quinta-feira, 31 de maio de 2012

EXPERIÊNCIA COGNITIVA E HISTÓRIA

Quando eu disse que você teve uma experiência cognitiva, queria dizer simplesmente que você não é sentimental...mas isso não significa que você não seja sensível...significa que você aprendeu a se defender deles....mas porque então este temor?...a experiência e a coragem fazem isso...te jogam contra as paredes do salão na ilusão de vais ultrapassar os limites do teu tempo....você pode acreditar, mas jamais haverá alguma confirmação disto...quer dizer, por maior que seja teu esforço: jamais vão acreditar e compreender você....estar além do próprio tempo quer dizer também...estar além da compreensão do próprio tempo...não espere portanto reconhecimento...espanto sim.....compreensão não....

EDUCAÇÃO ESTÉTICA

Educação dos sentidos...educar a sensibilidade...desenvolver o senso estético dos jovens é educar um ser humano que não é limitado a sentir somente a si mesmo....a educação estética do homem é um trabalho civilizatório....difícil porque muitos olham somente para os seus sentimentos....humano....mais que um mero humano ensimesmado e blasê....

HISTÓRIA COMO COMPOSIÇÃO

Pensando coisas novas...novas ideias...novas abordagens tanto da história quanto da cidade....não tem mais volta pelo visto....e a cada dia que passa descubra que algumas hipóteses já foram melhor examinadas e que pelo sim e pelo não estamos no caminho certo...algumas intuições tem base demonstrativa na realidade....isto transforma aquilo que era uma descoberta ou bela intuição num nova composição e visão de cenário...isso não é original, nem criativo, nem inventivo, mas tem sua beleza.....esta história pode ser contada de um modo mais interessante e articulado....uma composição....pode-se fazer história assim?...eu creio que sim!!!

domingo, 20 de maio de 2012

A ÁGORA - A PRAÇA MAIS FAMOSA DA HUMANIDADE

Talvez a praça mais famosa da história da humanidade seja a Ágora. Na Atenas, entre os séculos VI e II, da idade antiga se constituiu um modelo ou tipo ideal de espaço público. Por posição, dimensão e hábito como o espaço público por excelência para a discussão e a deliberação dos assuntos da Polis. Com democracia, com tirania ou em qualquer circunstancia eram lá e para lá que os assuntos públicos eram carregados, debatidos e tratados. Fazer a guerra, fazer a paz, travar acordos, cunhar novas moedas, fazer negócios, punir cidadãos ou escravos, dar mérito ou colocar em desgraça e desterro ou exílio, quase tudo era tratado lá . Na Grécia antiga era mais do que comum os cidadãos se encontrarem neste local para tratarem de todos os assuntos públicos. Mas também era um lugar de comércio e de encontro, passeio e recreação. E a Ágora também era vista como a praça do mercado em Atenas. E para não deixar de citar aqui, o filósofo Sócrates passava o dia na Ágora a interrogar e debater com os jovens e cidadãos da cidade Assim, a Ágora era o centro político, cultural, cívico, religioso e comercial desta importante cidade-estado grega. Mas ela se projeta como tipo ideal não tanto pelos hábitos ou pelas suas próprias características, mas sim porque a partir deste espaço foram traçadas linhas mestras para o mundo ocidental. A democracia, a filosofia e o humanismo clássico, mesmo com suas contradições originais se impuseram como modelos e fortes influências para todas as civilizações e pretensões civilizatórias posteriores.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

MINHA PRIMEIRA AULA DE FILOSOFIA: EDUCAÇÃO FORMAL E INFORMAL...

no dia 17 de maio de 1992 dei minha primeira aula de filosofia....foi de surpresa sem preparação...assunto escolhido para substituir o titular que faltou: A diferença entre Educação Formal e Informal....com a tese de fundo de que a educação informal é muito mais importante....topei...segui e andei em frente...20 anos...na mesma boa e velha lição....

SAINDO DA ZONA DE CONFORTO

são as situações difíceis que nos tornam pessoas melhores....quem vive em zona de conforto não sabe o valor de pequenas conquistas e vitórias...em frente camaradas.....de pé.....e unidos...

sexta-feira, 4 de maio de 2012

DESAPARECIMENTO: FÉ E VERDADE

Você toma vários sustos por dia e tem que aprender a não assustar ninguém. Ficar tranquilo para aguentar a barra e ser capaz, no que for possível, de mudar o rumo dos acontecimentos. As vezes lidamos com as emoções sutis de muitas pessoas ao mesmo tempo e ai vem aquela palavra que nos é tão cara na vida e na filosofia: cuidado. As pessoas são mais delicadas e sensíveis do que parece. Calma cara - você vai passar por tudo isso e tudo acabará bem. E a única palavra de consolo aqui é a verdade. Nenhuma doutrina sobre o APARECIMENTO ou o DESAPARECIMENTO pode substituir a verdade. Falo aqui daquilo que você é capaz de compreender e demonstrar como verdadeiro. A fé - a maravilhosa fé - é um bom apoio quando não temos para onde correr. Mas não consegue resolver sozinha a questão da verdade e da imposição da realidade sobre nossas vidas. Queremos todos os milagres e abençoados sejam aqueles que obtém milagres, mas a regra é outra.

DESAPARECIMENTO - CAMINHADA

DESAPARECIMENTO - caminhada Caminhamos todos para o desaparecimento e isto nos angustia, nos rói as unhas, nos entorpece e nos produz delírios e fugas. O que nos faz delirar? Toda aquela disposição a imortalidade. Nos damos conta de duas coisas: do nosso fim e da nossa atitude em relação a ele. Quando penso nisto me perturba mais e me atraí mais a perspectiva contrária e me perturba porque eu mesmo sei que estou no rumo deste desaparecimento e sei que cada vez me afasto mais do gosto belo e aprazível do aparecimento. Lembro agora, neste momento, do não mais ainda, do não mais depois, do nunca mais....Tento imaginar e pensar como fazer que o desaparecimento seja ocultado por um gesto ou reflexão. Porquê não?

DESAPARECIMENTO: ABERTURA

DESAPARECIMENTO - abertura Estive muito ocupado com questões de vida e de qualidade de vida na última semana...e também preocupado...isso nos leva a refletir porque a caminhada exige isto...no meu caso, se não reflito, não consigo sequer continuar....a reflexão é para mim um motor de arranque...uma forma de dar andamento e seguimento à vida, à luta e a caminhada....é com ela que equilibro e sopezo os prós e contras...atenuo danos e prejuízos e mantenho a passada....inclusive alterando o ritmo e o peso das passadas...mas não tem como nessa situação não pensar neste tema do nosso desaparecimento...estes dias aliás dei uma coçada nele..uma roçadinha de leve em uma garrafa cheia de pó para ver o que há dentro dela...em filosofia é um tema existencial....a finitude....eu pensei no desaparecimento porque é uma coisa que nos bate seca e dura quando nos damos conta de que passamos e no fundo não resta nada mesmo...nossa passagem parece com o passar do tempo ganhar espaço no terreno do silêncio...me dei conta disto olhando para algumas coisas do cinema e da fotografia.....por exemplo...a famosa calçada da fama....e também nas fotografias que um paparazzi famoso dos anos 60 e 70 tirou de celebridades...é engraçado...as pessoas visitando a exposição dele e tomando conhecimento ali de personagens dos quais nunca ouviram falar....ou que jamais lhes chamaram a atenção...e eu olhando aquilo...aqueles jovens que não sabem quem foi esta ou aquela estrela....e pensei comigo....é o aparecimento que foi perdido....o desaparecimento é sintoma ou sinal - não gostaria de usar ou abusar de nenhuma gota de terminologia aqui - da perda do aparecimento...daquele momento sublime em que os seres parecem ser estrelas ou brilhar mais que os demais.....o desaparecimento é isto....não é aquela coisa dos dez segundos de fama....penso em filmes, obras inteiras e etc...incluso Finding Forrester....ou Angelo Maggio de Frank Sinatra em Assim Caminha a humanidade....o que resta?...falei sobre isto com meu pai hoje...ele ficou pensando...e vi nos olhos dele que ele me entendeu...quem lembra? quem lembrará?....avistei neste fim de semana aquela imagem antológica do Andróide de Blade Runner dando adeus a existência e pensei também nisto....o desaparecimento e seu grande desafio para nós....continua...