segunda-feira, 25 de novembro de 2013

MAIS UM ESCÂNDALO NA SAÚDE DE SÃO LEOPOLDO – QUEM É O RESPONSÁVEL?

O Dr. Ivo Leuck se encaminha deste jeito para ser o médico mais importante da história de São Leopoldo, depois de todos os demais, é claro. A última expressão dele – quando eu nem tinha assimilado e digerido ainda a questão apontada no VS dos recursos do SUS caírem no caixa único e nem a manutenção das ilhas de domínio dos vereadores nos postos e unidades de saúde, ele me vem com esta de horas extras. Será que isto é o que está por traz inclusive dos processos de indenizações trabalhistas milionárias do Hospital Centenário que a gestão passada recebeu das gestões anteriores que eu saiba.

Vamos ver como os vereadores, como o MP, o Conselho Municipal de Saúde que se recusou a apurar o exercício da jornada de trabalho de alguns médicos suspeitos de baterem o ponto e voaremos, os partidos que governam, que dizem eu não governam e os que fazem oposição e os cidadãos e cidadãs que se dizem "de bem" se comportam em relação a isso.

O problema moral na saúde parece que é crônico. E isso é algo de se temer porque as vezes parece que são todos intocáveis. Mas como cidadão e contribuinte eu bem que gostaria de ter esclarecimentos, apuração punição. Tanto para quem denúncia caso não existam provas, como para quem é denunciado caso elas existam. Que a verdade venha à tona sem este sigilo vergonhoso para nós todos e que gera esta situação de baixa confiança no exercício desta profissão tão nobre em São Leopoldo. E o silêncio dos sindicatos médicos sobre isto também. Vai ficar assim? Parou porque? Este também poderia acabar em relação aos meninos e meninas do outro lado...ou não é mais interessante agora?

A grandiosa falta de vergonha burguesa deste destino anti-burguês é que os discípulos de Che Guevara - este famigerado comunista assassinado covardemente na Bolívia - tem mais a ensinar do que os especialistas tecnológicos e carregados de um status vazio de moral e cheio de dinheiro...lamentável isso...mas é a verdade....

Quem vai ficar do lado deles contra todo o povo de São Leopoldo, mais uma vez?

Antes que alguém venha dizer que estou fazendo política – o que como todo mundo aqui sabe – não se pode mais fazer em São Leopoldo porque agora tudo é questão de técnica, de excelência e ética só para esclarecer meu sentimento abismado um pouco: eu não sei quem são os médicos, quem são os vereadores e quem são as autoridades...estou completamente por fora...aliás, nem sei quem é o secretário da saúde hoje...

P.S.: Penso que é uma questão muito mais séria do que de partidos políticos. Este problema da saúde é um problema que envolve profundamente as corporações na saúde. 

Falo com a consciência tranquila do que aprendi duramente no governo Vanazzi e afirmo claramente que nem Olímpio, nem Waldir, nem Ribas, nem Vanazzi conseguiram dar um jeito nisso. Não tenho nenhuma dúvida que seria preciso uma verdadeira transformação para resolver isso. E chegar a realizar ela não é nada fácil, pois envolve agentes políticos e profissionais que sabem exercer seu poder perfeitamente em qualquer circunstância. 

Nenhum prefeito se elegeu e se manteve no poder sem algum tipo de pacto com setores ou lideranças da saúde, mas o preço disso tem sido caro para o povo e para a gestão. Avança um pouco em algumas questões e logo recua. Já falei muito da necessidade de um balanço rigoroso da saúde pública de São Leopoldo, mas não dá para fazer isso só pela politicagem ou só na maldade e nos interesses mesquinhos e egoístas. 

Eu respeito muito pessoas sérias e que atuam coletivamente pelas melhorias da saúde pública, defendo o SUS e me impressionei – ao estudar um pouco sobre ele e ao aprender algo mais sobre o SUS – com a qualidade e a possibilidade efetiva dele dar certo, mas sempre bate no limite corporativo que se puder drena para si todo o dinheiro investido no SUS. Isso explica porque, por exemplo, a Unisinos não conveniou com o Centenário para o curso de medicina, não se trata somente de condições físicas não - com todo respeito que os bons médicos e médicas merecem, temos um problema de caráter e grave ai. 

No meu texto anterior sobre a CATEGORIA DOMINANTE NA SAÚDE já falei disso. Enquanto esta categoria não fizer uma opção coletiva pela mudança, nada vai mudar e isso não envolve só salários como alguns gostam de alardear por ai. Devo dizer aqui do meu respeito ao Ivo Leuck, por mais ironia que eu faça em relação a ele aqui, não me julgo sinceramente em condições de julgá-lo, e é muito triste saber o que tem ocorrido aqui e ali contra toda e qualquer possibilidade de uma gestão responsável e séria da saúde. 

E, por fim, os vereadores tem culpa nisso sim e, por conseqüência, o povo também tem porque os elege e promove essas coisas das quais não quero falar porque julgo vergonhoso e criminoso que alguém sirva de intermediário no atendimento dos direitos do cidadão e se eleja através da prestação deste serviço atendendo um e não todos de forma equânime. Mas me doeu muito saber, de forma espantosa e surpreendente, dos valores dispendidos em precatórios pagos pelo Hospital Centenário. Porque foram postos fora - ou privatizados - uns três hospitais novos nisso. E tudo isso foi pago com mandato legal e por recursos jurídicos. 

A única solução que vejo para tudo isso é um programa construído com a população e as categorias de trabalhadores da saúde...com muita transparência e fiscalização pública...e muita coragem também...porque vai ser preciso muita força e coragem para tratar dos intocáveis também....sem se transformar em saco de pancada de sindicatos omissos e comprometidos com a defesa de interesses escusos também...isso sem falar na imprensa e na divulgação de campanhas bem pagas e pesadas contra qualquer gestor que ouse tocar nos intocáveis...é lamentável isso...mas é a verdade... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário