que você diz sobre isso e minha discordância envolve apenas acrescentar um detalhe aqui ou ali. Concordo principalmente em afirmar contigo que “a questão de CCs é uma coisa complexa e na maioria das vezes mal entendida pela cidadania” e isso se deve ao fato de que o tema dos CCs era algo misterioso e mais mal falado do que compreendido e explicado e, também, pela forma como muitos olham para o estado. E isso não se deve, como alguns gostam de afirmar por ai, para reduzir e desqualificar a política e o conceito de democracia ao casuísmo e oportunismo superveniente às eleições ou indicações políticas. Isso se deve às diversas práticas bem conhecidas de nepotismo, emprego de inúteis ou incapazes, abusos de autoridade, cabidismo ou páletos em cadeiras, aposentadorias concedidas, privilégios adquiridos, pensões e indenizações regiamente pagas, mas injustamente concedidas em prejuízo do estado, por cargos que são ocupados na mais plena imoralidade e exercidos da forma mais improdutiva e ociosa possível.  Muitos ainda olham para empregos públicos como boquinha e isso não vale somente para CCs, vale também para os demais cargos públicos em sua grande maioria. Esta distorção se deve a um elemento histórico e cultural e, também, aos muitos abusos praticados pelas autoridades eleitas, empregadas, concursadas ou ocasionalmente empossadas. O estado brasileiro ainda está sendo mudado desde o período colonial, mas ainda é um elemento cultural presente, cultivado e valorizado o cargo público. E isso não se deve somente a elite ou aos rastaqüeras conhecidos, isso é um elemento cultural, uma espécie de moralidade de conforto e boa vida, pouco trabalho e boa renda que é cultivada, admirada e promovida por alguns.  

Então quando você diz que “isto se deve as distorções feitas pelos entes eleitos” eu preciso dizer que isso se deve a uma distorção conceitual derivada de uma prática e de valores culturalmente disseminados, reproduzidos e promovidos. Sou daqueles que considera que isso só será superado com debate adequado e com muita seriedade no tratamento destas questões o que pode fugir um pouco aos interesses eleitorais, mas que pode incidir também nas escolhas dos eleitos.  Tenho perguntado aos meus alunos em que tipo de pessoas eles votam? Se eles votam em pessoas que elas sabem que tem um conceito de justiça, que são justas em suas condutas e quando exercem seus poderes e tenho apontando para isto como a única solução para termos melhores leis e melhores gestores.  E isso aparece, também, no caso dos CCs indicados por eleitos, pois eles são reflexos dos eleitos e acabam sendo limitados pelos eleitos. 

Também concordo com você que ”existem excelentes quadros contratados por administrações públicas no sistema de Cargo de Confiança” e reconheço isso em todos os partidos e em todas as gestões. Do governo Vanazzi eu poderia citar uma lista de, no mínimo, 250 nomes com profissão, formação, história de vida, família, endereço certo e sem nenhum óbice moral, jurídico ou social. E, por justiça e honestidade eu jamais diria que nenhum CC do atual governo presta, pois conheço alguns e sei da capacidade, da dedicação e também das pessoas que são, apesar de divergências políticas ou ideológicas. 

Não nominarei nenhum aqui para não provocar-lhes dano, pois pelo que sei a situação atual é mais ou menos esta mesmo. Se a pessoa trabalha direito e trata com justiça e igualdade a todos, inclusive os petistas, amigos do Vanazzi, da Ana, do Zulke, do Nestor, do Fleck, do Castro e etc. ou pessoas da oposição, é capaz de ser punida ou lhe ser chamada a atenção e até mesmo demitida. E este é um dos problemas atuais da atual administração amigo Bado. A atuação deles no m ais das vezes é revanchista, persecutória ou paranóica. Eu sou um cidadão leopoldense – nato e apto – e nunca tinha percebido nestes meus 36 anos de militância política tanta rivalidade, raiva e política de ódio nesta pobre cidade. 

Um boato que corre – e que atesta claramente de onde vem o revanchismo - é que há força tarefa na atual administração para criar processos e tentar a todo pano impugnar o ex-prefeito Ary Vanazzi que é o maior fantasma que ronda os pesadelos dos atuais governantes do choque de gestão de 5 volts e da excelência de gestão em coisa alguma. O que posso falar disto é simples: nem o Vanazzi fez isso com seus antecessores sob qualquer título e isso não terá o efeito desejado pelos homens de soluções fáceis para problemas difíceis. E a cada dia que passa vislumbro mais claro o desfecho deste pequeno episódio de atraso da nossa cidade. E parece que eles tem muito medo do que pode estar dentro das urnas de 2016. Também nunca tinha assistido o império da mentira, do cinismo e do faz de conta que vejo hoje. Chega às raias do leviano e desleal o que assisto e leio, escuto e vejo. 

Estes dias, e não é o melhor exemplo nem o mais grave, mas mostra o nível de desfaçatez e vilania moral de alguns, um secretário no Jornal VS afirmou que “estavam devolvendo o Museu do Trem para o uso da comunidade com o Aldeia Sesc Capilé”. Ora esta, o mesmo é testemunha – por conta de ter inclusive tido parcerias com estes eventos antes - de todo o trabalho de minha amiga Alice Benvenutti na gestão daquele espaço, na antiga Secretaria da Cultura do Vanazzi que ele hoje acumula com Desenvolvimento Econômico, com parceira continua e permanente com o SESC dirigido regionalmente, também, pela amiga e conhecida Andrea Guedes. Alguém poderia me responder dizendo que isto é só um detalhe, que isto é uma coisa comezinha, mas vou me valer aqui justamente do que diz um outro amigo Deus e o Diabo residem no detalhe e a injustiça também. Assim, quem realmente quer uma cidade mais justa, uma cidade melhor deve sim cuidar muito do que diz, do que faz e como trata o trabalho dos outros. Eu tendo a não aceitar isso e sequer a aceitar mais o argumento da inexperiência para justificar isto. É uma conduta e deve ser julgada e avaliada como tal. Para quem tanto fala em excelência de gestão isto é algo só cabível aos medíocres. Daí me diz uma coisa destas? Sem perdão, sem piedade e sem hombridade. Ora, ora....     

Você também tem razão Bado quando diz que os CCs “auxiliam em setores onde o servidor de carreira às vezes não é suficiente em número ou em casos de deficiência técnica” e eu poderia acrescentar que existem áreas em que os profissionais de ponta ou mais qualificados servem já em outras instituições e em sua grande maioria já são servidores públicos concursados, havendo apenas remanejo, permuta ou licença de seus cargos de origem para assumirem cargos em administrações municipais, estaduais ou federais. Na maior parte dos casos estes remanejos se fazem por critérios técnicos, mas também políticos e em alguns casos por cincunstâncias  que não tem nada de errado ou de insidioso. É o caso de esposas e maridos de juízes (as), médicos (as), professores (as) que acompanham o cônjuge em remoção ou casos assemelhados. E mesmo eles sendo CCs, em boa parte e na maioria dos casos são pessoas que querem mesmo é trabalhar e produzir ações de gestão, programas e trazem com isso certa experiência, formação muitas vezes know how mais próprio para certos temas e áreas.     

Sobre o tema da “banalização do uso e contratação de CCs” é uma acusação que nós sofremos, é uma acusação que nos custou muitos problemas, por conta da quantidade de projetos de lei que foram produzidos até adequar mos nossa forma aos anseios do MP, e Judiciário, mas me causa muito opróbrio o fato de que o atual governo não somente aumentou os CCs, empregou muitos e pior sem nenhuma transparência nestes 17 meses. E aqueles que nos acusaram de abusar de nomeações são justamente os maiores beneficiários e os piores gestores desta cidade.  Eu acuso até com certa gravidade este governo de ser o Pior Governo de São Leopoldo até para provocar melhorias. E vejo que pelo menos a limpeza das ruas está se iniciando e em andamento, a pintura de meio fio começou e que alguns entulhos estão sendo recolhidos, mas isso é o mínimo. E para isto é completamente dispensável CCs. Então considerando também o número de CCs e seus vencimentos este é o piro governo da cidade. Porque nunca antes, tantos, tão bem pagos, fizeram tão pouco por esta cidade, seus cidadãos e eleitores.

Assim, nesta administração em especial e como você diz é a mais pura verdade que “grande parte dos mesmos são contratados não para servirem a cidadania em setores deficientes da administração pública, mas em vez disto, são usados como simples cabos eleitorais permanentes de seus padrinhos políticos”.  E isto leva a esta discussão mais acalorada que no fundo toca a São Leopoldo, porque aqui esta cultura de CCs como moeda de troca é escandalosa pelos seus resultados muito ruins. 

Eu disse ontem – e não tem nada de falso nisto nem de excessivo ou de rivalidade acalorada para gerar procissões de madames, protestos de estima, acusações de radicalidade, vindas de pessoas que são pseudo neutras, nem muito menos furor, mas apenas rubor de vergonha que este é o piro governo da cidade e atribui isso não aos CCs, muito antes pelo contrário disse claramente que o problema era de falta de liderança, de forma de liderança, da falta de projeto ou de um projeto muito ruim e da conseqüente e mais completa ausência de dinâmica na atual administração.

Veja que a mesma administração contratou CCs á granel é a que apõe na fachada da prefeitura nova uma faixa com os dizeres GOVERNO FEDERAL RICO E PREFEITURAS POBRES, e devolve, devolveu e vai continuar pelo visto devolvendo  milhares de reais em recursos federais para não executar programas, projetos e ações, deixa inativos e sem aplicação um tanto de outros recursos em projetos já em andamento, mas paralisados e quando aparece na imprensa aparece para inaugurar projetos iniciados no governo anterior sem um pingo de deferência e reconhecimento. Isso lá em casa tem nome...e na casa de qualquer um tem nome... 

Então meu amigo eu creio que a marginalização dos CCs NÃO é um tanto exagerada e deve ser vista como resultado do PIOR GOVERNO QUE SÃO LEOPOLDO JÁ TEVE!

segunda-feira, 5 de maio de 2014

O PIOR GOVERNO DE SÃO LEOPOLDO

O PIOR GOVERNO DE SÃO LEOPOLDO

Pela manhã afirmei em um debate sobre a saúde da cidade que mesmo o PSB e os demais partidos que governaram juntos com o PT nas duas administrações do Vanazzi se comportavam melhor, RENDIAM mais e traziam mais resultados para a cidade. Isso responde à uma discussão que tem sido feita se o PSB é hoje governo ou não e porque piorou a administração municipal. Eu disse que no Governo do Vanazzi haviam vários fatores que faziam a administração ser melhor. O primeiro a liderança do Vanazzi e a sua forma de liderar a equipe de governo. Por justiça falaria aqui de muitos colaboradores que deram mais do que seus nomes para a administração da cidade, que não somente ocuparam cargos, mas trouxeram experiências técnicas e políticas e muita dedicação para produzirem o que produziram. Tanto é verdade isto que digo que muito poucos estão procurando emprego ou sem finalidade pelo mundo. E isso se somou aos leopoldenses de diversos partidos e que renderam muito na dinâmicas destas equipes. Além disso, havia também um programa que acumulava 24 anos de projetos do PT para SL, políticas e projetos de outras gestões populares e possibilidades pelas relações com governo estadual e federal, havia também uma concepção política que colocava o funcionalismo público como aliado estratégico da gestão em todos os sentidos. E não tratava as categorias com distinções ou privilégios, benesses e mais ou menos atenção.

Tudo mudou. E não se admire que o resultado seja somente este e que este governo PSDB/PMDB/PP/DEM e parte do PSB - tristemente e penosamente para todos os leopoldenses - seja o pior governo que esta cidade já teve.

Agora eles apresentam uma espécie de balanço e projeto. Sim....vamos ler com atenção...

Segue a crítica precisa e a denúncia grave do nosso ex-prefeito Ary Vanazzi;

"A matéria do Jornal VS, do dia 1 de maio, revela o momento que vive São Leopoldo e quais são as perspectivas para a cidade.

Algumas reflexões:

1) a grande maioria das ações propostas no balanço do 100 dias de Governo não foram cumpridas e nem executadas. Mas aquelas não anunciadas, como aumento de impostos e compra de radares foram colocados em prática.

2) As obras que se propuseram a inaugurar ou entregar são todas contratadas e iniciadas no governo anterior. O pior é que estas obras tinham dinheiro em caixa para concluí-las no final de 2013. Não o fizeram apenas por uma questão política.

3) Não existe nenhuma menção as obras do PAC II que é 65 milhões para fazer a 5 ponte na Av. Thomas Edson, a licitação da obras da Dom João Becker, no Bairro Vicentina e Paim, no valor de 15 milhões contratada no governo anterior. E nenhuma frase sobre PAC Arroio da Manteiga e Arroio Kruse com valor de aproximadamente 55 milhões. Neste caso as obras de infraestrutura e casas que estavam todas iniciadas, hoje estão depredadas e abandonadas. Não entendemos porque a comunidade, que ia ser beneficiada e o próprio Ministério Público não fizeram visitas e não se manifestam sobre isso. No bem da verdade ja perderam todos estes recursos, que gira em torno de 135 milhões. Nossa cidade nunca mais vai recuperar estes valores num curto espaço de tempo. Os tristes resultados desta falta de política e de planejamento quem vai sentir são as próximas gerações.

4) O que é gritante é que não existe nenhuma afirmação de apresentação de novos projetos que pense a cidade por um período mais longo. Para quem se entitula exímios gestores, não tem nenhum planejamento para a cidade. Ela vai parar no tempo como aconteceu em gestões passadas.

5) O que podemos notar nessa matéria é a grande preocupação com procedimentos administrativos de gestão. Todos os recursos estão em volta com contratação de empresas 1,3 milhões para modernizar a gestão para prestar assessoria. A cidade que abre mão de ser protagonista regional impulsionadora do desenvolvimento, capacidade e condições foram construídas para isso. É triste a cidade que se preocupa apenas com o clientelismo com os favores pessoais, em detrimento de um planejamento e uma organização estratégica que garanta um futuro mais seguro. Esperamos que a população, os trabalhadores, possam refletir sobre estas condições.

O dado mais recente da grave situação que estamos vivendo, resultado desta falta de políticas, é a notícia que Capela de Santana gerou mais emprego do que São Leopoldo. Isso é resultado da falta de investimentos públicos na cidade, principalmente saneamento e moradia."

A matéria do Jornal VS, do dia 1 de maio, revela o momento que vive São Leopoldo e quais são as perspectivas para a cidade.

VERSÃO FINAL - BEM UM DIA AMOR

BEM UM DIA AMOR


Quando a tua grande generosidade

sentir que é chegada a hora já

e descer alguns andares do teu corpo,

abrir a porta

e sair do centro da tua cabeça

e para uma pequena visita de carinho e, assim,

você resolver, sem mais, nem por demais,

aparecer em teu coração pela manhã

o que vejo ao entardecer do passado,

entenderás tudo que sentes...



Vais pedir, então, para ela ficar ali

e servirás um chá suave com um doce

tomarás ela pela mão e tudo

lembrarás de novo e ela

fará pensar em ti, em

teu coração e tua ilusão

e não vais deixar ela subir mais,

porque toda a sabedoria

ainda não amou tudo ou

pensou no mundo como

a alma mui generosa tem pensado,

é que, esta mistura de diferença

só combina mesmo com o amor e é

bem isso que só tu saberás...

assim, sem mais...



Amar sim, mas sem se doar

e sentir, sem se expressar

nem pode dar,

tocar ou variar,

escutar ou sussurar

e bem assim, calada vais

responder para si

sem se culpar ou duvidar, e

tu sentirás tudo de novo quando,

na metade da minha vida,

que duas vezes me tocou e que,

estrelas despertou

encontrou e avisou


da mesma coisa que eu senti por ti,

luz e brilho que aquela igreja iluminou

fonte esta de que brotou,

mas que, enfim, foi só

quase nada, apenas

um beijo, um terno

um dia todo, uma noite fresca

em tua cabeça, foi só um recado do mensageiro

no coração ocupado inteiro por um


pequeno e delicado sopro de vida

o amor que acordou...


chegou...