quarta-feira, 25 de setembro de 2013

RECONHECIMENTO, AUTONOMIA E DESEJO

UMA NOTA PRELIMINAR AO DISCURSO DA DILMA

"Desejar o desejo de um outro é, então, em
última análise, desejar que o valor que eu sou
ou que eu 'represento' seja o valor desejado
por esse outro: eu quero que ele 'reconheça'
meu valor como seu valor, eu quero que ele
me reconheça como um valor autônomo. Dito
de outra forma, todo desejo humano,
antropogênico, gerador da Consciência de si,
da realidade humana, é, em última instância,
função do Desejo de reconhecimento."

(Kojève, 1947, p. 14)

Nenhum comentário:

Postar um comentário