quinta-feira, 28 de novembro de 2013

PEQUENA NOTA PESSOAL E IMPESSOAL

Tomando um cálice de vinho, saboreando as coisas que me vêm à cabeça, as formas que se apresentam do mundo, as ilusões, as descobertas, as revelações, as resistências, as conquistas, o conhecimento de toda a experiência e a importância das voltas que o mundo dá, dos retornos e das lembranças que esta vida me oferece. A cura do sofrimento do próximo, e do meu, o perdão, o desaparecimento de toda culpa, a aceitação de si mesmo, a aceitação do seu próprio desejo como libertação do ser, a coragem de falar com tranquilidade. A extinção lenta e gradual de todo o desconforto. Você não precisa pedir desculpa, já passou. Não há mais o que lamentar. A gente só esquece quando aceita e reconhece que passou. Disto resta a lembrança, a doce lembrança que fez aquilo se transformar em conhecimento. Aquilo que transforma a experiência em conhecimento e faz tudo deixar de ser perturbador. Pelo sim e pelo não, pelo bem e pelo mal, mas passou.  Falo aqui de trabalho, falo aqui de ação, falo aqui de certa sensibilidade adquirida e compartilhada. Educar não é só dizer sim e nem é só dizer não. Encontrar o equilíbrio e a justiça na relação com o outro. Uma espécie de verdade. Agradeço muito a oportunidade de viver, sentir e pensar nisto. Relatórios, pensamentos, avaliações e agradecimentos. Mas que ano!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário